General Oswaldo Ferreira diz que não quer mais ser ministro de Bolsonaro


O general Oswaldo Ferreira desistiu de de ocupar um cargo no governo do presidente eleito Jair Bolsonaro (PSL).

A decisão do general Ferreira é reflexo de uma disputa de cargos no governo.

O general havia se tornado um dos mais próximos aliados de Bolsonaro e trabalhava desde 2017, a pedido do presidente eleito, na coordenação de infraestrutura.

13 comentários:

Anônimo disse...

Magoou!!!

Anônimo disse...

É uma pena. Tomara que surja uma solução.

Anônimo disse...

todo mundo quer o pais arrumado mas ninguém quer entrar na arrumação...

o que mais vejo é desculpinha de gente dizendo que "não é esse seu objetivo de vida" quando instado a participar do governo...

também porque passam de pedra à vidraça, e poderão ter o seu discursinho moralista ou assertivo colocado à prova...

mas quem esta do lado de fora tem um monte de pitacos e sugestões...

só quem ta na chuva é que se molha...

o país esta clamando pelas pessoas boas, mas as pessoas boas estão declinando do chamado...


Anônimo disse...

Estava a fim de cargos ou trabalhar em prol do país?

Anônimo disse...

dizem que é por causa de tretas com o Onyx Lorenzone.

Heloisa disse...

O general serviu à pátria por muitos anos. Agora, declarou que quer viver o restante de vida que tem do jeito que quiser. É seu direito.

João Fernando Cunha da Cunha disse...

CONVENHAMOS, PREZADO POLÍBIO!
O GENERAL É FAMOSO TOCADOR DE OBRAS, NO MELHOR ESTILO DO SAUDOSO MÁRIO ANDREAZZA.
AGORA, PENSE NO DRAMA DO GENERAL: INFRAESTRUTURA ABARCA PORTOS, AVIAÇÃO CIVIL, TRANSPORTES, HIDROVIAS, RODOVIAS, FERROVIAS, ENERGIA ELÉTRICA, PETRÓLEO E GÁS E TAV ( Trens de Alta Velocidade). VAI PRECISAR DE GRANA, MUITA GRANA! A INFRAESTRUTURA DO BRASIL OU ESTÁ PODRE E CARCOMIDA PELA CORRUPÇÃO OU NÃO EXISTE. O GENERAL SABE MUITO BEM DISSO, MELHOR DO QUE NÓS.
VAI TER DE PEDIR A GRANA PARA O PAULO GUEDES. GUEDES VAI NEGAR. O GENERAL É DE PAVIO CURTO, MUITO CURTO. VAI MANDAR O GUEDES PRA O LUGAR AQUELE QUE NÓS SABEMOS. TAREFA GIGANTESCA, RESPONSABILIDADE GIGANTESCA, PROBLEMAS GIGANTESCOS, DIFICULDADES GIGANTESCAS. ENTÃO ELE PENSOU MELHOR E ANTES DE BRIGAR COM TODO O MUNDO RESOLVEU NÃO ACEITAR. UMA PENA. REFAZER A INFRAESTRUTURA DO BRASIL HOJE, É O MAIOR DESAFIO NO CAMPO ADMINISTRATIVO E FINANCEIRO DO BOLSONARO. TORÇO PARA QUE OS GENERAIS AMIGOS DO BOLSONARO CONSIGAM CONVENCER O GENERAL OSWALDO A VOLTAR ATRÁS E ACEITAR O DESAFIO.

Justiniano disse...

Imagina um capitão mandando em um general. Governo é gestão de pessoas e é a legítima fogueira das vaidades.

Anônimo disse...

Essa é a grande diferença de um líder comparado com os comuns. Os comuns fogem das responsabilidades, os líderes correm atrás delas.

Anônimo disse...

O Brasil necessita urgentemente modernizar a infraestrutura do país o máximo possível e o trabalho é gigantesco. Portos, aeroportos, ferrovias, hidrovias, rodovias, metrô, vlt e toda a infraestrutura em geral precisa de uma modernização urgente. Foi um dos pilares que tornou a China uma potência, uma infraestrutura moderna e competitiva. Sem isso, não tem economia que decole nesse mercado mundial tão competitivo.

Vera De Marchi disse...

Muita irresponsabilidade.
Por que não pensou antes de aceitar?
Não se brinca com esses convites, General

Anônimo disse...

cara, Heloisa, todo trabalhador serve à sua patria...

esse negocio de colocar funcionário publico ou militar como "superiores servidores" da nação, mesmo sendo todos remunerados para tal, é de encher a paciência...

um pipoqueiro também serve à nação, pois paga impostos e ajuda na construção das riquezas...

Anônimo disse...

Ah, ah, ah.
Viu a M que se meteu.