General Augusto Heleno mantém apoio a Bolsonaro

Mente a mídia amiga quando informa que o general Augusto Heleno recusou ser vice de Bolsonaro.

O que acontece é que o PRP, seu Partido, negou estribo para isto.

O general já avisou que sairá do PRP e continuará apoiando Bolsonaro.

Augusto Heleno será o que quiser no governo do candidato.

18 comentários:

Anônimo disse...

Lula segue líder e passa até o “querido Moro” na Ipsos-Estadão:

FERNANDO BRITO · 19/07/2018 - O Tijolaço

Nunca antes na história da Lava Jato o prestígio público de seu “super-herói”, Sérgio Moro, esteve tão baixo.

Segunto a pesquisa “Barômetro Político”, realizada pelo Ipsos para o Estadão, o juiz, que chegou a ter índices de aprovação de 69% em maio do ano passado – quando só tinha 22% de reprovação, baixou para meros 37% de apoio e 55% de rejeição.

Já aquele a quem Moro jurou de morte, Lula, continua sendo o candidato com maior taxa de aprovação (45%) e o de menor índice de rejeição entre os principais nomes na disputa presidencial.

Não coube, no gráfico a Marina Silva, mas registro: 63%, estatísticamente igual a Ciro Gomes (65%) e a Jair Bolsonaro (64%) e um pouco menos que Geraldo Alckmin (70%), a quem só Michel Temer conforta, com seus estratosféricos 93% de reprovação.

A força da verdade é como a lava dos vulcões: pode ficar represada sob a crosta de mentiras e propaganda que os donos da mídia fazem, mas acaba por brotar e olhe lá se não numa violenta erupção, que os sismógrafos das pesquisas mostram estar se armando.

Espero que não se acuse a Ipsos, uma multinacional francesa e o nosso geriátrico Estadão de estarem em alguma aventura bolivariana de lulopetismo estatístico.

Aliás, nem destaque deu para a caríssima pesquisa – R$ 183 mil – nas páginas do jornal paulista.

Meteram os pés pelas mãos e estão colhendo os frutos da manipulação que fizeram, os aprendizes de feiticeiro do golpe judicial.

Anônimo disse...

Janio resgata o passado do general cotado para vice de Bolsonaro

19/07/2018

Jornal GGN - O general Augusto Heleno Pereira, cotado para ser o vice de Jair Bolsonaro, integrou uma espécie de rede de espionagem interna ainda durante o governo FHC, mesmo com o ex-presidente tucano afirmando que o Serviço Nacional de Informações estava extinto desde Collor.

Segundo Janio, o general recebia do juiz Nicolau dos Santos Neto informações sobre os "graúdos paulistas e seus negócios, os políticos, a imprensa. Entre outros temas". Era, segundo Janio, a "preservação do policialismo" da ditadura, "com todos os seus defeitos", revelando a "falsidade da inexistência da espionagem interna".

Heleno foi "auxiliar do general Cardoso no Planalto de Fernando Henrique" e era o "mais frequente contato do juiz Nicolau", que veio a ser condenado mais tarde por corrupção na obra do Tribunal de Justiça do Trabalho, em São Paulo.

Janio também lembrou que Heleno foi retirado, a pedido da ONU, do comando da Força brasileira em missão no Haiti. O motivo nunca foi esclarecido.

Para o jornalista, Heleno mostra que Bolsonaro "não é único nas ideias e modos, não tem originalidade. É produto que foi fabricado em série."

O general Heleno, contudo, não deve ser o vice-presidente na chapa de Bolsonaro.

Leia mais aqui. (...)

Anônimo disse...



A PERSEGUIRÃO É IMPLACÁVEL....
OS CANALHAS NO DESESPERO PARA MANTER A PUTARIA ATUAL, VALE TUDO PARA CONTINUAR COM A CHAVE E A MÃO NO COFRE...

BOLSONARO 2018...SE TUDO DER CERTO VITÓRIA NO PRIMEIRO TURNO...

Anônimo disse...

Com Bolsonaro “resolvido”, Ciro e Alckmin disputam “Centrão” palmo a palmo:

19 de julho de 2018 - Blog do Esmael

O ex-governador Geraldo Alckmin (PSDB) e o ex-ministro Ciro Gomes (PDT), na reta final das convenções, disputam palmo a palmo os partidos que compõem o “Centrão” — leia-se DEM, PP, Solidariedade, PRB e PSC.

Para limpar a área, Alckmin e Ciro tiveram primeiro de “resolver” o deputado Jair Bolsonaro (PSL) que chegou a “beliscar” alguns partidos do “Centrão”. Ficou apenas na intenção, não consumou. Hoje o cenário é completamente desfavorável ao ex-capitão do Exército. Sequer consegue indicar o vice oriundo de uma segunda legenda, tal seu grau de isolamento.

Dito isto, as agremiações do “Centrão” agora fazem um leilão político para em bloco definir quem apoiar na eleição de outubro.

Com Bolsonaro tecnicamente inviabilizado eleitoralmente (ele terá apenas 8 segundos no horário eleitoral do rádio e da TV), Alckmin ganha sobrevida e uma segunda chance. É o candidato dos tucanos, de Michel Temer, do golpe e do desemprego e da miséria que aí estão. Nesta quarta (18) ele deixou de respirar por aparelhos quando recebeu apoio do PTB.

Na outra ponta, Ciro segura com a esquerda e toca com a direita. O pedetista tem canais com “Centrão” por meio do presidente da Câmara, Rodrigo Maia, e PCdoB, com quem esteve esta semana. Mostra-se um candidato “flex” nesses tempos bicudos.

Neste cenário de disputa partido a partido, liderança a liderança, palmo a palmo, há uma evidente vantagem competitiva de Alckmin porque a o “comitê central da burguesia” age diuturnamente para favorecê-lo. Portanto, Ciro é o imponderável que ainda sofre investidas do PT cuja missão é tirar-lhe principalmente o PCdoB e o PSB.

Anônimo disse...

esses ratos todos tem q estar no mesmo barco prá perder mais uma vez, vermes...

Anônimo disse...

Bando de idiotas.
Quem governará esse pais será o centrão. E qualquer presidente que não andar pianinho com o centrão será afastado por impeachment.
Brasileiro é tão burro que ainda não percebeu que quem governa de verdade é o legislativo.

Anônimo disse...

Esses generais idiotas pensam que ainda estão na ditadura quando podiam tudo. Se não tiverem a anuência do legislativo essas pragas serao todas corridas no primeiro mes de governo. E pelo jeito o Legislativo quer distância do bunda suja. Ele já percebeu isso e está desesperado tentando aumentar seus seis segundos de horário eleitoral.

Anônimo disse...

Ministro da justiça.Botar todos os petistas na cadeia e jogar a chave fora.O único contato é pela aquela janelinha como nas cadeias americanas.Limpar a podridão que se instalou com o governo petista.

Anônimo disse...

"será o que quiser no governo do candidato" Tá explicado o ferrenho apoio!

Anônimo disse...

BOLSONARO TENTA SALVAR ALIANÇA COM PRP

Lúcio Bernardo Jr - Câmara

Um dia após a negativa do PRP em apoiá-lo nas eleições 2018, o presidenciável Jair Bolsonaro (PSL), tenta concretizar uma aliança com o partido para ter como vice na chapa o general Augusto Heleno (PRP); o presidente nacional do PSL, Gustavo Bebianno, viaja nesta quinta-feira (19), para São Paulo, onde tentará um encontro com o presidente do PRP, Ovasco Resende

19 DE JULHO DE 2018 ÀS 15:04 // INSCREVA-SE NA TV 247 Youtube

Anônimo disse...

A vaga de bobo da corte está aberta

Anônimo disse...

VA CHUPA UM OVO... PORCO COMUNISTA

Anônimo disse...

A Esquerda Escarlate Bolivariana Atrasada está em polvirisa, é só no revorta e fola com textões que ninguém lêem e quem lê não acrefita nas estórias da carochinha, para a esquerda mentir é preciso, viver não é preciso. É só verificar os Estados que são administrados pela Esquerda se os índices de homicidios não aumentaram em suas gestões. Vide o Brasil, pós 2003, nada é por acaso.

Anônimo disse...

Para ler Tijolaco é petista, acéfalo ou 'cumpamheiro', jornaleco vernelho assim como 247.

Anônimo disse...

Nem todos generais sai idiotas, muitos protegem seus empregos e funções de crsa.

Anônimo disse...

Qual o General de pijama falastrão que vai se habilitar ao cargo?

Anônimo disse...

Quem não conta com centrão, conta com Mourão...

Anônimo disse...

E qual a importancia do general heleno no mercado eleitoral? Ele nao agrega voto. No maximo mantem firme o voto da galerinha que grita MITO MITO MITO em hall de aeroporto com cara de brabo e vive de mesada do papai. Quem anda de onibus, mora nos brejos do pais nao mudara seu voto por conta de um general aposentado que sequer terá midia para falar.
O que o bolsonaro queria era os quase 10 milhoes de reais do fundo partidario do PRP. Cacildis