Artigo, Mateus Bandeira - Cadê o espírito gaúcho?


O hino gaúcho traz uma lição clara: povo que não tem virtude, acaba por ser escravo. Porém, esta terra de gente pioneira e altiva acabou se tornando vítima do atraso e da submissão. Da segurança às finanças, atravessamos uma crise sem precedentes. Temos hoje um Estado que não protege a população do crime e mal paga seus servidores.

As contas públicas foram corroídas por anos de ideologia de esquerda e de políticos fisiológicos no poder. Um descaso com o dinheiro dos pagadores de impostos completamente previsível. Falhamos nós, como sociedade, em dar poder a quem não sabe cuidar da coisa pública. Portanto, a culpa também é nossa.

Precisamos compreender de uma vez por todas: o Estado não gera riquezas.

CLIQUE AQUI para ler mais.

12 comentários:

Anônimo disse...

Estado que nao nos protege E NAO NOS PERMITE QUE POSSAMOS NOS PROTEGER!!!
Estado PROPOSITALMENTE GENOCIDA E ESCRAVOCRATA. O gaucho ha muito é um BAITA BUNDA MOLE! O resto ou é FAKE ou MADE News...

Anônimo disse...

Estado que nao nos protege E NAO NOS PERMITE QUE POSSAMOS NOS PROTEGER!!!
Estado PROPOSITALMENTE GENOCIDA E ESCRAVOCRATA. O gaucho ha muito é um BAITA BUNDA MOLE! O resto ou é FAKE ou MADE News...

Anônimo disse...

Só papinho pra boi dormir.
Concreto? Nada.

O que já fez esse abobado pra achar que pode mudar algo?

Anônimo disse...

TEM ABSOLUTA RAZÃO.
MAS ALGUÉM TERIA QUE MANDAR ESTE COMENTÁRIO PARA TODOS OS FUNCIONÁRIOS PÚBLICOS DO ESTADO E SEUS DIRETORES, EM TODAS AS ESFERAS.

Anônimo disse...

Sr. editor, penso que o RS entrará em colapso administrativo e financeiro antes de 2020. Nos últimos tempo o corporativismo e a cobiça de setores do funcionalismo vem fazendo verdadeira "blizkrieg" contra quem produz, contra quem trabalha. Esta voracidade por mais dinheiro, não vai beneficia a sociedade gaúcha, mas apenas garante altos salários e gratificações para uma casta de funcionários estaduais. As pequenas e médias empresas estão fechando, acossadas por uma legislação feita de encomenda, que beneficia grandes grupos empresariais. Um pequeno produtor não pode mais vir vender seus produtos de origem animal na cidade, ação que fez a riqueza das áreas coloniais do RS. A legislação sanitária está exterminando com eles e com os pequenos abatedouros e comércios do interior, submetidos a exigências absurdas. Da mesma forma a legislação tributária vem promovendo uma epidemia de fechamento de empresas, dado às tremendas exigências fiscais. Mais recentemente, a obrigação de que todo estabelecimento opere com sistema de nota eletrônica (que tem alto custo para os pequenos estabelecimentos), está ocasionando o fechamento de muitas empresas. Há lugares que a internet é muito ruim e o empresário ficará de "mãos amarradas" diante das circunstâncias. Melhor fechar do que se incomodar e ficar trabalhando 14 horas por dia pra pagar o salário "dessa cambada", me disse um comerciante.

Anônimo disse...

Fez carreira mamando no setor público e agora adota esse discursinho mole. Ah vá....

Anônimo disse...

Governo e um péssimo prestador de servico, caro, abusado, inchado.

Anônimo disse...

Quem vive do passado não encomenda o futuro...O Rs não serve de modelo para nada, estado mais corporativista, arrogante e falido.
Joel

Anônimo disse...

Existe um sócio maledeto, que destrói tudo que encherga próspero, um sócio incapaz de dividir maldoso por essência

Anônimo disse...

Quando se fala da situação financeira do RS não se pode esquecer que nos últimos 30 anos, mais de 20 foram administrados pelo PMDB e Cia

Anônimo disse...

Excelente artigo do Mateus Bandeira.
Porém, vou mais além no que diz respeito ao papel do Estado: além de gerir com competência os impostos deve promover um ambiente amigável ao empreendedorismo, incentivando e apoiando fortemente a atividade econômica capaz de produzir trabalho e riquezas para a sociedade. A falta de virtude e estratégia administrativa tem se repetido nos últimos governos de forma impressionante. Não há sinais de inteligência neste sentido no Estado, nem na sociedade como um todo. Infelizmente.

Anônimo disse...

Excelente artigo do Mateus Bandeira.
Porém, vou mais além no que diz respeito ao papel do Estado: além de gerir com competência os impostos deve promover um ambiente amigável ao empreendedorismo, incentivando e apoiando fortemente a atividade econômica capaz de produzir trabalho e riquezas para a sociedade. A falta de virtude e estratégia administrativa tem se repetido nos últimos governos de forma impressionante. Não há sinais de inteligência neste sentido no Estado, nem na sociedade como um todo. Infelizmente.