Ufrgs, Unisinos e PUC criam Aliança para Inovação de Porto Alegre

As três universidades deixam para trás uma herança de estranhamentos, de rivalidades, de dificuldades, ditas ou não ditas, mas sobretudo abrem esforço conjunto para fortalecer a economia de mercado. A ideia é que Porto Alegre não só diga que é, mas se torne um polo de inovação.

Os reitores de três grandes universidades do RS assinaram, na tarde desta segunda-feira, um convênio para a criação da Aliança para Inovação de Porto Alegre. A união se dá entre Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUCRS) e Universidade do Vale do Rio dos Sinos (Unisinos). O objetivo é transformar a Capital em um polo gerador de novos empreendimentos de base tecnológica e startups, atraindo novos investimentos e retendo talentos da região.

As instituições já trabalhavam em iniciativas individuais, mas agora poderão traçar uma estratégia comum de desenvolvimento do empreendedorismo e da inovação.

Profissionais muito competentes, atualmente, acabam não encontrando na cidade desafios para permanecer e migram para São Paulo ou até mesmo para outros países. A "evasão de cérebros" é uma das questões a serem combatidas pela aliança.

7 comentários:

Anônimo disse...

Muito bonito na teoria, mas na prática é a UFRGS extendendo seus tentáculos marxistas às outras universidades.

Anônimo disse...

Não há união de siglas que faça frente a um estado com a ideologia vigente. Polo de inovação é Santa Catarina. By the way nunca foram governados por partidos de esquerda.

Anônimo disse...

SC pólo de inovação? parece mais um pólo de aves e suínos.

Anônimo disse...

Anônimo das 1057. Saia do casulo guasca

Anônimo disse...

Muito certa tua colocação.

Anônimo disse...

Todo o dinheiro que vai para pesquisa nas universidades é desviado para outros fins nan nobres. Conheço este circo.

Anônimo disse...

Semelhante ao Engenheiro sem Fronteiras? Teoria é uma coisa, a prática é outra bem diferente. Mas a esperança é a última que morre.