Prejuízo da Oi cai 19% e companhia vai priorizar cidades "rentáveis" em 2018

A operadora Oi informou nesta sexta-feira ao mercado que teve prejuízo líquido de R$ 6,656 bilhões no ano passado, uma queda de 18,9% na comparação com a perda de R$ 8,206 bilhões ocorrida em 2016.

No quarto trimestre, as perdas da operadora foram de R$ 3,916 bilhões. No mesmo período de 2016, o resultado havia sido ainda pior, uma perda de R$ 4,808 bilhões. Essa é a primeira divulgação de resultados após credores e a Justiça aprovarem o plano de recuperação judicial da companhia na virada do ano.

A Oi definiu o plano industrial para 2018 que prevê investir menos nos primeiros meses deste ano, a fim de preparar terreno para os aportes mais significativos, previstos para acontecer no segundo semestre.

Para definir a estratégia de investimentos, a companhia analisou o mercado em todas as cidades nas quais atua. Observou as condições de vendas em 3.449 cidades e identificou 9.156 “clusters” (localidades) em que tem telefonia fixa. Segundo Carlos Brandão, CFO da companhia, o objetivo é investir nos mercados rentáveis, naquelas regiões com a maior relação VPL/VPI. A prioridade recairá sobre os locais onde a empresa tem vantagem competitiva, ou seja, é a única ou a maior operadora.

4 comentários:

Anônimo disse...

Que boa notícia! Agora o prejuízo da Oi só passou de 67 bilhões para 75 bilhões. Pensando bem vou continuar não querendo nada com eles, apesar das 4 ou 5 ligações diárias que recebo. Nunca me esquecerei da falta de respeito dessa empresa falida, e outras, com o consumidor.

Anônimo disse...

MANCHETES DE VIÉS NEGATIVO,ALEIJÃO MENTAL

PODERIA SER

"MELHORA A SITUAÇÃO DA OI, PREJUIZO MENOR..."
(OTIMISMO,ENTENDIMENTO RAPIDO)


AGORA, "CAI PREJUIZO..." QUEM ENTENDECRUUUUUUUUUUZ CREDO, É PRECISO DECODIFICAR, ENTENDIMENTO ZERO VIRGULA ZERO

Anônimo disse...



ELES QUE PAGUEM O QUE ESTÃO DEVENDO, ESTES PILANTRAS.

Anônimo disse...

Estatiza.
Jorge