Rede Globo promove dança de cadeiras em O Globo, Valor e Época

O InfoGlobo, braço impresso da corporação, passou por uma verdadeira dança das cadeiras entre seus cargos e produtos.

Ruth de Aquino, que era colunista da revista Época, assume a diretoria geral de jornalismo.

Acima de: Allan Grip, que vira diretor de redação de O Globo no lugar de Ascânio Seleme, que sai.

Octavio Guedes continua na diretoria de redação do Extra.

Vera Brandmarte continua diretora de redação do Valor Econômico.

Daniela Pinheiro, que era da Piauí, vira editora chefe da revista Época no lugar de Diego Escostesguy, que virou repórter.


Paulo Motta, editor de produção de O Globo, se aposenta e Flavia Barbosa assume o lugar dele.

9 comentários:

Anônimo disse...

Mudam de lugar as moscas mas a m.... continua a mesma!

Unknown disse...

Mídia aliciada... até quando vai manter as mentes cabrestadas???

Anônimo disse...

As mulheres empoderadas no Grupo Globo. Isso é bom, muito bom.
Aqui em casa também elas mandam, e muito. Minha mulher, minha filha e minha neta.

Façanha, o advogado do povo disse...

SÓ OS VELHINHOS LEEM JORNAL.

Anônimo disse...

Deixou de ter um vies altamente esquerdista? claro que nao. Mais lixo! Por isso que as redes sociais e o jornalismo alternativo esta cada vez mais ganhando corpo. chega de fake news.

Anônimo disse...

Lula lidera entre católicos e evangélicos, mas manipulação da Folha faz parecer o contrário:

23/10/2017 - 10:56 - Cíntia Alves

Jornal GGN - Folha de S. Paulo manipulou a última pesquisa Datafolha duas vezes para fazer parecer que a candidatura de Lula vem caindo entre um segmento da população: o que se declara evangélico. Mas os dados do estudo mostram o contrário: Lula lidera a disputa para 2018 mesmo neste nicho, deixando para trás Jair Bolsonaro, Marisa Silva e João Doria.

A primeira manipulação de Folha ocorre no título e no primeiro parágrafo da matéria "Evangélicos impulsionam Bolsonaro e Marina e derrubam Lula, diz Datafolha".

O título dá a entender os candidatos do PSC e Rede crescem enquanto Lula cai numa avaliação em que só o nicho evangélico é levado em consideração. Mas a afirmação é desmentida pelos dados da pesquisa Datafolha do final de setembro.
Entre evangélicos, Lula tem 32% das intenções de votos, seguido por Bolsonaro (21%) e Marina (17%). João Doria aparece com 7%.

Os cenários não incluiem Ciro Gomes (PDT) nem Geraldo Alckmin (PSDB). Por outro lado, constam nomes que não chegam a 2% da intenção de votos, como o de João Amoêdo, do Partido Novo.

No cenário em que Doria não disputa pelo PSDB, a distância entre Lula e Bolsonaro cai um pouco, mas o petista ainda lidera com 29% entre evangélicos, ante os 22% do deputado do PSC e os mesmos 17% de Marina. Embora tenha ejetado Doria deste quadro, Folha não inseriu pontuação possivelmente angariada por Alckmin.

Mesmo diante dos números, Folha força a barra e diz que "Bolsonaro e Marina disparam na preferência evangélica, com pelo menos 21% e 17% das intenções de voto, respectivamente."

O Folha fez para passar a impressão de que Lula foi "derrubado" nessa pesquisa foi comparar os índices do ex-presidente na pesquisa de opinião em nível nacional (onde ele aparece com 35% das intenções de voto) com essa pesquisa que só leva em conta o eleitorado que se disse evangélico (onde Lula, mesmo assim, lidera com 29%, de acordo com a própria Folha). Ou seja, uma diferença de 3 pontos percentuais entre duas pesquisas completamente distintas deu à Folha a licença poética de cravar que o "conforto" do petista em 2018 "vai minguar um bocado".

A segunda manipulação de Folha consiste em recortar e dar destaque ao nicho evangélico, que representa 32% da população brasileira, quando os católicos ainda são maioria: 52%.

Também entre católicos, Lula lidera a corrida presidencial para 2018. Curiosamente, com ainda mais vantagem do que entre os evangélicos. Nesse segmento, o petista tem preferência de 40%, seguido por Bolsonaro (13%), Marina (12%) e Doria (7%). Quando Doria não está no páreo, Lula continua com 40%, Bolsonaro fica com 14% e Marina, 11%. (...)

Carlo Germani disse...


A meta conivente e submissa à agenda globalista (leia-se:Nova Ordem Mundial),
está preservada.

PS-Querem um exemplo de inteligência,autoestima e seriedade profissional?
Mariza Tavares.

Ex diretora nacional de jornalismo da CBN.
Caiu na real ao perceber onde estava metida.
Pediu para sair,depois de 14 anos na direção da rádio.

Atualmente tem blog no Estadão sobre Terceira Idade,com excelentes artigos e
matéria sobre o tema.


Anônimo disse...

A matéria acima é paga pelo PT com dinheiro roubado da Pereobras.

Anônimo disse...

Basta ver a coluna da Ruth de Aquino pra ver que é de extrema esquerda.
Isto explica por que não se vê mais diferença entre os veículos da globo e os blogs sujos de esquerda.