Petroleiras estrangeiras participarão dos leilões do pré-sal, sexta-feira

Estão marcados para esta sexta dois leilões de áreas importantes do pré-sal. Será a primeira vez que petroleiras privadas poderão participar como operadoras em uma licitação sob regime de partilha, desde o fim da exclusividade da Petrobras.

O novo sistema foi adotado depois que a Petrobrás foi esbulhada pelos corruptos dos governos Dilma e Lula, mas também porque a estatal, mesmo que não tivesse sido pilhada, não teria como investir em todos os campos. 

Dentre as 16 empresas habilitadas para as duas licitações, sete tentam estrear no pré-sal brasileiro: Petronas, BP Energy, Qatar Petroleum, CNODC, Ouro Preto (OP Energia), Ecopetrol e a ExxonMobil, que adquiriu oito blocos com potencial para o pré-sal, na 14ª rodada, mas ainda não possui descobertas confirmadas.

11 comentários:

Anônimo disse...

É um mau momento. Concordo plenamente com a participação estrangeira. O problema é que a habilidade da esquerda em distorcer fatos e mentir, aliada a ignorância geral da população vai feder. Poucos sabem a diferença entre concessão/licença para explorar o petróleo e vender as riquezas da nação. Certamente os sindicatos vão sair por aí dizendo que o país está vendendo as riquezas da nação, mas não vão lembrar que Dilma tornou a China a maior concessionária na área de energia. Quem explora energia, minerais, comunicações recebe licença para explorar, não compra nada. Essa verdade deveria ser exaustivamente usada pelo governo para esclarecer a população, antes do leilão.

Fernando Bender disse...

conversa fiada.
se tu não tem dinheiro para investir em todos, tu investe em um. quando este gera caixa, tu investe em um segundo, e assim vai.
Era reserva de mercado, não precisa ter pressa.
Estamos sendo roubados em trilhões por essa entrega absurda.
lembram que havia aquela conversa de que o pré-sal não era viável?
tem, mas não é viável.
por que esse amontoado de petroleiras agora. Qatar??? eles não tem petróleo por lá? por que querem aqui também? É um evidente indicativo de que o petróleo aqui não só é viável, como competitivo com o petróleo do golfo pérsico.
Nos mentem e nos roubam mais uma vez.
Políbio. analisa os números. reserva já verificada (em bilhões de barris), estimada, grau de certeza (%), custo de extração e valor do barril. é muito dinheiro, políbio.
estamos sendo governados pelo capital estrangeiro.
o pt roubou. sim. mas daí a entregar o petróleo para o capital estrangeiro, é outra conversa.
abraços.

Anônimo disse...

Estão dando de graça as áreas produtivas, tudo que o Tio Sam queria.
Engraçado, dizem que os EUA não tem nada a ver com o golpeachment...

Anônimo disse...

VENDIDO POR NINHARIA, PETRÓLEO DO PRÉ-SAL VIRA VEDETE INTERNACIONAL

O apetite das petroleiras internacionais em explorar o pré-sal brasileiro, que vem sendo vendido a preço de banana pelo governo Michel Temer, é mais que justificado em função da competitividade. O petróleo explorado nestas camadas tem o barril cotado entre US$ 30 e US$ 40, valor equivalente ao extraído em poços de áreas tradicionais, como o Oriente Médio, onde o preço do barril varia dentre US$ 20 e US$ 40. O detalhe é que um único poço do pré-sal pode produzir até 40 mil barris dias, equivalente a muitos campos inteiros do pós-sal.

De olho neste potencial, a expectativa é que ao menos 14 petroleiras multinacionais participem do próximo leilão de oito áreas da camada do pré-sal, localizadas entre Santa Catarina e o Espírito Santo.

Anônimo disse...

Mas o pré-sal não era invenção do PT que, diziam, não deu e nunca daria certo?

Anônimo disse...

TEMER COMEÇA A ENTREGAR PRÉ-SAL NESTA SEMANA
O governo de Michel Temer começa nesta semana a entregar o pré-sal brasileiro ao capital estrangeiro; estão marcados para esta sexta dois leilões de áreas importantes do pré-sal; será a primeira vez que petroleiras privadas poderão participar como operadoras em uma licitação sob regime de partilha, desde o fim da exclusividade da Petrobras; para especialistas, em reportagens veiculados no exterior, Brasil está entregando o petróleo "a preço de banana";dentre as 16 empresas habilitadas para as duas licitações, sete tentam estrear no pré-sal brasileiro: Petronas, BP Energy, Qatar Petroleum, CNODC, Ouro Preto (OP Energia), Ecopetrol e a ExxonMobil, que adquiriu oito blocos com potencial para o pré-sal, na 14ª rodada, mas ainda não possui descobertas confirmadas

Anônimo disse...

O Brasil investiu pesado em pesquisa e tecnologia nos últimos dez anos para viabilizar a exploração dos quase 80 bilhões de barris de petróleo no Pré-sal e agora vai entregar na bacia das almas as reservas e toda a expertise de exploração, enriquecendo empresas e países bem distantes do Brasil. O que sobrará deste nosso país depois que as aves de rapina forem embora?

Anônimo disse...

As pessoas não entendem que não se vai vender o petróleo.O que se vai permitir é que outras empresas explorem o petróleo e paguem a União por isso(tipo a empresa propõem a cada 10 litros de petróleo dou para o Brasil 3 litros).O que os partidos de esquerda falam é que as empresas irão mentir ao governo brasileiro a quantidade retirada e a quantidade paga, que até pode acontecer,mas existe fiscalização pra isso.

Anônimo disse...

As "pessoas" (isto é, os esquerdopatas) entendem perfeitamente que não se vai vender o petróleo. Mas depois de 70 anos vivendo às custas do "petróleo é nosso" os militantes comunóides querem que a população continue a sustentá-los sem trabalhar. A Petrobrás, que mal e mal conseguia produzir 50% do consumo brasileiro, tinha mais funcionários que qualquer uma das grandes companhias internacionais (Shell, Esso, BP). E a história da auto-suficiência é balela.

Justiniano disse...


Enfim a ExxonMobil viu que as máfias das empreiteiras saíram de campo e poderão investir sem risco de ter que pagar propinas (o que é proibido nas empresas americanas). Tem que abrir o mercado para mais empresas estrangeiras. Acabar com esse monopólio que prejudica aos brasileiros.

Anônimo disse...

Estrella: Brasileiro não vai mais trabalhar no pré-sal

O engenheiro Guilherme Estrella da Petrobras é o herói nacional que descobriu o pré-sal, uma das maiores reservas de petróleo do mundo:

Aos brasileiros que acreditavam que a venda de ativos da Petrobras atrairia mais investimentos e empregos para o país e para suas cidades, a notícia não é nada agradável.

A Medida Provisória 795/2017, que teve ontem (18) relatório aprovado em comissão especial, à toque de caixa, conforme queria o PMDB e o PSDB (governo de Michel Temer), determina a redução de tributos de empresas estrangeiras envolvidas nas atividades de exploração, desenvolvimento e produção de petróleo e gás natural.

Este é um pacote de isenções nunca visto antes! O Brasil será o país com uma das menores taxas de participação financeira na extração de suas riquezas naturais, de todo o mundo!

É quase como voltar a ser colônia. Na prática, a partir de 2022, o Brasil perderá cerca de 1 trilhão por ano, em tributos na área do petróleo.

Já em 2018, a previsão de renúncia de receita, decorrente desses incentivos fiscais, para as poucas empresas que já estarão em nosso território, é de cerca de R$ 16,4 bilhões!

Quem esperava emprego ou um reforço financeiro para sua cidade, com os Royalties do petróleo, pode tirar o cavalinho da chuva.

Os empregos gerados não contemplarão os brasileiros, pois os parlamentares que acompanham as matérias do setor, afirmam que as modificações acabarão com a política de CONTEUDO LOCAL e tendem a liberar, de vez, todos os incentivos fiscais, estimulando o conteúdo internacional.

Em outras palavras, as empresas trarão suas plataformas, com o seu próprio pessoal, para explorar nosso petróleo e não terão de pagar os impostos que hoje a Petrobras é obrigada a pagar, e nem precisarão gerar empregos no país..

Aos ingênuos que sempre discursaram por um governo liberal e de direita, acho que agora conseguiram o intento. Parabéns!