Ex-presidente do PP diz que deu propina de R$ 1 mi para Gleise, "no fio do bigode", a mando de Dilma.

O ex-deputado Pedro Corrêa (ex-PP) afirmou que propinas de R$ 1 milhão oriundas do suposto caixa de seu partido junto à Diretoria de Abastecimento da Petrobras à campanha de Gleisi Hoffmann (PT) ao Senado, em 2010, foram acertadas "no fio do bigode". A presidente do PT e seu marido, o ex-ministro Paulo Bernardo, são réus por corrupção passiva e lavagem de dinheiro no STF.

Pedro Corrêa teve sua delação homologada em agosto de 2017 pelo ministro do Supremo Edson Fachin. O ex-parlamentar, condenado a 30 anos na Lava Jato e a 7 anos e 2 meses no Mensalão, é testemunha de acusação em processo contra Gleisi. Ele depôs no dia 19 de setembro.

Eis o que disse Pedro Corrêa:

"Então isso, em 2010, Alberto Youssef, numa das reuniões para prestar contas, ele tinha dito que tirou um milhão de reais do caixa do partido, a mando de Paulo Roberto Costa, para entregar ao ex-ministro Paulo Bernardo. "Então fui reclamar de Paulo Roberto, e ele então me disse que tinha sido uma determinação da presidente Dilma, que mandou que ele ajudasse a Senadora Gleisi Hoffmann, e, por isso, ele mandou que se entregasse um milhão de reais. E, na verdade, a Senadora foi eleita e, logo depois, em janeiro, foi Ministra da Presidente Dilma.

23 comentários:

Anônimo disse...

1) Tem "audio" da entrega do dindin? Tipo o audio do aécio e do assessor especial do temer, ex-Dep Rocha Loudes e do mesmo partido o PMDB sobre as malas de dinheiro?

2) Tem "video"? Tipo aquele em que o assessor especial do Temer, ex- Dep Rocha Lourdes, do PMDB e do primo do aécio "pegando malas de dinheiro?

3) Tem "video" e apreensão de dinheiro no Apt do amigo de 30 anos do Temer, Geddel e do mesmo partido PMDB, onde foram apreendidos 51 milhões de reais?

Se não tem, não me venham com "chorulelas". Tomaaaaaaaa

Anônimo disse...

PASSARALHO REFLETE CRISE ESTRUTURAL NA GLOBO
Reprodução | Divulgação
Mudança nos cargos de direção de todas as publicações da Globo é fruto da queda acentuada da publicidade, que despencou no Brasil depois do golpe de 2016 — curiosamente, apoiado pela Globo; entre as mudanças anunciadas em comunicado do diretor-geral Infoglobo, Frederic Kachar, estão a saída de Ascanio Seleme do Globo, e a ascensão de Daniela Pinheiro no comando da revista Época, no lugar de Diego Escoteguy; outra mudança é a saída da revista de São Paulo para funcionar num mesmo prédio com o Globo, Extra e Expresso; nova estrutura será comandada pela jornalista Ruth de Aquino; Infoglobo, que em 2014 chegou a faturar R$ 1 bilhão, fechou o ano de 2016 com pouco mais de R$ 500 milhões, e se prepara pra fechar 2017 com um faturamento na casa dos R$ 400 milhões
23 DE OUTUBRO DE 2017 ÀS 10:50 // TV 247 NO YOUTUBE Youtube

Anônimo disse...

BRITO: NOBLAT E MIRIAM LEITÃO AGORA SÃO 'MADALENAS ARREPENDIDAS' DO GOLPE
Jackson Romanelli/Divulgação | Reprodução
O jornalista Fernando Brito estranha o repentino arrependimento dos colunistas do Globo Miriam Leitão e Ricardo Noblat em relação ao governo de Michel Temer, do qual foram apoiadores incontestes; "Os dois, amplificados pelo poder que lhes dão as Organizações Globo, são dos principais artífices da demolição de um governo que, com todos os defeitos que pudesse ter, não empurrava o país para um século atrás. Aos dois, certamente, não se pode negar o direito humano de mudar seus pensamentos, dede que nisso haja a sinceridade de reconhecer os erros e, neste caso, o atentado irresponsável à ordem democrática", diz Brito
23 DE OUTUBRO DE 2017 ÀS 12:13 // TV 247 NO YOUTUBE Youtube

Anônimo disse...

Enquanto isso.....

Os pobres não vêm ao caso:

FERNANDO BRITO · 23/10/2017 - O Tijolaço

No Washington Post, trecho da reportagem Associated Press, mostrando a vida dos milhões de brasileiros que perderam o trabalho, os benefícios sociais e a dignidade humana, o que, claro, “não vêm ao caso” quando se trata de “cortar gastos” com os pobres, jamais privilégios para os ricos.

Milhões retornam à pobreza no Brasil,
e desmorona a década do “boom”
Quando Leticia Miranda trabalhava entregando jornais nas ruas, ela ganhava cerca de US $ 160 por mês, apenas o suficiente para pagar por um pequeno apartamento que ela compartilhava com seu filho de 8 anos em um bairro pobre do Rio de Janeiro.

Quando perdeu seu emprego há seis meses, em meio à pior crise econômica do Brasil em décadas, Miranda não teve escolha senão passar para um prédio abandonado, onde várias centenas de pessoas já estavam vivendo. Todos os seus pertences – uma cama, uma geladeira, um fogão e algumas roupas – ficam numa pequena sala que, como todas as outras no prédio, tem janelas sem vidro. Os moradores se banham em grandes latas de lixo cheias de água e fazem o melhor para viver com o cheiro de montanhas de lixo e com porcos no centro do prédio.

“Eu quero sair daqui, mas não há para onde ir”, disse Miranda, de 28 anos, vestida com um top de biquíni, shorts e sandálias para suportar o calor. “Eu estou entregando curriculo para emprego e fiz duas entrevistas. Até agora, nada “.

Entre 2004 e 2014, dezenas de milhões de brasileiros emergiram da pobreza e o país foi frequentemente citado como um exemplo para o mundo. Os altos preços das matérias-primas do país e dos recursos petrolíferos recentemente desenvolvidos ajudaram a financiar programas de assistência social que colocassem dinheiro nos bolsos dos mais pobres.

Mas essa tendência foi revertida nos últimos dois anos devido à recessão mais profunda da história do Brasil e cortes nos programas de subsídios, aumentando o espectro de que essa nação do tamanho do continente perdeu o caminho para lidar com grandes desigualdades que remontam à época colonial.

“Muitas pessoas que saíram da pobreza, e mesmo aqueles que se aproximaram da classe média, caíram de volta”, disse Monica de Bolle, membro sênior do Peterson Institute for International Economics, com sede em Washington.

O Banco Mundial estima que cerca de 28,6 milhões de brasileiros sairam da pobreza entre 2004 e 2014. Mas o banco estima que, no início de 2016 até o final deste ano, 2,5 milhões a 3,6 milhões caíram abaixo da linha de pobreza de R$ 140 por mês, cerca de US$ 44 às taxas de câmbio atuais.

Esses números são provavelmente subestimados, disse Bolle, e eles não capturam o fato de que muitos brasileiros de classe média baixa que progrediram durante os anos de “boom” voltaram a se aproximar da pobreza.

“Todos os dias é uma luta para sobreviver”, disse Simone Batista, de 40 anos, com lágrimas escorrendo pelo rosto enquanto contava estar sendo cortada do Bolsa Família depois que nasceu seu bebê de apenas 1 ano. Ela quer apelar, mas não tem dinheiro suficiente para pagar o ônibus até a repartição que cuida disso no centro da cidade. Batista vive no Jardim Gramacho, em Duqye de Caxias, onde ela e centenas de outros moradores indigentes encontram comida através de lixo ilegalmente despejado na área.

Anônimo disse...

PRONTO! DESMORALIZARAM MAIS UMA VEZ O "FIO DO BIGODE"

TARSO,OLIVIO, AGORA GLEISE...MAS GLEISE TEM FIO DE BIGODE?

GLEISE SERIA DAQUELAS "GURIAS DE GRELO DURO" QUE LULA FALOU DE MADRUGADA NO TELEFONEMA QUE O MORO DIVULGOU?

FIO DE BIGODE , HEIN? NARIZ ARREBITADO,VOZ GRITANTE,AGRESSIVIDADE,TESTOSTERONA SOBRANDO?

Anônimo disse...

Fundador do MBL faz apologia ao tráfico, ao sexo grupal e ataca símbolos religiosos. Será alvo de protesto?

Mauro Donato - 23 out 2017 - DCM

O grupo fascistóide MBL, responsável pela onda moralista que já causou o fechamento da Queermuseu, o cancelamento de peças de teatro e instaurou um clima de paranóia em museus e patrocinadores acarretando em prejuízo e paralisações no meio cultural, poderia, em favor da coerência, pregar o boicote e até mesmo a extinção da banda Bonde do Rolê.

O líder do conjunto, Pedro D’Eyrot, é um dos fundadores do MBL. Esteve lá em Brasília, ao lado de seus coleguinhas kataguiris e também de Eduardo Cunha, botando pilha no golpe ao lado do grupo que arrota moral e bons costumes.

Mas seu lado artístico não coaduna com os ‘valores da família brasileira’.

Para convidar as pessoas a assistirem o clipe de sua música Vida Loka, ele postou nas redes sociais: “Vai ser o vídeo mais putanheiro e subversivo de toda a história dessa banda. Vai decorando a letra ‘Eu e meus amigo vamo abri uma padaria; não vai vendê pão pronto, só vai vendê FARINHA”.

De fato, a letra só fica nisso, e mesmo sucinta pode ser entendida como apologia ao tráfico, certo?

No vídeo sucedem-se cenas de ‘putaria’, consumo de drogas, sexo explícito, beijos entre gays, a dois, a três, festas de orgias.

Em determinado take, o anticorrupto Pedro D’Eyrot cospe no rosto de uma garota. O vídeo é proibido para menores no Youtube.

Em seus shows ao vivo, o Bonde do Rolê leva símbolos religiosos (católicos, veja você, amigo TFP) ao palco para servirem de cenário em atos libidinosos.

D’Eyrot (esq.) com os amigos do MBL em audência na Câmara
Quando esteve mais prolixo e conseguiu traçar mais do que as 3 linhas de Vida Loka, Pedro escreveu a letra de Tieta (até para dar título às músicas ele demonstra a que veio):

“Malandro tá ligado, cu de bêbado não tem dono

Deu mole no peludo eu viro, pego e como

Na hora do buraco eu não vejo diferença

Essa história de boiola pra mim é tudo crença

Se deu mole com a rosca

Chega aqui e leva vara

Vô entra até fedê merda

Cu é tudo igual, é buraco e rodela

Vale mais dois cu que uma buceta”

Como se vê, essa Tieta não tem nenhuma ligação com Jorge Amado ou Caetano Veloso.

Pedro D’Eyrot também poderia esclarecer se sente algum desconforto quando participa de festivais que recebem dinheiro da Petrobras, via Lei Rouanet, como o festival Bananada, produzido pela ‘A Construtora Música e Cultura’.

Nada menos que R$ 2,5 milhões foram captados para a edição que teve a participação do Bonde.

Por fazer parte da turma que tem na ponta da língua discursos mirabolantes de crítica a Chico Buarque e demais artistas ‘de esquerda’ que ‘mamam nas tetas’ de estatais, Pedro e companhia não deveriam ser fiéis ao liberalismo?

Não acham um despropósito utilizar dinheiro público para injetar em sem-vergonhices de artistas vagabundos?

Onde está a defesa do casamento e da família tradicionais, a proteção a crianças, adolescentes e jovens, cadê a luta contra o sexo pervertido e contra a ideologia de gênero?

Essa turma do MBL não vale o que come.

Anônimo disse...

“Projeto” de Eduardo Bolsonaro para a economia assombra comunidade científica internacional

23 out 2017 - DCM

Nobel pro rapaz.

Follow
Eduardo Bolsonaro ✔@BolsonaroSP
Meu projeto para economia: acabar com o roubo.

Alguém duvida que teríamos muitos bilhões p/ retornar aos cofres públicos?
8:24 PM - Oct 20, 2017 · Sao Paulo, Brazil

xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx

Qualquer bobagem serve quando se fala para imbecis do quilate dos coxinhas e paneleiros. Uma trajetória de 500 anos de miséria e vergonha mundial não se constrói à toa. O Brasil tem uma reserva técnica de estupidez e imbecilidade como nenhuma outra nação tem. A Avenida Paulista nos mostrou isto em profusão.

xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx
"meu programa de governo é muito simples: quero liderar." mussolini

Anônimo disse...

Lula lidera entre católicos e evangélicos, mas manipulação da Folha faz parecer o contrário:

23/10/2017 - 10:56 - Cíntia Alves

Jornal GGN - Folha de S. Paulo manipulou a última pesquisa Datafolha duas vezes para fazer parecer que a candidatura de Lula vem caindo entre um segmento da população: o que se declara evangélico. Mas os dados do estudo mostram o contrário: Lula lidera a disputa para 2018 mesmo neste nicho, deixando para trás Jair Bolsonaro, Marisa Silva e João Doria.

A primeira manipulação de Folha ocorre no título e no primeiro parágrafo da matéria "Evangélicos impulsionam Bolsonaro e Marina e derrubam Lula, diz Datafolha".

O título dá a entender os candidatos do PSC e Rede crescem enquanto Lula cai numa avaliação em que só o nicho evangélico é levado em consideração. Mas a afirmação é desmentida pelos dados da pesquisa Datafolha do final de setembro.
Entre evangélicos, Lula tem 32% das intenções de votos, seguido por Bolsonaro (21%) e Marina (17%). João Doria aparece com 7%.

Os cenários não incluiem Ciro Gomes (PDT) nem Geraldo Alckmin (PSDB). Por outro lado, constam nomes que não chegam a 2% da intenção de votos, como o de João Amoêdo, do Partido Novo.

No cenário em que Doria não disputa pelo PSDB, a distância entre Lula e Bolsonaro cai um pouco, mas o petista ainda lidera com 29% entre evangélicos, ante os 22% do deputado do PSC e os mesmos 17% de Marina. Embora tenha ejetado Doria deste quadro, Folha não inseriu pontuação possivelmente angariada por Alckmin.

Mesmo diante dos números, Folha força a barra e diz que "Bolsonaro e Marina disparam na preferência evangélica, com pelo menos 21% e 17% das intenções de voto, respectivamente."

O Folha fez para passar a impressão de que Lula foi "derrubado" nessa pesquisa foi comparar os índices do ex-presidente na pesquisa de opinião em nível nacional (onde ele aparece com 35% das intenções de voto) com essa pesquisa que só leva em conta o eleitorado que se disse evangélico (onde Lula, mesmo assim, lidera com 29%, de acordo com a própria Folha). Ou seja, uma diferença de 3 pontos percentuais entre duas pesquisas completamente distintas deu à Folha a licença poética de cravar que o "conforto" do petista em 2018 "vai minguar um bocado".

A segunda manipulação de Folha consiste em recortar e dar destaque ao nicho evangélico, que representa 32% da população brasileira, quando os católicos ainda são maioria: 52%.

Também entre católicos, Lula lidera a corrida presidencial para 2018. Curiosamente, com ainda mais vantagem do que entre os evangélicos. Nesse segmento, o petista tem preferência de 40%, seguido por Bolsonaro (13%), Marina (12%) e Doria (7%). Quando Doria não está no páreo, Lula continua com 40%, Bolsonaro fica com 14% e Marina, 11%. (...)

Anônimo disse...

É só o Políbio colocar alguma nota sobre as pilantragens dos chefões do petismo e já aparece esse mortadela pilantra enchendo a caixa de comentários com textos prontos dos blogs sujos.

Se liga, Políbio, chame alguém para moderar teus comentários e delete esse parasita inútil daqui.

Anônimo disse...

GOVERNO TEMER LIBERA MAIS DE R$ 11 MI PARA FUNDAÇÃO DE ANDRADA
José Cruz/Agência Brasil
Deputado Bonifácio de Andrada (PSDB), o relator que recomendou arquivar a segunda denúncia contra Michel Temer na Comissão de Constituição e Justiça, tem uma instituição universitária em Minas Gerais; a Fundação Presidente Antônio Carlos recebeu neste ano mais de R$ 11 milhões do governo federal, por meio de empréstimos e financiamentos para estudantes, de acordo com reportagem do jornal O Estado de Minas
23 DE OUTUBRO DE 2017 ÀS 15:32 // TV 247 NO YOUTUBE Youtube

Anônimo disse...

REVISTA ÉPOCA VAI SER SÓ DIGITAL EM 2018, DIZ SITE
Reprodução | Divulgação
"A revista Época deve se transformar apenas em 1 veículo digital em 2018. O formato impresso nunca rendeu o que o Grupo Globo esperava e a medida visa a reposicionar o título e reduzir os custos da operação", informa o site Poder360, do jornalista Fernando Rodrigues
23 DE OUTUBRO DE 2017 ÀS 16:46 // TV 247 NO YOUTUBE Youtube

xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx

vai virar uma espécie de antagonista da vida

Anônimo disse...

Fumou coisa estragada:

23 de outubro de 2017 - Blog do esmael

A turma da Folha fumou coisa estragada, não há outra explicação para a contraditória manchete do jornalão “Evangélicos impulsionam Bolsonaro e tombam Lula”.

O diabo é que os próprios gráficos na matéria (vide a foto acima) desmentem o título anti-PT, pois, de acordo com o Datafolha, Lula lidera em todos os cenários — inclusive entre os evangélicos.

A Folha pode torcer por quem ela quiser, mas torturar as informações e os dados com o objetivo de alterar a realidade factual é canalhice ou realmente a turma do jornalão está fumando coisa estragada.
“Jornalismo mal-intencionado ou incompetente?”, reagiu o deputado estadual Péricles Mello (PT-PR).

Se o distinto leitor quiser conferir a barbaridade com os próprios olhos basta clicar aqui.
Vai vendo como serão as eleições de 2018.

Anônimo disse...

Essa doeu....... Nem o Procurador D'lagnol, muito menos o juiz moro vão engulir esse "171", do "foi de bigode" é a mesma coisa que dizer eu, lider do PP na Camara "arrecadeio 1 milhão" e ao inves de distribuir para meu partido PP, deu para Gleise Hoffman do PT, que era do Partido do governo.

Tá mais parecido com o Presidente do PTB, Roberto Jefferson que recebeu 4,5 milhões para distribuir para os membros do partido e embolsou a quantia.

Anônimo disse...

Tem que manter isso.

Anônimo disse...

O QUE VEIO A FECHAR COM O QUE DISSE TAMBEM ODEBRECHT ELE JA DISSE TAMBEM QUE DILMA PEDIU A ELE PESSOALMNETE 12 MMILHOES E TAMBEM PEDIU GRANA P A CAMPANHA DA AMANTE- A GLEISE QUE É RÉ

Anônimo disse...

ELA JA É RÉ O MARIDAO CORNO DELA O LADRAO DE APOSENTADOS TAMBEM É REU- O TAL PAULO BERNARDO QUE ERA MINISTRO DA BANDILMA FAMILIA DE LADROES NOJENTOS CADA BURACO UMA MINHOCA PARTIDO DAS TREVAS

Anônimo disse...

TEMEROSO ERA VICE DA BANDILMA- SUJO POR ISTO FOI ESCOLIDO DE VICE MUITOS DO PMDB AGIRAM ANOS ROUBANDO COM O PT NANICO ERAM GOVERNO

Anônimo disse...

Turma de Dallagnol não entrega originais de documentos questionados por Lula:

23/10/2017 - 16:45

Jornal GGN - Os procuradores de Curitiba não possuem os originais de documentos que a defesa de Lula questionou em um incidente de falsidade. A informação consta em uma resposta oficial [em anexo] encaminhada por Deltan Dallagnol ao juiz Sergio Moro no último dia 20. Segundo o líder da força-tarefa da Lava Jato, os originais estão em um banco de dados na Suécia, onde supostamente a Odebrecht mantém registros de pagamentos de propina.

"(...) informa o Ministério Público Federal que os documentos constantes do evento 999 da Ação Penal, como já exposto por diversas vezes, foram extraídos diretamente de cópia dos discos rígidos relacionados ao sistema 'Drousys', fornecidos pela Odebrecht S/A. que se encontravam armazenados em servidor localizado na Suécia - cf. Relatório Técnico n' O11/2017-SPEA/PGR (evento lO, OUT2, destes autos) e Relatório de Análise n' 7/2017 (evento 999. ANEX02)", escreveu Dallagnol.

Os documentos questionados pela defesa de Lula são dois recidos bancários idênticos, porém, assinados de maneiras diferentes - um dos papéis, apresentado pelo Ministério Público, tem duas assinaturas, ao passo em que a outra versão, de Marcelo Odebrecht, possui apenas rúbrica.

Moro determinou que a turma de Dallagnol informasse "se ainda existem os documentos originais, antes da digitalização e inserção no sistema de contabilidade paralela da Odebrecht. Ee, se positivo, para que os apresentem na Secretaria do Juízo em cinco dias."

O incidente de falsidade de Lula contra a Lava Jato foi apresentado antes de um pedido formal, por parte de Dallagnoil, para que a defesa do ex-presidente entregasse as versões originais de comprovantes de pagamento de aluguel devido a Glaucos da Costamarques. A defesa informou a Moro que possui os originais e pediu algumas providências para entregá-las. Moro negou e determinou a apresentação no prazo de 48 horas, que já expirou.

Anônimo disse...

Para Moro, mídia deve ser usada "independentemente da culpa" do investigado:

23/10/2017

Jornal GGN - O juiz Sergio Moro admitiu ao Estadão, ainda que indiretamente, que a operação Lava Jato expõe os investigados na mídia "independentemente da culpa", apenas para "contrabalançar" o suposto "poderio" ou influência que essas figuras poderiam exercer com o intuito de fugir do processo.

A declaração foi dada em entrevista divulgada nesta segunda (23), para promover um fórum sobre Lava Jato e Mãos Limpas promovido pela Estadão. Moro vai palestrar nesse evento, ao lado do procurador de Curitiba Deltan Dallagnol e de magistrados italianos.

Na entrevista, Moro foi questionado sobre como a Mãos Limpas se diferencia da Lava Jato. Ele respondeu apontando os fatores imprensa e opinião pública como o possível ingrediente do sucesso da operação brasileira. É quando ele sugere que se o Judiciário não agir para "contrabalançar" o poderio dos investigados, estes últimos tentarão intervir para "gerar impunidade".

"A Mãos Limpas ilustrou que, sem o apoio da imprensa e da opinião pública, é muito difícil a condução de processos contra criminosos poderosos. Estes têm poder político e econômico que pode ser utilizado indevidamente para gerar impunidade, independentemente da culpa", disparou. "Então, é necessário contrabalançar esse poderio, não só com a ação firme da Justiça, mas com o apoio da opinião pública", disse Moro.

Leia a entrevista completa aqui. (...)

Anônimo disse...

Temer anistia multas ambientais para ganhar votos dos ruralistas:

FERNANDO BRITO · 23/10/2017 - O Tijolaço

Michel Temer assinou decreto perdoando até 60% das multas ambientais ainda não pagas.

Como todos os programas de anistia de multas feitos neste país, administrativas ou tributárias, adota-se uma linearidade que é obtusa e , sobretudo, imoral.

60% em uma multa de R$ 1 mil a um pequeno produtor que manejou mal seu sítio e desviou um rego d’água, não chega a ser um absurdo, desde que ele restaure, no possível, o erro que cometeu.

60% de multa de R$ 10 milhões em um megaempresário rural que devastou centenas ou milhares de hectares de mata, é outra, bem diferente.

Os ambientalistas sumiram.

Mas os ruralistas vão aparecer na votação que absolverá o presidente.

Marina Silva limitou-se a um tímido protesto no Facebook onde o mais interessante é sua – ou da sua assessoria – ao darwinismo: “O ambiente social e institucional do Brasil mudou e, como na seleção natural de Darwin, excluirá da sociedade e da política esses organismos inadaptados e inaptos para viver no ambiente da decência, da verdade, da legalidade e da democracia.”

A devastação, neste país, não vem do aproveitamento de sua riqueza agrícola e mineral, vem da forma com que é feita, porque esta forma é carente de direção estatal e , portanto, vinculada à lógica individual ou empresarial.

É ma ausência do Estado, como prova a anistia das multas, que se corrói a preservação ambiental, reproduzindo o “desvaste hoje, que a gente acerta depois” em benefício do ganho privado.

E os hipócritas do ambientalismo vêem numa estrada, numa represa, num projeto de benefício coletivo dano ao ambiente.

Frequentemente, são, sim, porque a vida humana moderna é devastadora em matéria de consumo de natureza. Mas ainda têm, pelo que são, algum nível de controle e mitigamento.

Mas a devastação no Brasil é empresarial.

E esta, como se vê desde sempre, tem na anistia de Temer só mais um de seus capítulos.

Anônimo disse...

Moro e sua agenda de “não-candidato”:

FERNANDO BRITO · 23/10/2017 - O Tijolaço

naosoucandidatoanada

Depois da entrevista à Globonews jurando de pés juntos que não é candidato, o Dr. Sérgio Moro cumpre, com intensidade exemplar, sua agenda de “não-candidato”.

Hoje o Estadão, que dá manchete em seu site para mais um dos infindáveis seminários sobre como a “Operação Mãos Limpas” – Sai Berlusconi, miei cari? – que vai acontecer amanhã (!!), aproveita para publicar uma entrevista do não-candidato, onde ele diz que a imprensa virou instrumento do que acha ser Justiça e que “a vergonha está do lado de quem se opõe à Lava Jato”.

Generosamente, reconhece que há exceções, de pessoas que o criticam e não estão metidas em corrupção. Mas, para usar sua famosa frase, estes “não vêm ao caso”:

Quem mais importa são os amigos e, ainda que sob a sombra do retrocesso, são eles inúmeros.

Quem adula, amigo é, dizem os poços de vaidade.

Anônimo disse...

Petralha detectado

Anônimo disse...

NASSIF DESMONTA ACUSAÇÃO DO CASO BNDES-CASINO

Jornalista Luis Nassif, do Jornal GGN, avalia que a acusação da Polícia Federal contra o governador Fernando Pimentel de ter beneficiado o grupo Casino, ao impedir que o BNDES financiasse a fusão entre o Pão de Açúcar não resiste à mínima análise mais detalhada; "Os fatos – na época, a mídia se vangloriou do feito de ter impedido a operação BNDES-Abílio Diniz. O maior responsável pelo fracasso da fusão foi a imprensa, mais especificamente as Organizações Globo, em editorial e através de seus colunistas. Mas a lógica midiática funciona assim: a mídia tem o mérito de ter impedido a fusão entre Pão de Açúcar-Carrefour, e Pimentel tem a culpa de ter impedido a fusão entre Pão de Açúcar e Carrefour", diz Nassif
24 DE OUTUBRO DE 2017 ÀS 14:56 // TV 247 NO YOUTUBE Youtube