Marcos Valério recebe proteção para contar quem matou Celso Daniel

Condenado a 37 anos e cinco meses de prisão pelo envolvimento no chamado 'mensalão', o empresário Marcos Valério foi transferido na noite de segunda-feira, a pedido da Polícia Federal, da penitenciária Nelson Hungria, em Contagem, para a Apac de Sete Lagoas, na região Central de Minas Gerais

O objetivo, segundo a PF, se deu "a fim de concluir o procedimento de colaboração premiada sob análise do Supremo Tribunal Federal". A decisão ignora formalidades e filas de transferência de presos sob o argumento de que Valério é "possuidor de inúmeras informações de interesse da Justiça e da sociedade brasileira sobre fatos ilícitos diversos que envolvem a República".

Na delação, ele prometeu contar como ajudou o PT no Mwensalão e quem matou o ex-prefeito Celso Daniel.

Tambném vai implodir o PSDB de Minas, no caso do Mensalão Mineiro.

14 comentários:

Anônimo disse...

Políbio,

Será que a mesma turma que mandou matar o Celso Daniel, também mandou matar o meu irmão MARCELO CAVALCANTE?

Eu sempre desconfiei disso, mas a mídia marrom-glacê do Rio Grande do Sul preferiu dar ouvidos à fantasiosa versão da principal suspeita, mas vergonhosamente intitulada pela mídia gaúcha de viúva.

Por que será que nunca quiseram saber da versão dos verdadeiros familiares de Marcelo Cavalcante?

Marcos Cavalcante

Anônimo disse...

VAMOS VER SE O CAREQUINHA CONTARÁ TODOS OS PODRES DO PT E SE OS MINISTROS PETISTAS DO STF (80%) IRÃO CONFIRMAR OU NEGAR A DELAÇÃO!

Anônimo disse...

VALÉRIO É TRANSFERIDO E IRÁ DELATAR TUCANOS:

Condenado a 37 anos e cinco meses de prisão pelo envolvimento no chamado 'mensalão', o empresário Marcos Valério foi transferido na noite de segunda-feira 17, a pedido da Polícia Federal, da penitenciária Nelson Hungria, em Contagem, para a Apac de Sete Lagoas, na região Central de Minas Gerais; o objetivo, segundo a PF, se deu "a fim de concluir o procedimento de colaboração premiada sob análise do Supremo Tribunal Federal"; a decisão ignora formalidades e filas de transferência de presos sob o argumento de que Valério é "possuidor de inúmeras informações de interesse da Justiça e da sociedade brasileira sobre fatos ilícitos diversos que envolvem a República"; na delação, ele promete entregar tucanos como os ex-governadores de Minas Aécio Neves (hoje senador) e Eduardo Azeredo.

19 DE JULHO DE 2017

Minas 247 - O empresário Marcos Valério Fernandes de Souza, condenado a 37 anos e cinco meses de prisão pelo envolvimento no chamado escândalo do 'mensalão', foi transferido na noite de segunda-feira 17 da penitenciária Nelson Hungria, em Contagem, para a Apac de Sete Lagoas, na região Central de Minas Gerais.

O pedido partiu da Polícia Federal, e se deu "a fim de concluir o procedimento de colaboração premiada sob análise do Supremo Tribunal Federal", conforme expresso na decisão do juiz Wagner Cavalieri, titular da Vara de Execuções Criminais da Comarca de Contagem, documento ao qual o jornal O Tempo, de Minas, teve acesso.

A decisão ignora formalidades e filas de transferência de presos sob o argumento de que Valério é "possuidor de inúmeras informações de interesse da Justiça e da sociedade brasileira sobre fatos ilícitos diversos que envolvem a República". Segundo reportagem do Globo, o acordo de delação já foi fechado com a PF e aguarda agora o processo de homologação pelo STF.

Em sua delação, ele promete entregar tucanos como os ex-governadores de Minas Aécio Neves (hoje senador) e Eduardo Azeredo. Em depoimento prestado em abril deste ano, na ação em que é réu por participação no mensalão mineiro, ele chegou a contar que os tucanos teriam medo do vazamento das informações do esquema.

Segundo Valério, muitas pessoas não queriam que ele fizesse um acordo de colaboração com a Justiça. "Muita gente trabalhou para que eu não fizesse. 'N' manobras foram feitas", disse.

As denúncias do empresário têm relação com estatais mineiras receberem pagamentos ilegais para patrocinar eventos esportivos que teriam sido usados para irrigar a campanha de Azeredo, já condenado a mais de 20 anos de prisão em primeira instância. Ele também confirma esquemas de desvios na estatal de Furnas, que atinge diretamente Aécio Neves, e no Banco Rural

PS: Senador Aécio, PSDB, ex-candidato derrotado a Presidencia 2014 pelo PSDB já foi delatado inúmeras vezes, já foi gravado, filmado, sua irmã e primo já foram flagrados recebendo dinheiro de propina e ele sempre é salvo. A justiça do Brasil é como o Ibama, que protege aves em extinção, no caso os tucanos, ou é mentira que não tem tucano preso?

Anônimo disse...

Quem ganha com isso: por que a Lava Jato desenterrou o caso Celso Daniel:

Kiko Nogueira - 2 de abril de 2016 - DCM

Em sua escalada acusatória na Lava Jato, Sergio Moro desenterrou um velho fantasma do PT: o de Celso Daniel, o ex-prefeito de Santo André.

Na opinião de Moro, o empresário Ronan Maria Pinto, condenado por corrupção e extorsão na prefeitura da cidade, fazia parte de um lance maior.

“É possível que este esquema criminoso tenha alguma relação com o homicídio, em janeiro de 2002, do então prefeito de Santo André, Celso Daniel, o que é ainda mais grave”, afirmou o juiz.

Ronan, liderança do setor de ônibus e dono do jornal Diário do Grande ABC, foi preso por ser suspeito de ter recebido 6 milhões de reais, em 2004, por intermédio do pecuarista João Carlos Bumlai, a pedido do PT.

A tese é de que o dinheiro pode ser oriundo de propina para que ele não revelasse detalhes da morte de Daniel, que complicariam o partido.

É impressionante a quantidade de vezes em que Moro levanta histórias gravíssimas falando em hipóteses (“é possível”, “tudo indica” etc).

O episódio tem enorme ressonância por razões óbvias. Daniel pode ter sido vítima de crime político? Sim. Pode ser outro motivo? Sim.

Vale também, para ficar num caso recente, para o policial civil Lucas Gomes Arcanjo. Lucas foi autor, em 2014, de inúmeros vídeos denunciando Aécio. Foi encontrado em casa, em Belo Horizonte, enforcado com uma gravata.

Segundo a família, é suicídio. Cabe outra explicação? Sempre cabe.

Celso Daniel foi morto depois de sequestrado e torturado. Estava com o segurança Sergio Soares da Silva, o Sombra.

Em julho daquele ano, a Polícia Civil de São Paulo encontrou os assassinos, uma quadrilha comandada por Ivan Rodrigues da Silva, o “Monstro”, que atuava na favela Pantanal, na divida com Diadema.

Monstro era conhecido da Divisão Anti-Sequestro por ocorrências similares. A polícia concluiu que se tratou de crime comum praticado por seu bando.

Mas o caso, dada a repercussão, seria reaberto outras vezes. A pedido da família, o Ministério Público decidiu retomá-lo em agosto de 2002. Irmãos de CD acreditavam que José Dirceu e Gilberto Carvalho se beneficiavam do propinoduto de Santo André.

Nelson Jobim, então ministro da Justiça de FHC, não considerou o processo consistente. Em 2006, João Francisco Daniel se retrataria com Dirceu. Bruno Daniel nunca abandou a teoria da chantagem.(...)

Celso Daniel estava cotado para assumir o ministério da Fazenda se Lula vencesse. Licenciara-se da prefeitura de São André.

O delegado Marcos Carneiro Lima, que trabalhou no caso e se especializou em quadrilhas de sequestradores, declarou ao El Pais que não há ligação entre Ronan Pinto e Monstro. “É uma leitura que está sendo conveniente neste momento”, diz.

Para Lima, existe um viés político num tema amplamente apurado. “A quem interessa?”, indaga ele. Cinco inquéritos foram abertos e todos chegaram à mesma conclusão.

A pergunta de Lima é retórica. Qualquer cidadão com mais de 12 anos sabe quem se beneficia desse barulho.

Como era inevitável, há uma quantidade imensurável de teorias conspiratórias, todas obviamente culpando os mesmos de sempre. Bastou Moro dar seu palpite e elas reapareceram com toda força.

Como o assunto é complexo, acontecem situações esdrúxulas: conspiradores acreditam simultaneamente em versões contraditórias. As pessoas que acreditam que Celso Daniel foi metralhado a mando de José Dirceu também são propensas a crer que Daniel forjou sua própria morte.

Há perguntas não respondidas? Sim. Sempre haverá pontas soltas e detalhes sem explicação — assim como existem no supracitado suicídio de Lucas Arcanjo, no acidente fatal de JK ou no infarto de João Goulart. (...)

Com Celso Daniel, porém, o interesse da Lava Jato está relacionado a causar som e fúria, mais do que elucidar o caso. A questão, como apontou o delegado Lima, é: “Cui bono?” Quem ganha com isso? (...)

PS: Resumo da Opera: Moro arquiva o caso, nem ele aguentou.

Justiniano disse...

Esse sabe de muitos rolos incluindo aquele do encontro entre deputado petista Paulo Pimenta, vice-presidente da CPI do Mensalão, reuniu-se na garagem do Senado com o empresário Marcos Valério, na madrugada do dia 10 de agosto, logo após a sessão da CPI. O encontro suspeito ocorreu em um carro e foi flagrado e denunciada pelo deputado Júlio Redecker, do PSDB.

O recado de Pimenta para Valério foi acidentes acontecem na vida!!

Anônimo disse...

Agora é tarde, carequinha! Por que não delatou antes? Se f*d* agora! Apodreça atrás das grades e apodreça no fundo da masmorra! Pague o justo pelos seus atos e omissões. Não tenho pena desses ratos que corroeram uma nação inteira!

Anônimo disse...

ele é o unico mensaleiro que ficou preso pois recebeu milhoes do pt pra se calar coo ele disse e tambem ja disse que quem matou o celso daniel foi lurapio tem o video dele no you tube ele tambem ja disse que temia abrir a boca e ser assassinado.... tambem tem outro video em que o paulo roberto ex diretor da petrobras que foi preso e agora ta em prisao domiciliar era chegado a lurapio chamado por ele de paulinho sim paulo roberto fala no video que todos sabem que quem matou o celso daniel foi o pt

Anônimo disse...

Fala coisa ruim, abre essa boca...entrega todos esses políticos safados que roubam o país...!!!!

Anônimo disse...

O Marcos Valério era o homem do dinheiro, e foi o Boi de Piranha da era do mensalão, protegeu o Lula e toda a cambada corrupta congressista, pensando que só iria pegar uns meses de cadeia, mas sifu...eheheheh...mais tarde o PT para aperfeiçoar o esquema de corrupção, colocou as empreiteiras na jogada elevando o assalto aos cofres públicos na casa dos bilhões.

Anônimo disse...

Se Marcos Valério contar quem era o CHEFE do Mensalão e da gangue que matou o Prefeito petista Celso Daniel
valerá a Delação Premiada .!!!

Anônimo disse...

Se ele sabia, deve ser punido por não ter dito até hoje

Anônimo disse...

No Brasil os casos só vem a tona quando estão para prescrever.
FHC, por exemplo, já foi absolvido dos seus inúmeros crimes.

Anônimo disse...

APÓS MAIS DE DOIS ANOS, JUSTIÇA MINEIRA MARCA JULGAMENTO DE AZEREDO: 8 DE AGOSTO:

Ex-governador do Minas Gerais Eduardo Azeredo (PSDB) foi condenado em primeira instância a mais de 20 anos de prisão pelos crimes de peculato e lavagem de dinheiro, no processo do mensalão tucano; o tribunal decidirá se mantém ou ou não a sentença; mesmo que a prisão seja determinada pela Justiça, Azeredo não deverá ficar mais que um ano e um mês na prisão, pois completará 70 anos no dia 9 de setembro do próximo ano.

20 DE JULHO DE 2017

Minas 247 - O Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJMG) marcou para o dia 8 de agosto a data do julgamento do recurso do ex-governador do estado Eduardo Azeredo (PSDB), condenado em primeira instância a mais de 20 anos de prisão por peculato e lavagem de dinheiro, no processo do mensalão tucano.

O tribunal decidirá se mantém ou ou não a sentença, após mais de 2 anos com o processo parado. De acordo com a acusação, quando tentou a reeleição em 1998, Azeredo, derrotada pro Itamar Franco naquele ano, desviou recursos de estatais do governo para financiar sua campanha. O esquema teria contado com a participação do publicitário Marcos Valério.

Mesmo que a prisão seja determinada pela Justiça, o ex-governador não deverá ficar mais que um ano e um mês na prisão, pois ele completará 70 anos no dia 9 de setembro do próximo ano. O Código Penal Brasileiro permite que, nessa idade, o tempo de prescrição do crime caia pela metade. O prazo cairia de 16 anos para oito, prazo é inferior aos 11 anos que se passaram entre o crime (1998) e a denúncia, apresentada em 2009.

É necessário o processo chegue até setembro do ano que vem já transitado em julgado para o que o tucano cumpra toda a pena. Tal possibilidade deve não se concretizar, porque ele pode apresentar recursos no Superior Tribunal de Justiça (STJ) e no Supremo Tribunal Federal (STF).

A vida de Azeredo, no entanto, pode ficar ainda mais complicada, porque a Polícia Federal aceitou a delação premiada de Marcos Valério, que também pode ser homologada pelo STF.

PS: Dia 08 de agosto de 2017, data cabalista, digo, calculada para que com um pedidinho de vista + o Recurso, uma amaradinha aqui-outra ali, tempo suficiente para que o ex-Gov, Ex-Senador, Ex Dep Eduardo Azeredo complete os 70 anos e não vá preso. Como é bão ser Tuncano, não vai para a cadeia nem depois de condenado.

Anônimo disse...

Vai falar...diminuir a pena...e os delatados..se políticos forem..nada vai acontecer...não serão presos...e o povo irá reelege-los.