Artigo, Marcelo Aiquel - A cegueira dos fanáticos

- Marcelo Aiquel é advogado, RS.

É simplesmente assombrosa a hipocrisia dos “mortadelas” com relação aos fatos recentes do nosso país.
         
Eles (os “mortadelas”) seguem fielmente os passos do conhecido Decálogo de Lênin, onde o falecido ditador comunista quis ensinar como se prepara uma revolução para a tomada do poder. Lição copiada e imitada aqui na América Latrina, pelos líderes bolivarianos.
         
No Brasil, sob a batuta do mestre guerrilheiro José Dirceu, tentou-se implantar tais regras e, se não houve sucesso, o crédito é todo da direita. A mesma direita que eles (os “mortadelas”) adoram apelidar de coxinha, entre outros adjetivos menos usados.

CLIQUE AQUI para ler mais.

11 comentários:

Anônimo disse...

Coitados! Essa gente sofre de esquerdopatia aguda, junto vem a cegueira que não enxerga nem os corruptos e nem a corrupção. Triste fim dos mortadelas.

Anônimo disse...

DORIA 2018

Anônimo disse...

Nao tenha pena dos mortadelas !!!!!pois eles depenarao vcs!!!!!Sao psicopatas!!!!

Anônimo disse...

EXCLUSIVO: Os documentos do Exército pedindo a expulsão de Bolsonaro da Escola de Oficiais após plano terrorista:

31 de julho de 2017 - DCM

Dos 11 inquéritos, ações penais, mandados de injunção e petições sobre o deputado federal Jair Bolsonaro que estão ou já passaram pelo Supremo Tribunal Federal (STF), nenhum foi mais explosivo e preocupante para suas pretensões políticas do que o julgamento no dia 16 de junho de 1988 no Superior Tribunal Militar (STM).

Bolsonaro era acusado de transgressão grave ao Regulamento Disciplinar do Exército (RDE). Ele dera entrevista e publicou artigo na revista Veja, em 1986, com comentários nada amigáveis ao governo federal.

Também planejou ações terroristas. Iria explodir bombas em quartéis do Exército e outros locais do Rio de Janeiro, como na principal adutora de água da capital fluminense, para demonstrar insatisfação sobre índice de reajuste salarial do Exército.

Diz o relatório secreto do Centro de Inteligência do Exército (CIE), nº 394, de 1990, com 96 páginas, ao qual o DCM teve acesso, e que são publicados pela primeira vez (veja abaixo):

“Punido por ter elaborado e feito publicar, em uma revista semanal, de tiragem nacional, sem conhecimento e autorização de seus superiores, artigo em que tece comentários sobre a política de remuneração do pessoal civil e militar da União: ter abordado aspectos da política econômica e financeira fora de sua esfera de atribuição e sem possuir um nível de conhecimento global que lhe facultasse a correta análise; por ter sido indiscreto na abordagem de assuntos de caráter oficial, comprometendo a disciplina; por ter censurado a política governamental; por ter ferido a ética, gerando clima de inquietação no âmbito da OM (Organização Militar) e da Força e por ter contribuído para prejudicar o excelente conceito da tropa paraquedista no âmbito do Exército e da Nação (NR 63, 65, 66, 68 e 106 do anexo I, com agravantes do NR 2 e letra “C” NR 6 do artigo 18, tudo do RDE, fica preso por 15 (quinze) dias”.

O ato grave de indisciplina provocado por verborragia sua e de sua esposa, que falou à repórter da Veja sobre o plano de explodir bombas, culminou em 15 dias de cadeia para o então capitão. Mas só. (...)

PS1: Ou seja, Boçalnato passou a vida toda mamando nas tetas do estado. Antes no exército e a partir de 88 como político, quando se elegeu vereador. É um sanguessuga e quem gosta dele tem problemas mentais.

PS2: Falando em mamador é incrível como tem 'liberal' sugando o estado brasileiro quando poderiam usar de seus dotes capitalistas abrir uma empresa e ficar rico do dia pra noite.

Anônimo disse...

Gilmar entra no ninho tucano

Prefake analisou "circunstâncias"

31/07/2017 - Conversa Afiada

Convenção partidária não foi nos 7000 m²: foi no palácio fascista dos Matarazzo, no momento ocupado por aquele que o Santo do Alckmin vai comer com hóstia e tudo.

Inútil.

Porque o próximo presidente paulista tomará posse em 3017.

Da Exame:

O prefeito João Doria se reuniu na tarde desta segunda-feira, 31, em seu gabinete na Prefeitura de São Paulo, com o ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Gilmar Mendes, que também preside o Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

A conversa durou cerca de 45 minutos.

“Foi uma análise geral de circunstância. A gente sempre conversa. Fizemos uma análise da conjuntura”, disse o ministro, na saída do encontro, sem dar mais detalhes.

Os dois negaram ter conversado sobre a votação da admissibilidade da denúncia contra o presidente Michel Temer, que será votada na Câmara, próxima quarta-feira, 02.

Gilmar Mendes agradeceu a participação de Doria em um encontro promovido por ele em Portugal e convidou o prefeito para fazer uma palestra no Instituto de Direito Público, do qual é fundador.

O rapaz dos quadrinhos disse...

Tem cegos de direita que defendem inclusive que uma pessoa em um automovel pode atropelar uma duzia de ciclistas so por "se sentir ameaçado"

Unknown disse...

Doria é PSDB, é Fabiano, é FHC que não acabou com lula no mensalão . Bolsonaro 2018 até agora...

Anônimo disse...

CEGUEIRA???? NADA!!!! Sempre foram "coisas ruins" que, com gente igual a eles
no governo ficaram com a corda toda e puderam enfim, sem máscaras, mostrar ao
mundo a que vieram e para o que servem!

Anônimo disse...

JANOT: AÉCIO SOLTO É PRIVILÉGIO ANTIRREPUBLICANO:

O terceiro pedido de prisão formulado pelo procurador-geral Rodrigo Janot contra o senador Aécio Neves (PSDB-MG), responsável direto pelo golpe que destruiu o Brasil e acabou flagrado num esquema de R$ 2 milhões em propinas, toca num ponto relevante; segundo Janot, quando determinados personagens são colocados acima da lei, como se fossem intocáveis, evoca-se a ideia de um "privilégio antirrepublicano"; indiferente às denúncias, Aécio abriu uma crise no PSDB ao retomar o comando do partido para determinar que os tucanos fechem de vez com o golpe de Michel Temer; tanto ele como Temer estão entre os três políticos mais repudiados do País, com rejeições de 90% e 94%, fazendo companhia a Eduardo Cunha; leia a íntegra do pedido de Janot.

1 DE AGOSTO DE 2017

247 – O terceiro pedido de prisão formulado pelo procurador-geral Rodrigo Janot contra o senador Aécio Neves (PSDB-MG), responsável direto pelo golpe que destruiu o Brasil e acabou flagrado num esquema de R$ 2 milhões em propinas, toca num ponto relevante.

Segundo Janot, quando determinados personagens são colocados acima da lei, como se fossem intocáveis, evoca-se a ideia de um "privilégio antirrepublicano".

Indiferente às denúncias, Aécio abriu uma crise no PSDB ao retomar o comando do partido para determinar que os tucanos fechem de vez com o golpe de Michel Temer (saiba mais aqui).

Tanto ele como Temer estão entre os três políticos mais repudiados do País, com rejeições de 90% e 94%, fazendo companhia a Eduardo Cunha (leia aqui). (...)

PS: Esse pode pedir música no Fantástico é tri denunciado. Mas.... é "inimputável", portanto não pode ser processado e nem condenado, como todo tucano.

Anônimo disse...

Por falar em fanáticos, onde anda os vagabundos que foram as ruas contra a corrupção? Opsssss........ esses fanáticos não foram as ruas contra a corrupção, eles foram as ruas e bateram panelas para derrubar a Presidente legitimamente eleita "como cabeça de chapa" e o traíra na condição de "vice".

Anônimo disse...

Ao anônimo das 11:42:
O pessoal foi às ruas para tirar uma presidente (1º) absolutamente incompetente que quebrou a economia do país e (2º) também medularmente corrupta. Mas, evidentemente, você não entende isso.
Se a situação lhe incomoda tanto, faça o seguinte: junte sua turma e programem uma manifestação. Reclamar que os outros não protestam é patético.