Polícia Federal, Brigada e Polícia Civil denunciam desmonte da segurança pública no RS

CLIQUE AQUI para ler a carta aberta. 

As entidades representativas dos servidores da Segurança Pública no Rio Grande do Sul estiveram reunidas na manhã desta quarta-feira na sede do Sindicato dos Policiais Federais do RS, ocasião em que foi divulgada uma Carta Aberta ao Povo gaúcho para denunciar a crise e o desmonte do setor no Estado.

Estiveram presentes nove entidades, entre as quais: Sindicato dos Policias Federais do RS – SINPEF/RS, Sindicato dos Policiais Rodoviários Federais do RS – SINPRF/RS, UGEIRM-Sindicato dos Inspetores, Escrivães e Investigadores de Polícia do RS – UGEIRM,  Associação Beneficente Antônio Mendes Filho, dos Servidores de Nível Médio da Brigada Militar e Bombeiros Militares do RS – ABAMF, Associação dos Sargentos, Subtenentes e Tenentes da Brigada Militar e Bombeiros Militar do RS – ASSTBM, Associação dos Oficiais Subalternos da Brigada Militar – AOFSBM, Sindicato dos Servidores Penitenciários do RS – AMAPERGS, Sindicato dos Servidores do Instituto-Geral de Perícia do RS – SINDIPERICIAS e Associação de Bombeiros do RS – ABERGS.

Mesmo na esfera federal, os policiais federais e os policiais rodoviários federais se envolveram na discussão, considerando que o sistema policial é integrativo, com reflexos significativos em suas ações, decorrentes do caos que se instalou na Segurança Pública do RS. 

8 comentários:

Anônimo disse...

Interessante defenderem, como sempre, somente seus interesses. Por quê não são contra a aposentadoria aos 45 anos. O sujeito contribui 15 anos com o Ipê, 10 anos na iniciativa privada e se aposenta, recebendo do Ipê no mínimo 30 anos.

Unknown disse...

quanta incompetencia. Acorda governador.

Anônimo disse...

tá, então, estes dignos representantes sindicais estarão presentes, nas ruas, no dia 13/03, para deposição deste desgoverno?????

Anônimo disse...

Sim, a segurança pública foi desmontada.

E o que desmontou a segurança pública no RS foi a mentalidade concurseiro-sindicalista dos "trabalhadores da segurança", sugadores de supersalários, privilégios, turnos especiais de trabalho (em algumas corporações forçam 24 horas de expediente e 72 de folga), aposentadorias especiais, inaptidão, etc.

Além disso tem também a inversão de valores politicamente correta usada para vitimizar a bandidagem, criminalizar os bons policiais e anular a repressão policial aos criminosos.

Unknown disse...

Tragam o Bacci de volta.

Anônimo disse...

Políbio,

Alguém necessita dizer aos gaúcho que o RGS esta falido.

JulioK

Anônimo disse...

Então tá, dá um aumento que eles se acalmam!

Anônimo disse...

Agora sim, fiquei com medinho de ir na manifestação do dia 13, com a Segurança Pública em pé de guerra com o tirrica da serra pode sobrar para nós da manifestação. Primeiro porque a gatunagem vão se infiltrar no movimento e fazer arrastão. Segundo que os próprios homens e mulheres da Segurança Pública podem estar lá para ajudar a Cut, Une, MST, Professoras, Sem Teto. TAMO FUd...... To Fora.