Mercado brasileiro de automóvel acredita, apesar da crise, em crescimento das vendas externas em 2016

Mesmo com  expectativa de nova queda nas vendas de veículos em 2016, a produção da indústria automotiva  brasileira acredita que ocorrerá uma leve alta no ano que vem. Conforme dados da consultoria GO Associados, em relatório preparado pelos economistas Fábio Silveira e André Melo, a desvalorização do câmbio, ao longo de 2015, tornou o mercado externo mais favorável que o nacional,  gerando a expectativa de aumento das exportações para o ano que vem.

Os economistas projetam, até o final de 2015, um recuo de 22% na produção nacional, em relação ao patamar de 2014. Mas para 2016, a projeção é de uma expansão de 0,9% em razão do câmbio mais favorável, com o preço do dólar num patamar médio de R$ 3,33 para R$ 4,09.

Isto fará, segundo eles, as vendas externas de 2016 saltarem de 398 mil unidades veículos em 2015, para 457 mil em 2016, num acréscimo de 15% nas vendas, em comparação ao ano anterior. Já o consumo interno deve continuar enfraquecido, com queda de 4,2% .

Os resultados consolidados de venda em 2015 serão divulgados no dia 6 de janeiro, pela Federação Nacional de Distribuição de Veículos Automotores (Fenabrave). E os números de produção serão publicados, no dia seguinte, pela Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea).

Um comentário:

Anônimo disse...

22% de queda representa umas 500.000 unidades.
O aumento das exportacoes represent umas 60.000 unidades a mais. Vai atenuar, mas nao substitui a perda interna