Synthos pode desistir de investimento de R$ 640 milhões em Triunfo

Ao lado, equipamentos da planta de butadieno da Braskem no RS.

A indústria polonesa Synthos, que já anunciou investimentos de R$ 640 milhões para fabricar borrachas ESBR e poliestireno expandido (EPS) no município de Triunfo, na Região Carbonífera do Rio Grande do Sul, já está pensando em desistir do Brasil e do RS.

O problema é que os invstidores do grupo solicitaram formalmente ao governo gaúcho um pouco mais de  "agilidade nas questões de liberação ambiental" e proteção diante do risco de dumping, que é a prática utilizada por algumas empresas de colocar no mercado produtos abaixo do custo para eliminar concorrentes.

A idéia era começar as obras da fábrica em abril, mas isto não aconteceu.

O governo José Ivo Sartori faz corpo mole diante das reivindicações da Synthos, movendo poucos músculos para protegê-la diante dos ataques da concorrente, a empresa alemã Lances, que trabalha no Decom/Secomex para que a Synthos não obtenha os mesmos benefícios fiscais que ela possui na importação de insumos. O fornecimento de boa parte da matéria-prima, sobretudo butadieno, virá da Braskem, Pólo de Triunfo, mas será preciso importar a diferença.

Sartori até prometeu intervir junto ao governo federal, mas fez isto de modo apenas cartorial, porque acha que se trata de uma questão que o mercado deve resolver.

O que o governador não entende que é que se trata de proteger um investimento que gerará riqueza e empregos no RS, atacados por um grupo alemão que sistematicamente abate seus concorrentes e cujos interesses não estão no Estado.

10 comentários:

Anônimo disse...

Polibio, esse tipo de tratativas ficam mais na esfera federal, Se a negociação envolve a Braskem e o governo federal, obviamente que envolve corrupção para liberação do negócio. Eu aposto todas as minha fichas que a Synthos irá desistir do investimento, são R$ 640 milhões mas com o arrastamento das tratativas, mais o aumento do dólar, mais a propina, esse valor irá aumentar bastante.

Anônimo disse...

Ironico hein editor. Você que é defensor do livre-mercado querendo que o Estado se intrometa na decisão de uma empresa obter isenções fiscais. Olivio que iria curtir o seu post.

Anônimo disse...

Então, Synthos muito!!!!!!!!!!

Anônimo disse...

Pelo amor de Deus:
No que que este bocó incompetente chamado SARTORI quer tranformar nosso Rio Grande?

Anônimo disse...

Sartóri é pior do que se imaginava.....

Anônimo disse...

Aos petralhas que aparecem neste blog, prá começo de conversa o blog de vcs é o da rosane de oliveira. Faço uma perguntas a vcs da turma do mensalão/PETROLÃO. Qual foi o legado do governo tarso genro...??? DÍVIDAS, E MAIS DÍVIDAS PARA O ESTADO...???

Anônimo disse...

Ta seguindo a fórmula do Olívio!

Anônimo disse...

Bom era o Olívio! HÁ HÁ HÁ

Anônimo disse...

SARTORI está MAIS preocupado com a FOLHA DE PAGAMENTO dos funcionários públicos do que o resto da população.

SARTORI será apenas um ADMINISTRADOR DA FOLHA DE PAGAMENTO DE PESSOAL, porque Ele sabe que estes são cabos eleitorais do PT quando querem.

Anônimo disse...

é o fim do mundo mesmo