Vanderlan Vasconcellos quer Assembléia no Comitê de Defesa do Salgado Filho

O deputado Vanderlan Vasconcellos, PSB, encaminhou pedido ao presidente da Assembléia, deputado Gilmar Sossela, para que o indique como rerepresentante dos deputados no Comitê de Defesa do aeroporto Salgado Filho.

11 comentários:

Anônimo disse...

A Assembléia Legislativa precisa se juntar a essa causa mesmo! Só que esse Vanderlan não é de Esteio? Seria interessante que o representante dela fosse de POA, pois ele sendo próximo do Vale dos Sinos pode acabar é favorecendo a causa do aeroporto de Portão, em detrimento do Salgado Filho.

Anônimo disse...

Não é o ex-prefeito de Esteio? Será que defende o Salgado Filho mesmo? Ou é mais um da turma de NH e cia, apenas infiltrado pra gerar discórdia e implodir o movimento?

Obs: é hora nesmo da Assembélia se juntar nessa. Até agora não ouvi nenhum deputado defendendo o Salgado Filho. Todos quietos. Os senadores e deputados federais idem. O governador também calado.

Anônimo disse...

Quanta ignorancia esse povinho do portinho que quer ter uma pista de pouso no quintal da casa. Quando quiser viajar de Boeing 747 ou Airbus 380 vai ter que aguentar o deslocamento de ar ( ai o metro vai ter que parar) E SE TIVER NEBLINA VAI POUSAR AONDE? Começou a maldição do grenalismo, por isso é quer o RS esta atrasado e falido, em vez de se unir numa causa comum e de interesse geral par a construção de um novo aeroporto com duas pistas de 5mil metros. VANGUARDA DO ATRASO...
joel

Anônimo disse...

Políbio, eu voto em ti pra deputado caso resolvas te candidatar algum dia! O RS precisa de uma mente pensante!

Lasier vivia dando lição de moral no Jornal do Almoço, mas ficou bem caladinho na hora de defender o Salgado Filho. A legislatura dele pode só iniciar em fevereiro, mas ele já é um senador eleito pelos gaúchos e deveria defendê-los!

Justiniano disse...

E o aeroporto de carga de Vacaria, construíram para que?

Um aeroporto com uma longa pista, com uma diferença de 1.000 metros de altura (altitude) e maior economia de querosene e ao lado do maior polo industrial do estado - Caxias e Bento e fica ao lado da BR 285.

Quando vai entrar em operação?

Queremos saber o que está acontecendo em Vacaria???

Mais um desperdício do dinheiro público!!!

Anônimo disse...

Mais outra besteira do Joel...

Anônimo disse...

O presidente do CREA tem posição diferente e engenheiro capacitado e e o CREA e órgão competente que deve fazer parte desta discussão.Não podemos ficar investindo recursos alem dos que ja foram investido num aeroporto salgado filho que devera estar sucateado em alguns anos .Com recursos ali investido se constrói um aeroporto de primeiro mundo em outro local sem recursos públicos.

Anônimo disse...

Joel, teus argumentos já foram todos tecnicamente refutados, então não insista em defender o indefensável.

Anônimo das 09:25-22/01, o Presidente do CREA-RS quer é que as construtoras consigam construir mais alto e que tb construam no atual local do Salgado Filho.

Ele está em defesa do seu órgão corporativo. Técnico e isento mesmo é o Plano Diretor do Salgado Filho. Que tal tu dar uma lida nele e enviar um cópia ao Presidente do CREA-RS tb?

Anônimo disse...

Quem fala que o Salgado Filho se esgotará em poucos anos já não merece consideração. Falta embasamento técnico numa afirmação absurda dessa. Quando a pessoa começa argumentando isso já paro de ouví-la e desconsidero o resto, pois demonstra falta de ter estudado um pouco sobre o tema ou interesses escusos por trás disso. Tanto faz se a pessoa é de um órgão, governo ou entidade: se falou em esgotamento do Salgado Filho é pq é mal informada ou mal intencionada mesmo. Ou as duas coisas. Olho neLLes.

Anônimo disse...

O CREA-RS quer lotear o Salgado Filho e a Base Aérea de Canoas para a felicidade geral das construtoras e empreiteiras.

Se utiliza para tanto de argumentos nada técnicos, como a afirmação de que o Salgado Filho supostamente esgotar-se-á em dez anos e que a parte já existente da pista tb precisaria ser reforçada para a operação de grandes cargueiros.

Vão expulsar os gaúchos dali e depois de loteado o terreno do Salgado Filho e da Base Aérea vão vender apartamentos custando os olhos da cara.

A zona sul tem espaço de sobra para construir.

E o argumento do CREA-RS de que muitos empregos são perdidos na construção civil devido às limitações construtivas é mentira, pois se não dá para construir um prédio de vinte andares, faz-se dois de dez andares ou quatro de cinco andares e os empregos estão garantidos.

A única verdade na afirmação deles é que realmente tem sido aplicado dois pesos e duas medidas, pois implicam com as obras da terceira perimetral, mas Congonhas está mais para Heliponto do que para aeroporto, tamanha é a quantidade de prédios que se sobrevoa tirando fininho enquanto se pousa e ninguém fala nada.

Ah, e é inviável o que o CREA quer fazer de juntar a Base e Aeroporto em Portão, pois hj em dia só há uso compartilhado entre civis e militares qd isso já é existente e, não, para novos casos.

Até mesmo o Aeroporto Internacional Augusto Severo em Natal/RN, que havia acabado de ganhar um terminal moderno com diversas pontes de embarque, foi fechado pq compartilhava a pista com a Base Aérea de Natal (famosa por ter servido de base para os EUA na segunda guerra), o que fez que se criasse um novo aeroporto internacional para Natal em São Gonçalo do Amarante e que o atual, ficasse sendo apenas a Base.

Por sinal os natalenses estavam muito emplogados com o novo aeroporto de São Gonçalo,mas qd sentiram na carne o preço do táxi e o tempo perdido no deslocamento se arrependeram mortalmente e há relatos a rodo na internet sobre isso. O povo lá foi mandado para longe e os militares permaneceram dentro da cidade.

Anônimo disse...

O CREA que encher o terreno do Salgado Filho com torres residenciais de aptos de 60 m² a 500 mil reais, isso sim.

Quem sabe a construtora de um certo político, muito conhecida no litoral gaúcho, tb construa empreendimentos por lá. E o povo que se rale.

O novo aeroporto não precisa ser custeado pelas construtoras mediante troca, pois a concessão já é suficiente e a receita do aeroporto remunera o concessionário. Além do Salgado Filho estar muito longe do esgotamento.