Sistema elétrico opera no limite. Opção é racionamento ou apagão. Entenda o cenário no RS. Governo torce para economia não crescer.

O editor passa a seguir uma série de respostas a indagações feitas por leitores gaúchos, todos interessados em compreender melhor a natureza do apagão desta sgunda-feira no Brasil, inclusive RS, bem como buscar orientação a respeito do que pode ocorrer daqui para a frente:

Quantos consumidores do RS foram atingidos ?
O "corte" de energia foi da ordem de 500 MW para uma demanda no Estado, às 14h37min, de 6283 MW, portanto de aproximadamente 8%, quando a ordem alegada do ONS foi de corte de 5% na carga do País.
Quantas cidades e de que regiões?
Atingiu 11 estados brasileiros e o Distrito Federal. No RS, foram 359 mil clientes em mais de 50 cidades nas áreas de concessão da AES Sul, CEEE-D e RGE.
Durante quanto tempo ?
Aproximadamente 45 minutos, entre 15 e 16h desta segunda-feira, 19 de janeiro.
É possível quantificar prejuízos?
Até o momento as distribuidoras não contabilizaram os prejuízos alegados pelos seus clientes.
A que se deve o apagão ?
O sistema no limite de operação e sem possibilidade de isolamento de defeitos e nem de remanejo de carga, ficou instável e teve perda de frequência. Para evitar o colapso, o ONS solicitou às empresas que cortassem carga.
Há novos riscos ?
O sistema continua no limite e os reservatórios estão com baixa capacidade. O ano de 1953 tinha sido o ano mais grave para o sistema hídrico brasileiro de geração de energia, superado agora por dois anos consecutivos, 2013 e 2014, de forte estiagem. Já a primeira quinzena de 2015, o cenário apresentou baixa ocorrência de chuvas no País, comparada com a primeira quinzena de 2014, sinalizando assim outro período seco. As eólicas tem sido o motor dos últimos leilões e não conseguem assumir esta carga. Estas térmicas que atendem o mercado, vão ter que entrar em manutenção eventualmente. É uma receita para crise energética. Tudo isto com um crescimento pífio da economia. O governo precisa torcer para que a recessão continue. 
Por que razão térmicas como a de Uruguaiana não entram em operação para fornecer mais energia ao sistema ? Em outros Estados, usinas semelhantes estão sem acionamento.
O caso de Uruguaiana é diferente, porque o contrato de fornecimento de gás foi rompido e a usina está lá se depreciando sem combustível. Todas as usinas possíveis de serem despachadas estão fazendo isto, mas como as hidrelétricas estão com os reservatórios na ordem de 19% de sua capacidade, enquanto o sinal de alerta para o nível mínimo é 40%, são as térmicas que estão em operação desde o início do ano passado, para atender o mercado, mas estão no seu limite da capacidade de atendimento.

O RS investe pouco em geração. 
55% de tudo
vem do sistema interligado.

O que se investe no RS ou se pensa investir para gerar mais?
No último leilão de 2014, para fornecimento em 2019, temos duas usinas previstas, uma a gás de 1.200 MW em Rio Grande e outra de 600 MW em Bagé, ambas da iniciativa privada.
O RS produz quanto da energia que consome e qual o total consumido ? De onde vem nossa energia ?
O RS produz aproximadamente 55% da energia que consome, o resto vem do sistema interligado através de linhas de transmissão, mas a origem não se pode precisar, pois o sistema é interligado, mas o Sudeste é uma região exportadora da mesma forma o sistema Norte/Nordeste.
A curto prazo, a solução é apagão ou redução de consumo ? 
É importante salientar que no curto prazo, só a redução no consumo poderá evitar novos cortes de energia. Até o final do verão, espera-se para os meses de fevereiro e março, que são meses chuvosos no Brasil, reversão do delicado nível de água nos reservatórios. A situação que vivemos hoje reitera a falta de planejamento do governo federal com sistema elétrico nacional.

12 comentários:

Anônimo disse...

Políbio,

Respostas simples e diretas ao ponto.

O tal Min. Braga foi de uma incompetência(premeditada??) nas explicações.

Cadê a Dillma, cadê a Fajuta!!

JulioK

Anônimo disse...

sem investimento em transmissão !!!!
no quesito " a economia não crescer" isto o governo garante !!!!!

Anônimo disse...

Temos um litoral ventoso a maior parte do tempo... O que estão esperando para ampliar as eólicas ?

Luiz Vargas disse...

A Vaca Tossidora vai lançar em breve o novo programa do desgoverno federal: MINHA VELA MINHA VIDA.
O tempo está nos mostrando o real significado do termo PAC: PROGRAMA DE ACELERAÇÃO DA CORRUPÇÃO.

Biriva do Cerro do Tigre disse...

O grande problema foi a incompetência deste governo de arrotadores, que nunca planejaram nada e ficam falando dos milicos, que foram os que na Escola Superior de Guerra, fizeram o planejamento estratégico do país, mas este planejamento foi feito para 20 anos e depois disso em 2005 ninguém mais planejou as demandas deste país.

Todo o sistema de barragem do rio Uruguai foi planejado naquele período e tirando Guarabi que deveria ser feita junto com a Argentina e certamente não sairá do papel, todas as demais foram realizadas, e esgotaram as possibilidades. A única bacia disponível desde que feita barragens complementares de suprimento de água é a bacia do rio Toropi, uma barragem de reserva poderia ser feita na bacia do lajeado Sampaio, na localidade conhecida por Tatu Gordo, que tem uma imensa várzea que termina em dois morros e abaixo há diversos locais para a construção de uma hidrelétrica. Será que ninguém estuda estas potencialidades no RS.

Anônimo disse...

O interresante e que os apagoes sao feito nas residencias que pagam luz pois se voce passar nas vilas onde niguem paga tem luz.Partenon ,gloria ,teresopolis com apagoes e a vila maria da Conceiçao nunca tem cortes de luz.Sera que o trafico não pode ficar no escuro a me lembrei do Xandi e a churrascada com o o delegado.

Anônimo disse...

Políbio, perguntar não ofende: será que o governo precisa torcer para a economia não crescer? Me parece que com o pete no governo a economia não cresce de jeito nenhum.

Anônimo disse...

Biriva do cerro do tigre - é o que sempre falo. Com todos os erros da ditadura militar. A ditadura tirou o país da 44ª economia do mundo e já dez anos depois prá 8ª economia, isso na década de 70....antes de 1964...o telefone no Brasil era a manivela. Citar aki todas as realizações da ditadura, precisaria de um caderno. O bando de terroristas assassinos e assaltantes de bancos, com exceção do 9dedos, estão todos aí dando uma de democratas. Agora assaltando os cofres públicos - vide mensalão/PETROLÃO.

Anônimo disse...

Políbio,

O tal Min. Braga falou mais em geração de Eólicas, Fotovoltaicas, Fio d´agua e Termoelétricas(anos 60).

Com exceção das termoelétricas(poluidoras), as outras alternativas NÃO garantem abastecimento(vento e sol não são acumuláveis).

Perguntas:

- ITAIPU deu alguma dor de cabeça desde que foi construída?

- O PT não segue o modelo de ITAIPU por questões ideológicas?

- Somos 200 milhões e valemos menos do que 1.000 índios de Belo Monte para o PT e ONGs estrangeiras.

Por tudo isto, quero que a Dillma se exploda(metaforicamente falando). Ella, o Lulla e o PT são uns FAJUTOS!!

JulioK


Anônimo disse...

O Brasil necessita de uma matriz energética diversificada, o país não pode depender apenas do regime de chuvas. As maiores reservas de carvão mineral estão aqui e no entanto o RS depende da energia vinda de outros estados. Já existe tecnologia para explorar o carvão minimizando as emissões. Mas os políticos morrem de medo dos ECOCHATOS.*Correção: O novo investimento de 600MW (tractebel) não é em Bagé, mas sim em Candiota.

Anônimo disse...

Dinheiro no Brasil não falta, nem ladrões, nem corruptos. O que falta: competência, compromisso, seriedade, vontade de trabalhar. Se o governo tivesse responsabilidade para com a nação o Brasil poderia crescer. Agora, não permitir crescimento porque a incompetência do governo não dá condições, é de doer!

Anônimo disse...

ABSURDA INCOMPETÊNCIA
PAÍS SEM PLANEJAMENTO É PAÍS QUEBRADO MAS CORRUPTO.