Prefeito de Lages, aliado de Dilma, é preso sob suspeita de corrupção

O prefeito de Lages/SC, Elizeu Mattos (PMDB), foi preso hoje sob suspeita de corrupção e outros crimes. Ele é aliado e apoiador da presidente  Dilma Roussef, a quem apoiou na campanha, alegando que ela faz grandes obras em Lages e contrariando 65% dos catarinense que votaram em Aécio.

. Lages é a terra natal do governador Raimundo Colombo, um liberal do PSD que dizia apoiar Dilma.

5 comentários:

aaaa disse...

Oi Políbio...
Não deve ser tão aliado assim... Se o fosse estaria liberado pelo STF...

Anônimo disse...

Divulguemos, pois. Isso é um acinte!!!!


Algo de muito podre e ruim está sendo preparado nos bastidores da república bolivariana brasileira. Como é que me explicam o fato de ter mais de 29 mil pessoas ilegais (fora o que não foi contabilizado) (Cubanos, Venezuelanos, Haitianos, Ganeses, Russos, Chineses, Farc´s e outros entrando livremente pelo Acre e sendo transportados e bancados pelo governo desde 2010? Sim, é isso mesmo que está acontecendo, revejam aqui.

Um detalhe importante observado é que são todos homens, não há famílias e nem mulheres nessas levas de 'imigrantes ou militantes' ilegais.

Outro detalhe é o fato da velha mídia não reportar isso em escala nacional, cabendo poucas notas apenas na internet, com repercussão maior mesmo somente através de blogs e redes de informações da Mídia Livre.

E um terceiro detalhe igualmente factível é que recentemente, o petista governo do Acre encheu vários ônibus muito confortáveis, todos pagos pelos contribuintes brasileiros, e os enviou (sem avisar) para diversos estados, notadamente, onde ocorriam 'ações', ou melhor, invasões e badernas do MST, o qual tem se aproveitado também de jovens alienados, desocupados bancados pelos pais ou pelos programas assistenciais, além da turba de ignorantes que comumente se junta à catrefa.

Curiosamente e 'coincidentemente', as levas de ilegais tem sido 'despejadas', em cidades onde estão ocorrendo 'ações' do MST, MTST e dos sindicatos vermelhos como ocorreu no Rio Grande do Sul e no Mato Grosso recentemente.

E AGORA?

Agora, imaginem o seguinte: desde 2010 ou antes disso, o Brasil sofre uma verdadeira 'invasão de ilegais pelo Acre, (fora os muitos militares e militantes cubanos infiltrados no 'mais médicos). O fato é só um: o povo brasileiro está desarmado, sem defesa, à mercê de militantes disfarçados de 'imigrantes e refugiados', e logo quando a bomba estourar, quem irá defender a nação? Está tudo dominado, aparelhado, comprado pela corrupção (Vide o Mensalão e o Petrolão e daqui a pouco 'o BNDES-lão'), de câmaras, prefeituras, governos estaduais à Brasília, ou seja, tudo caminha para uma guerra civil, já que quase 52 milhões de brasileiros não compactuam e não aprovam essas ilegalidades, bem como toda a roubalheira que acontece na cara dura e que na maioria das vezes termina impune ou com penas cômicas e que detonam os alicerces da frágil democracia.

Aqui: http://www.libertar.in/2014/12/como-mais-de-29-mil-pessoas-entram-no.html​

Anônimo disse...

ate hoje estou pra entender onde esta o medo do Colombo em fazer oposição à presidentA...

pela vontade do povo que ele governa é que nao é...

Anônimo disse...

Para que haja decretação de uma prisão envolvendo o chefe do executivo municipal de uma das maiores cidades do Estado, as provas devem ser bastante contundentes, o que provavelmente levará a condenação com a consequente cassação.
Paulo Cezar da Silva
Florianópolis

Gilmar Coelho disse...

Ainda bem que é aliado de DILMA, porque se não fosse nem seria noticiada a prisão, o importante é vincular toda e qualquer crime neste país ao governo federal o que por sinal esta muito certo, a final quem manda e o governo federal, desta forma tudo que esta errado no país é culpa do governo federal e tudo que esta correto e funcionando bem e benfieitoria da oposição ao governo federal. O meu medo é que ao final dessas denuncias e investigações seja feito um inventário dos partidos envolvidos e punidos por crime e neste inventário o partido do governo tenha o menor numero de politicos presos.