Luiz Fancisco Corrêa Barbosa não quis integrar o pool de advogados que defende os empreiteiros do Petrolão

Poucos dias antes de morrer, ainda trabalhando, o ex-ministro da Justiça, Márcio Thomaz Bastos, convidou o advogado gaúcho Luiz Francisco Corrêa Barbosa para integrar o pool de profissionais contratado para defender o cartel das empreiteiras no caso Petrolão.

. O ex-ministro era o coordenador do grupo.

. Luiz Francisco agradeceu a lembrança, mas não quis a causa.

. No julgamento do Mensalão, Márcio Thomaz Bastos e o advogado gaúcho defenderam réus diferentes. Luiz Francisco esteve quase até o final do julgamento com Roberto Jefferson, quando o presidente do PTB não quis insistir na tese de que Lula sabia de tudo. 

Um comentário:

Anônimo disse...

ja notaram que ninguem mais fala sobre o agora falecido ex-ministro e advogado?

teve uma carreira brilhante durante a vida mas no final resolveu ofuscar a reputação do seu trabalho com aquele inesquecível show de defesa do indefensável no episodio do mensalão petista...

nem os petistas falam mais dele...

esta morto, ja serviu a causa...

assim é que funciona o comunismo...