RBS diz que o governo Dilma manipulou as tarifas

Só agora a RBS parece constatar que o governo Dilma Roussef e o PT mentiram desbragadamente sobre o bom estado dos preços administrados, quando na verdade tudo era mantido artificialmente para iludir o eleitor e embretar o adversário. Leia o editorial de hoje da RBS sobre o caso, intitulado "Manipulação de Tarifas". O título é intencional e covardemente mantido impessoal pelo jornal Zero Hora, mas por trás do verbo está o sujeito oculto, governo do PT. Leia:

Preocupado com possíveis efeitos eleitorais, o governo federal demorou a se decidir pelo reajuste da gasolina, definido no final da última semana em 3%. É evidente que a campanha política contribuiu de forma decisiva para o adiamento deliberado, apesar da defasagem no preço, que não era corrigido há um ano. A consequência disso é a perda de credibilidade nas atitudes governamentais, que tiram proveito de circunstâncias políticas, na tentativa de interferir nas escolhas dos eleitores. Fez parte da mesma estratégia o tão propalado combate ao aumento dos juros, repetido durante os debates, para que, numa decisão inversa à retórica, o Banco Central optasse exatamente pela alta da taxa básica.

São contradições entre o discurso e a prática, com as quais o governo terá de conviver nos próximos meses, para que faça correções de rumo na política econômica. A margem de manobra, para a atualização dos preços administrados, é cada vez mais estreita. Além dos combustíveis, reajustados aquém do previsto para que a Petrobras recupere perdas acumuladas pelo congelamento dos preços, o governo se defronta com a questão das tarifas da energia elétrica. Também nessa área há um represamento de aumentos, igualmente provocado pelas manobras políticas governistas no ano da eleição. Somente de janeiro a outubro, a energia teve alta média, pelo IPCA, o índice oficial de inflação, de 14,55%.

A manipulação do período de reajuste fará com que os custos da luz para todos, do consumo doméstico à indústria e aos serviços, tenham mais impactos ainda este ano. Em alguns Estados, está prevista a liberação de reajustes represados de até 20%. O estrago de aumentos desse porte é muito maior nas camadas de baixa e média renda, cujas contas de energia têm peso relativo significativo no conjunto de despesas da família. São efeitos distribuídos por toda a economia, como a alta da gasolina, que irá contribuir com aumento de 0,11 ponto percentual na inflação do ano. Parece pouco, mas pode ser o suficiente para que o IPCA de 2014 ultrapasse o teto da meta, fixado em 6,5%.

8 comentários:

Anônimo disse...

este pessoal da RBS não vale nada. Joga qualquer jogo pelo poder. Lamberam as botas do tarso e o saco da Dilma e agora querem se fazer de isentos. Eu boicoto qualquer coisa deles, já cancelei até a propaganda que minha empresa fazia na radio Itapema. Dá para viver bem sem eles.

Anônimo disse...

Depois das eleições querem latir. Tudo onda. Isso só mostra o nível de peleguismo dessa gente.

Anônimo disse...

4 anos dá tempo de esquecer tudo e seguir votando (e apoiando) os ladrões...

Anônimo disse...

Esse governo do PT, mente na maior cara de pau e o povo com mentalidade bovina, nada contra os ruminantes, acredita e vota nelles.

Anônimo disse...

Jura que eles não sabiam antes?
Só fingiam desconhecer para não sofrerem perseguição petralha!
Causa repulsa!

Professor PADilla Comendador ╰☆╮Comander disse...

As tarifas? Manipulam tudo (e todos que con seguem!!!)... Lembremos a época do nazismo, quando alguns conseguiram fugir da Alemanha porque se informaram com antecedência; porém, milhões acreditaram nas manipulações do PT da época, esperando a situação estabilizar-se: morreram nas atrocidades, milhares foram assassinados pelos psicoPaTas: Brasil do PT segue mesmo rumo, transfere renda e financia Cuba e demais ditaduras de onde onde há dezenas de milhares de infiltrados por aqui: https://www.facebook.com/video.php?v=403335213144349

Anônimo disse...

Anônimo das 09:25, parabéns !!!

Fiz o mesmo que tu, não acredito em nada que venha da RBS, acho tudo um lixo, sem falar na orgia de programas-chuteira, coisa nojenta.

Não é à toa que o RS se transformou num Maranhão de grife: graças à irrelevante e imprestável imprensa guasca e bombachuda !

Anônimo disse...

O slogan da Folha de S Paulo era: "De rabo preso com o leitor"

ZH poderia adotar um slogan parecido: "ZH, com o rabo no meio das pernas "

São uns baita cagões.