Centrais sindicais querem aumento de 16,81% no valor do salário mínimo regional. Pedido foi entregue esta manhã no Piratini.

As centrais sindicais entregaram ao governo estadual o seu pedido de reajuste de 16,81% para o salário mínimo regional de 2014 no RS. O incide inclui a inflação e o avanço do PIB deste ano. Os valores passariam de um mínimo de R$ 770,00 para um ma´ximo de R$ 941,00, dependendo a categoria.

Atualmente o Rio Grande do Sul conta com quatro diferentes pisos salariais por categoria profissional. 

1) Trabalhadores na agricultura e na pecuária trabalhadores domésticos, trabalhadores em turismo e hospitalidade, trabalhadores nas indústrias da construção civil, trabalhadores nas indústrias de instrumentos musicais e de brinquedos, trabalhadores em estabelecimentos hípicos, empregados em garagens e estacionamentos e empregados em hotéis, restaurantes, bares e similares ganham R$ 770. Com o aumento passariam a ganhar R$ 899,43

2) Trabalhadores nas indústrias do vestuário e do calçado, trabalhadores em empresas distribuidoras e vendedoras de jornais e revistas e empregados em bancas, vendedores ambulantes de jornais e revistas, empregados em estabelecimentos de serviços de saúde e empregados em empresas de telecomunicação, "telemarketing" ganham R$ 787,73. Com o aumento passariam a ganhar R$ 920,14.

3) Trabalhadores nas indústrias do mobiliário, indústrias químicas e farmacêuticas, indústrias da alimentação e empregados no comércio em geral ganham R$ 805,59. Com o aumento passariam a ganhar R$ 941.

4) Trabalhadores nas indústrias metalúrgicas, mecânicas e de material elétrico, trabalhadores em empresas de seguros privados e capitalização e de agentes autônomos de seguros privados e de crédito, trabalhadores em edifícios e condomínios residenciais, comerciais e similares, empregados em entidades culturais, recreativas, de assistência social, de orientação e formação profissional e marinheiros fluviais ganham R$ 837,40. Com o aumento passariam a ganhar R$ 978,16.

2 comentários:

Anônimo disse...

Esses caras nunca produziram nada e nunca administraram nada,portanto não sabe o quanto custa manter um empregado.Só sabem pedir.

Anônimo disse...

E mandar a mãe deles pagarem esse valor, quem no Brasil teve esse índice? o cara quando não tralha acha que dinheiro cai do céu.


Eduardo Menezes