Agências reguladoras têm quase 3 mil cargos em comissão

As agências reguladoras viraram um grande filé para os partidos fazerem indicações políticas não apenas a cargos de direção. O loteamento ocorre também em postos do segundo e terceiro escalões.

. As dez agências de controle e fiscalização têm hoje 2.913 vagas de livre nomeação: parte preenchida por servidores de carreira, mas ao menos 600 ocupadas por escolhas políticas, sem que o funcionário, muitas vezes designado para desempenhar função técnica, tenha sido triado em concurso público.

. O governo Dilma gasta hoje cerca de R$ 12,4 milhões por mês só com o pagamento de empregados comissionados, segundo a Associação dos Servidores e Trabalhadores da Agência Nacional de Saúde Suplementar (Assetans). Os salários variam de R$ 790 a R$ 14 mil. 

3 comentários:

Anônimo disse...

É a farra dos "companheiros" !
Imaginem quando tiverem que esvaziar as gavetas e cair fora, quanto choro e ranger de dentes !

Anônimo disse...

As agências reguladoras foram criadas para serem órgãos do estado e não do governo de plantão. Essa mudança feita pela claque petralha, transformou essas entidades em quadrilhas a serviço do partido que governa. Merecem ser implodidas e seus componentes presos preventivamente. São instituições podres, que precisam existir mas com a configuração original dadas pelo governo FHC. Não adianta vir com argumentinhos idiotas, Sgarbi e demais fiscais Stasianos do Blogue. É quadrilha, sim, e bala de prata nesses petralhas.

Anônimo disse...

E o déspota do DMAE queria criar uma agência municipal de regulação, mas foi implodido pela falta de dinheiro na prefeitura. Se ele não se cuidar, vai voltar também para a Cientec, pois os desvios não foram só na Procempa, o primo rico também tem problemas.