Dívida pública federal aumenta 1,15% e chega a R$ 1,6 tri

A dívida pública federal (DPF) aumentou R$ 18,76 bilhões de setembro para outubro, passando de R$ 1,626 trilhão para R$ 1,644 trilhão, devido à emissão de títulos públicos e a apropriação de juros. Em termos percentuais, a alta foi de 1,15%.

. A dívida pública mobiliária (em títulos) federal interna subiu 1,19%, passando de R$ 1,534 trilhão para R$ 1,552 trilhão. A dívida pública federal externa também subiu, encerrando outubro em R$ 92,21 bilhões, contra R$ 91,76 bilhões em setembro.

Um comentário:

Anônimo disse...

O mentiroso compulsivo de sempre,
Lula, em reportagem de 24/11/2010 disse que o fator previdenciário teve sua retirada vetada porque levaria a Previdência a falir. Aqui UM DOS motivos - real e verdadeiro. 'A adoção de um severo programa de ajuste fiscal, em 1999, voltado para a obtenção de superávits primários expressivos, impôs a permanência da DRU- desvinculação de receitas. Desde aquele exercício, as receitas da seguridade social vêm sendo redirecionadas NÃO APENAS para gastos fiscais, mas também para assegurar saldos positivos nas contas públicas. O art. 195 da CF/88 determina que as contribuições sociais financiem exclusivamente a seguridade social, a desvinculação liberou receitas desse orçamento para gastos de natureza fiscal. O pagamento de juros e amortização da dívida, em especial, são despesas próprias do orçamento fiscal.' Até quando aposentados e trabalhadores da iniciativa privada serão os eternos perdedores?
Com o aumento da dívida esse segmento da sociedade irá carregar fardos e com isso mais pessoas irão a miséria. Será que Dilma poderia fazer o favor de não renovar a DRU em 2011 que tanto prejudica o cidadão do setor privado? Aqui nem se comentou as renúncias previdenciárias. Até quando teremos um sociedade que espera por milagre e nada faz para defender seus próprios interesses e pior, acreditam na falácia do déficit?