Eis as provas (documentos) dos contratos entre Feijó e Ulbra.

Ao contrário do que fizeram a deputada Luciana Genro, o vereador Pedro Ruas, o lobista Lair Ferst e sua sócia Magda Koenigkan, o vice Paulo Feijó e a revista Veja, o editor desta página prova tudo o que escreveu sobre os nebulosos e escandalosos contratos assinados entre Paulo Feijó e a Ulbra.

. No link a seguir você poderá ler:

1) O contrato “estritamente confidencial”, assinado em 28 de junho de 2007 pelo próprio Feijó e o reitor Ruben Becker.

2) O acordo de confidencialidade assinado entre Feijó e Becker.

3) O termo de rescisão de 10 de março de 2008.

- O leitor perceberá que durante o contrato, além de ocupar o cargo de vice, Paulo Feijó chegou a exercer o cargo de governador. Na rescisão, o vice levou R$ 180 mil (ele exigiu R$ 20 mil por mês trabalhado). Caso tivesse obtido êxito na empreitada, faturaria mais R$ 6 milhões. Curiosamente, o sr. Paulo Feijó decidiu encerrar o contrato no dia da instalação da CPI do Detran.

CLIQUE AQUI para ler o contrato.

CLIQUE AQUI para examinar o acordo de confidencialidade.

CLIQUE AQUI para ler o termo de rescisão.

4 comentários:

Anônimo disse...

E A Zilá, vai ou não vai denunciar o P.Feijó no MP?

Anônimo disse...

Interessante que no item 3, II, do contrato, referente aos "honorários de sucesso", aparece o percentual 3, mas em extenso entre os parênteses 3,5!

O vice se enganou ou agiu de má-fé?

Anônimo disse...

De todo o episódio de insinuações e denúncias vazias, a única fraude que se revelou foi o Feijó. Qual será a versão da RBS para o fato?

Tiago disse...

E agora, Onyx, o que o teu partido vai fazer com o vice? E esses dois deputados do DEM que assinaram a CPI do PT contra o governo, apoiando da forma mais rasteira possível as semvergonhices do Feijó? E agora, RBS? Que desculpa a empresa vai utilizar para livrar a cara do vice, para justificar a glorificação que dele fizeram na edição da última terça-feira de Zero Hora? Naquela edição, a manchete de primeira página foi "O Fator Feijó". E agora, o que vai fazer a ZH? Vai abrir a manchete "O FATOR FEIJÓ É 3%"?. E o Psol, principal aliado do vice, não vai se manifestar? A Genro desistiu de pedir uma CPI da Ulbra? Ulbra, Jairo Jorge, Tarso, Luciana Genro, Feijó... Será que todo mundo é cego e não vê a conexão tarso/pt-psol-feijó, que conta com o interessado apoio da RBS? Parabéns, Políbio. Não fosse teu blog, e o Rio Grande jamais saberia que o palacinho se tranformou não só no centro da conspiração contra a governadora, mas numa agência de negócios privados.