Preço do petróleo abriu em alta de 9,5% em Londres

EUA e Arábia Saudita acusam o Irã.

Como se esperava depois do ataque de drones a duas mega-refinarias e do anúncio subsequente da Arábia Saudita de que cortaria pela metade sua produção de petróleo, responsável por 10% do abastecimento mundial, o preço do petróleo disparou nesta segunda-feira em Londres.

Esta manhã, o barril de Brent do Mar do Norte, referência na Europa, para entrega em novembro registrava alta de 9,52% na comparação com sexta-feira, a 65,97 dólares no Intercontinental Exchange (ICE) de Londres. Ao mesmo tempo, o barril de "light sweet crude" (WTI) para o contrato de outubro subia 8,71%, a 59,63 dólares, no New York Mercantile Exchange (Nymex).
Na abertura do mercado, a cotação do barril disparou quase 20% em Londres, a maior alta em uma sessão desde a guerra do Golfo em 1991.

Na opinião de Ipek Ozkardeskaya, analista do London Capital Group, os ataques com drones de sábado, são a "maior perturbação pontual da oferta de petróleo de toda a história".

5 comentários:

Anônimo disse...

Tudo que a Petrobrás queria, agora tem a desculpa perfeita pra aumentar a vontade a "política de preços". Só vamos ver o que os caminhoneiros vão achar disso!

Anônimo disse...

A rota marítima da cocaína( UOL).

Anônimo disse...

A rota marítima da cocaína( UOL).

Anônimo disse...

A rota marítima da cocaína( UOL).

Anônimo disse...

A rota marítima da cocaína( UOL).