EUA e Irã estão à beira da guerra.

A Arábia Saudita cortou pela metade sua produção de petróleo, responsável por 10% do abastecimento mundial. Nesta segunda, os preços devem subir tremendamente.

A agência inglesa Reuters disse esta tarde que o Irã rejeitou neste domingo as acusações dos Estados Unidos de que está por trás do bombardeio de drones no sábado contra instalações petrolíferas da Arábia Saudita e alertou que as bases e porta-aviões norte-americanas na região estavam ao alcance de seus mísseis.

Os americanos insistem.

O Pentágono deixou vazar a informação de que em caso de ataque iraniano, poderá usar ogivas nucleares de efeito limitado.

13 comentários:

Anônimo disse...

Agora vai?

Anônimo disse...

Se fosse Trump, resistiria a pressão dos falcões e mandaria investigar cuidadosamente esses ataques antes de tomar uma decisão. Isso porque Irã e EUA tem um inimigo em comum que gostaria muito de vê-los entrar em guerra.

Anônimo disse...

Go Trump. Fuck that mother fuckers now!!

Unknown disse...

A Alemaha governada por uma comumista tem que olhar para o próprio rabo.

Mordaz disse...

Vai usar armas de destruição em massa então?

Anônimo disse...

Parabéns ao comentário das 16:57, tenho a mesma opinião

Anônimo disse...

Talvez no segundo mandato. Por enquanto ele quer recuperar a economia americana.

Anônimo disse...

É O QUE TRUMP DEVGE ESTAR FAZENDO...

PODE A GUERRA INTERESSAR AOS DOIS, IRÃ E USA

IRÃ E USA JÁ JOGARAM ESTE JOGO!

PODE, NÃO QUER DIZER QUE ASSIM SEJA...

Anônimo disse...

A VENEZUELA irá sair do buraco com a alta dos preços do petróleo ???

Anônimo disse...

>>

Qual outro país daquela região que seja inimigo mortal da Arábia Saudita teria capacidade para atingir os sauditas além do Irã?

<<

Anônimo disse...

Como queria e continua querendo o John Bolton.
Não ficaria surpreso se as investigações levassem a ele como mentor intelectual deste ataque.

Anônimo disse...

Ao anônimo às 15 de setembro de 2019 22:33: Vou dar um exemplo: O Estado Islâmico, ou melhor, o que sobrou dele. É inimigo tanto dos EUA como do Irã, e tem todo o interesse em provocar uma guerra entre os dois. "Drones" não exigem necessariamente tecnologia avançada e recursos caros para serem montados. Componentes poderiam ser obtidos em lojas de aeromodelismo e de componentes eletrônicos de outros países e de lá contrabandeados para o Iêmen.

Anônimo disse...

O Irã nao quer evitar um confronto com os EUA e virarem um monte de cinzas pois os americanos podem lançar armas nucleares táticas contra eles.Os EUA são a maior potência militar do planeta e o Irã devia saber que não são páreos pra eles,até a Rússia teme os americanos.