Dica do editor - Não suspenda de imediato o uso dos remédios para hipertensão vetados pela Anvisa

Muito pacientes hipertensos foram pegos de surpresa com a decisão anunciada pela Anvisa de recolher 181 lotes de remédios para hipertensão, devido à presença de impurezas denominadas “nitrosaminas”, associadas ao risco de câncer.  Além do recolhimento, alguns terão suspensa a fabricação, importação, distribuição, comercialização e uso dos insumos sob suspeita de contaminação. No total, foram feitas 14 suspensões de dez fabricantes internacionais.
Mas conforme a dra. Carisi Polanczyk, chefe do Serviço de Cardiologia, Cirurgia Vascular e Cardíaca do Hospital Moinhos de Vento, a notícia não deve gerar pânico. Ela alerta que não existe risco imediato à saúde e que o paciente não deve interromper o tratamento sem acompanhamento médico. O que ela mandou dizer ao editor: “Não se trata de uma urgência. É importante que, ao verificar que o lote do seu medicamento consta na lista da Anvisa, o paciente agende uma consulta e converse com o seu cardiologista para tirar dúvidas e avaliar com ele a troca da medicação”. 

CLIQUE AQUI para saber que remédios são estes.

3 comentários:

Joel Robinson disse...

Porcarias, principio ativo, que vieram da China.
Nitrosamina é cancerígeno. Basta ver o Laboratório e o lote e troque os "losartanas" por outro laboratório. Informação mal feita.

Joel Robinson disse...

Em 2018, a Agência Europeia de Medicamentos (EMA) identificou a impureza N-nitrosodimetilamina no princípio ativo valsartana, produzido pela empresa chinesa Zhejiang Hauahai Pharmaceuticals. Com essa primeira identificação, a EMA começou uma análise mais detalhada das “sartanas” de vários laboratórios. Ao todo, já foram 14 suspensões de três insumos - losartana, valsartana e irbesartana - de dez fabricantes internacionais.
Tem outros similares, consulte seu médico e não deixe de usar e troque de laboratório. Eu uso o Aradois 50mg e não esta na lista.

Anônimo disse...

Mais uma vez está provado: o que faz mal é o remédio. Quem mais mata é o médico. Duvidam? Informem-se,