PSDB votará com Sartori no caso do RRF dos Estados

Embora tenha decidido sair do governo Sartori (a saída será concretizada dia 20 de janeiro), os quatro deputados do PSDB votarão com a base aliada neste caso da autorização para adesão ao RRF dos Estados.

Amanhã, os tucanos gaúchos terão tempo de TV para apresentar seu candidato ao Piratini, Eduardo Leite.

6 comentários:

Anônimo disse...

Muito bom o editorial RBS sobre as mazelas da OI, pior operadora do Brasil.

Anônimo disse...

O PSDB têm coerência no que prega e pratica, muito diferente dos vermelhos Escarlates atrasados.

Anônimo disse...

Boa

Anônimo disse...

Todos os partidos e deputados bem intencionados votarão a favor. Votarão contra os petralhas corruptos e seus satélites.

Anônimo disse...

Tem que privatizar!

Anônimo disse...

http://www.amigosdepelotas.com.br/blog/de_novo_o_relato_de_cobranca_de_propina_no_sanep.html

Há algo de muito estranho na gestão de Paula Mascarenhas, que fala de si como representante da "Nova Política". Volto a dizer: outro dia, conversando informalmente com um magistrado, ele relatou o caso de dois empresários que lhe confessaram, constrangidos, que uma pessoa do PTB em cargo de confiança no Sanep cobrou propina deles para liberar licenças. A situação permanece sem posicionamento oficial da prefeita, que não procurou o site para desmentir a informação.
Os empresários, após resistirem algum tempo, dizem que pagaram a propina, pois estavam tendo seus empreendimentos imobiliários prejudicados pela prefeitura, que "segurava" seus projetos de construção, adiando licenças, e evitando que eles competissem no mercado.

Falei pessoalmente com os dois empresários. Um não quis falar do caso. O outro é uma pessoa que conheço. Ele admitiu o ocorrido. Contou tudo, mas pediu para não divulgar seu nome nem o da pessoa que cobrou a propina.

A propina foi paga em maleta, como no caso do deputado Rocha Loures, que foi flagrado correndo com uma mala de rodinhas para o táxi. Ele se disse envergonhado e indignado, mas que se viu sem saída, pois, sem as licenças, seus empreendimentos não avançariam e perderia mercado.

Perguntei por que não denunciou o caso no Sindicato da Indústria da Construção Civil (Sinduscon) ou levou o caso à prefeita Paula.

Ele respondeu: "E se a prefeita estiver envolvida? É difícil".

Por direito legal e por respeito, preciso preservar as fontes, que não querem se manifestar neste momento. Preferem esperar que a questão chegue, se chegar, aos cuidados do Ministério Público e da Justiça.

Procurando contribuir com a prefeita Paula Mascarenhas, a quem dei um voto de confiança durante a campanha eleitoral - do qual agora me arrependo -, informei a um interlocutor da prefeitura sobre os casos de que tive ciência, na esperança de que providências fossem tomadas. Não foram.

Faz quatro meses desde meu informe e a pessoa apontada como operador da propina continua empregada no Sanep, em cargo de confiança.

O suposto operador tem sido apresentado como um dos representantes da campanha da Eduardo Leite a governador do estado.