Astor Wartchow - Exportação de Revoluções

- O autor é advogado no RS.

 Na história mundial ocorreram experiências de exportação de ideais revolucionários. Na teoria , mais fácil, obviamente. Porém, na prática, mais complexo.
      
Inspirada no ideal marxista-leninista, a revolução russa se revelou uma das mais influenciadoras, sobretudo no pós segunda-guerra mundial ao co-estabelecer de modo grave e belicoso a dita “guerra fria”.  Outra prática exportadora que se revelou influente foi a revolução cubana.
      
Independentemente das motivações e razões teóricas e idealizadas que possam representar, quero destacar a conseqüência onerosa - social e econômica - aos “exportadores”.
     
CLIQUE AQUI para ler mais.

2 comentários:

Anônimo disse...

EXCELENTE TEXTO, COMO TODOS DESSE PROFESSOR!

Ultra 8 disse...

UM DETALHE A MAIS NA HISTÓRIA DO "DOTÔ PROFESSÔ ADIVOGADU".

ISTO TUDO É MIMIMI,AQUI ESTÁ COMO FOI TRAMADO ESTE LIXO PELOS SIONISTAS.

A CARTA DO MAÇON ALBERT PIKE A GIUSEPPE MAZZINI...

Albert Pike supostamente teria recebido uma visão, cuja qual foi descrita pelo próprio numa carta endereçada a Giuseppe Mazzini, com data de 15 de Agosto de 1871. Nesta carta estão descritos os traços gerais para a criação de três guerras mundiais cujas quais seriam necessárias para trazer a Nova Ordem Mundial.

Esta carta esteve em exposição por um breve período de tempo no British Museum Library de Londres em 1925, de acordo com o Cardeal Caro y Rodriguez de Santiago do Chile, cujo qual a transcreveu e posteriormente a publicou no seu livro “The Mistery of Freemasonry Unveiled”.

No entanto, o museu nega a existência de tal documento.

“A Primeira Guerra Mundial deve decorrer de forma a permitir que os Illuminati derrubem o poder dos Czares da Rússia e garantir que esse país se torne um bastião do comunismo ateísta. As divergências causadas pelos agentes Illuminati entre a Alemanha e a Inglaterra serão usados para fomentar esta guerra. No final da guerra, o comunismo será criado e usado de forma a destruir outros governos e ainda para enfraquecer as religiões.”

“A Segunda Guerra Mundial deve ser fomentada por forma a tirar vantagem das diferenças entre os Fascistas e os Sionistas políticos. Esta guerra tem de surgir de forma a que o Nazismo seja destruído e o Sionismo político se torne forte suficiente para instituir um Estado soberano de Israel na Palestina.
Durante a Segunda Guerra Mundial, o comunismo internacional tem de se tornar forte suficiente de forma a contrabalançar a Cristandade, o qual deverá então ser refreado e contido em cheque, até ao momento em que nós voltaremos a necessitar dele para o derradeiro cataclismo social.”

“A Terceira Guerra Mundial tem de ser fomentada de forma a tirar vantagem das diferenças causadas pelos agentes Illuminati entre os Sionistas políticos e os líderes do mundo Islâmico. Esta guerra tem de ser conduzida de forma a que o Islã (Mundo Árabe Muçulmano) e o Sionismo político (Estado de Israel) se destruam mutuamente. Entretanto as outras nações, mais uma vez divididas nesta matéria serão constrangidas a lutar até ao ponto de completa exaustão física, moral, espiritual e económica. Nós iremos então libertar os niilistas e os ateus, e então iremos provocar um formidável cataclismo social em que em todo o seu horror mostrará claramente a todas as nações as consequências do ateísmo absoluto, origem de selvajaria e agitação sangrenta.

Então por todo o lado, os cidadãos, obrigados a se defender eles próprios contra as minorias revolucionárias, irão exterminar esses destruidores da civilização, e a multidão, desiludida com o Cristianismo, cujos espíritos ficarão a partir desse momento sem compasso ou direção, ansiosos por um ideal mas sem saber para onde direcionar essa adoração, irão receber a verdadeira luz da manifestação universal da doutrina pura de Lúcifer, trazido finalmente aos olhos do público. Esta manifestação será resultado de um movimento reacionário geral no qual se seguirá a destruição da Cristandade e do ateísmo, ambos conquistados e exterminados ao mesmo tempo.”