Ascensão e queda do M.Grupo — parente distante da família Trajano

A revista Exame conta nesta quinta-feira de que modo o dono do gaúcho M.Grupo, Porto Alegre, se vinculou à imagem da varejista Magazine Luiza para vender imóveis e endividado, deixou clientes e investidores na mão

A reportagem de Maria Luíza Filgueiras foi disponibilizada na edição de hoje do site da revista Exame.

Leia tudo:

O empresário Lorival Rodrigues queria transformar o mercado imobiliário de Porto Alegre. Em 2010, começou a levantar recursos e a buscar clientes para projetos ousados. O plano era construir shoppings, hotéis, prédios residenciais e comerciais, incluindo o maior do Rio Grande do Sul, com 42 andares de escritórios. Para concretizar os projetos, Rodrigues criou uma empresa e a batizou de Magazine Incorporações. Ele havia trabalhado durante quase uma década na varejista Magazine Luiza — trabalhava na área de consórcios da varejista, na Região Sul do país. Mas, segundo clientes e investidores, o empresário fazia questão de ressaltar, em reuniões, a “proximidade” com a família Trajano, fundadora e maior acionista do Magazine Luiza. Contava que era sobrinho de dona Luiza Trajano. E arrematava dizendo que tinha ações da varejista (EXAME apurou que ele é sobrinho do marido de dona Luiza e não fazia parte do bloco de acionistas).

Não demorou para que a Magazine Incorporações ficasse conhecida na região metropolitana de Porto Alegre como o braço imobiliário do Magazine Luiza. 

CLIQUE AQUI para saber todos os detalhes.

3 comentários:

Anônimo disse...

No RS é assim, quando algum projeto é ousado (se é que prédio com mais de 100m ainda é ousadia) a coisa não anda, é fantasioso ser audaz.

Anônimo disse...

Um negocio totalmente alavancado em capital de terceiros que surgiu na véspera da maior crise da história do Brasil. É obvio que nao iria dar certo. Mas a política de Lula e Dilma também tem culpa nesta falência.

Anônimo disse...

Picaretagem ao invés de trabalho