Plenário da Câmara já se reúne para votar pedido de autorização para processar Temer

O vice-líder do governo, Darcisio Perondi, acha que o governo conseguirá entre 250 a 277 votos, mais do que suficiente para arquivar a denúncia.

Com início agendado para as 9h de quarta-feira, semana que vem, o plenário da Câmara cumprirá a pauta de discussão e votação do pedido do STF para processar o presidente Michel Temer.

Para o STF iniciar investigações contra o presidente e ministros, são necessários no mínimo 342 votos contrários ao parecer do relator.

A CCJ aprovou relatório do deputado Bonifácio de Andrade, mandando arquivar o pedido.

O governo também exonerará 10 ministros para que eles voltem à Câmara, tudo com o objetivo de votar contra a denúncia contra o presidente da República. Todos eles devem ser renomeados para o primeiro escalão após a votação no plenário da Câmara.

3 comentários:

Unknown disse...

Seria mais adequado chamar de convenção de criminosos se reúne para planejar seu futuro pessoal e da Orcrim!!!
A nação que se exploda!!!
"Farinha pouca, meu pirão primeiro"!!!

Mordaz disse...

O antro vai mais uma vez livrar seu chefe.

Anônimo disse...

iFHC ganha mais R$ 9 milhões da Rouanet para projeto prorrogado há 10 anos:

20/10/2017 - 14:41 - Patricia Faermann

O valor é 64% do que o Instituto do ex-presidente angariou com a Lei em 10 anos por um projeto de acervo que deveria estar concluído

Jornal GGN - O uso de recursos para financiar projetos por meio da Lei Rouanet pelo ex-presidente Fernando Henrique Cardoso é polêmica há mais de uma década. Desde o ano passado, deputados tentam abrir uma CPI para investigar estas arrecadações. Mesmo em plenas pressões por se apurar os números e suspeitas de irregularidades, o Diário Oficial trouxe outra revelação: FHC receberá quase R$ 9 milhões para um projeto de dois meses de acervos de figuras do PSDB.

O valor é mais do que a metade que o Instituto do político tucano recebeu durante 10 anos pela Lei de incentivo fiscal. Foi divulgado na página 11 do Jornal 1 do Diário Oficial da União desta quinta-feira (19):

A publicação foi assinada pelo Superintendente da Secretaria de Fomento e Incentivo à Cultura, Vitor Elisio Goes de Oliveira Menezes, estabelecendo todos os incentivos da Lei Rouanet (nº 8.313).

A maioria dos projetos divulgados no caderno desta quinta-feira custaram ao Ministério da Cultura entre R$ 200 mil e R$ 1,5 milhão. Destoam três outros que alcançaram números superiores: um projeto de grandes mestres da música brasileira em São Paulo, com R$ 2,2 milhões; um espetáculo musical infantil, no Rio de Janeiro, que arrecadou R$ 4,9 milhões; e o plano anual da Casa Fiat de Cultura, em Belo Horizonte, com R$ 7,3 milhões.

Nesta data, o maior projeto beneficiado foi o da Fundação Fernando Henrique Cardoso: "Prosseguir o tratamento técnico do Acervo Presidente Fernando Henrique Cardoso; finalizar o tratamento de parcela do Arquivo Sergio Motta, referente à gestão do Ministério das Comunicações; iniciar o tratamento do Arquivo Mário Covas, que será posteriormente transferido ao Arquivo Público do Estado de São Paulo".

Valor solicitado ao Ministério da Cultura: R$ 8.991.254,98. Valor aprovado: R$ 8.991.254,98.

Os benefícios obtidos pelo instituto do ex-presidente e líder tucano pela Lei Rouanet e incentivos culturais são manchetes da imprensa há mais de dez anos. Em 2009, os jornais divulgavam que o instituto iFHC captou mais de R$ 5 milhões, desde 2007, para manter o acervo de FHC. Parte dos trabalhos ainda nem sequer haviam sido concluídos. (...)