Polícia Federal diz que é corrupta a presidente nacional do PT, Gleise Hoffmann

No relatório de conclusão de um inquérito instaurado no Supremo Tribunal Federal, a Polícia Federal (PF) atribuiu à senadora Gleisi Hoffmann (PT-PR), presidente do PT, a prática dos crimes de corrupção passiva e lavagem de dinheiro. O caso em questão, que tramita em segredo de justiça no STF, apura crimes na campanha eleitoral de 2014 ao Senado.


Em nota, representantes jurídicos negaram que a senadora tenha cometido crime. 

A investigação remonta a fevereiro de 2016, quando a PF apreendeu documentos na residência de Maria Lúcia Tavares, secretária do setor de operações estruturadas da Odebrecht. Entre eles, planilhas relatando dois pagamentos de R$ 500 mil cada a uma pessoa de codinome “Coxa”, além de um número de celular e um endereço de entrega.