Opinião do editor - Por que você acha que José Fogaça anda na contramão ?

No RS, a aparente falta de definições claras e imediatas sobre questões políticas decisivas são mal interpretadas, como tem acontecido em relação às posições publicamente assumidas pelo ex-prefeito José Fogaça nas últimas eleições presidenciais e, agora, no Caso Temer.

As guerras gaúchas explicam o belicoso espírito gaúcho e a tradição cultural de tomar lado de imediato. Como se sabe, em guerras não se mandam flores e nem existem combatentes que não sejam aliados ou inimigos,

A política pode até ser uma extensão da guerra de outras maneiras, numa inversão do que ensinou Von Clausewicz, mas as regras não são as mesmas que existem no campo do combate armado.

No caso de José Fogaça, ele agiu corretamente quando se recusou a ficar com Dilma e Aécio, como se percebe agora nos casos Lava Jato e JBS.

Neste Caso Temer, o ex-prefeito, agora deputado, quer apenas o direito de examinar os autos para só então decidir.

E está novamente com razão.

Se fizer isto com correção, José Fogaça trucidará a inconsistente, demagógica e inaceitável peça jurídica protocolada no STF por Rodrigo Janot, porque nem ao mérito será possível aceitá-la.