Ré na Lava Jato, acusada como corrupta, senadora Gleisi Hoffmann chama Lula, Dilma e Graça Foster como testemunhas

A senadora Gleisi Hoffmann e o marido, Paulo Bernardo, alvos de ação penal na Lava Jato, apresentaram ao ministro Edson Fachin, relator do caso no Supremo Tribunal Federal (STF), a lista de testemunhas de defesa. O casal petista relacionou, entre outros, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e sua sucessora, Dilma Rousseff, os ex-presidentes da Petrobras Graça Foster e Sérgio Gabrielli, o ex-ministro Gilberto Carvalho e o ex-assessor da Casa Civil Beto Vasconcelos. As audiências vão ocorrer entre junho e agosto.

Gleisi e Paulo Bernardo, que foi ministro nos governos de Lula e Dilma, são processados pela Procuradoria-Geral da República pelos crimes de corrupção passiva e lavagem de dinheiro. A dupla foi acusada pelo Ministério Público de ter articulado o recebimento de doação ilegal no valor de R$ 1 milhão para a campanha da senadora em 2010.