Assembléia do RS acovarda-se e não vota PEC que acaba com cedências pagas para sindicatos e associações de servidores

Ontem, novamente, a PEC foi mantida no freeezer.

Desde o dia 26 de dezembro do ano passado, portanto há meio ano, os deputados estaduais gaúchos engavetam a PEC número 256/2016, proposta pelo governo estadual, que acaba com o trenzinho da alegria que garante salários e promoções integrais para as duas centenas de servidores cedidos para sindicatos e associações estaduais. Em praticamente 100% dos casos, os servidores cedidos atacam o governo em regime de full time, pagos pelo Tesouro.

Muitos dos servidores cedidos estão fora do local de trabalho há mais de 20 anos.

Os deputados têm medo das corporações.

A PEC de Sartori é enxuta:

Art. 1º O inciso II do artigo 27 da Constituição do Estado do Rio Grande do Sul passa a ter a seguinte redação: “Art. 27.................................... .................................................. II – aos representantes das entidades mencionadas no inciso anterior, à licença sem remuneração para o desempenho de mandato em confederação, federação, sindicato ou associação de classe de âmbito nacional ou estadual, sem prejuízo da sua situação funcional, exceto promoção por merecimento, e desde que mantida a contribuição previdenciária, nos termos da lei.

CLIQUE AQUI para ler a justificativa da PEC.