Deflação dos preços das commodities em reais força queda dos preços dos alimentos

Acreditamos que os preços de alimentos ao consumidor começarão a ceder daqui para frente, refletindo o alívio das cotações dos produtos agrícolas, observado nos mercados interno e externo. Essa nossa expectativa foi reforçada pelo resultado do IC-Br de agosto, que mostrou deflação de 2,6%. Vale lembrar que esse indicador, divulgado ontem pelo Banco Central, mensura o preço das commodities em reais. O resultado sucedeu uma queda de 5,7% em julho e estabilidade em junho. Essa nova retração refletiu, majoritariamente, o recuo de 3,3% dos preços das commodities agropecuárias. No mesmo sentido, as cotações das energéticas recuaram 1,3%. Por fim, as metálicas apresentaram leve alta de 0,2% no mês passado. Assim, o IC-Br acumulou deflação de 6,4% nos últimos doze meses. 

Essa queda das cotações internacionais das commodities deverá contribuir, em certa medida, para a descompressão dos preços internos de alimentos ao consumidor, em linha com o comportamento dos preços por atacado observado no mesmo período.

Nenhum comentário: