Ministro da Defesa diz que vai arrochar segurança por causa de Nice.

Ao lado, cadáveres de vítimas do terrorismo em Nice, ontem a noite.

O ministro da Defesa, Raul Jungmann, declarou nesta sexta-feira que o atentado que matou mais de 80 pessoas na cidade de Nice, no sul da França, deve promover um arrocho nas medidas de segurança para o público durante os Jogos Olímpicos e Paraolímpicos do Rio de Janeiro. E que isso pode causar transtornos ao público que irá aos eventos. Uma das medidas anunciadas será um adicional de 3.200 homens das Forças Armadas será disponibilizado para uma contingência que se somará aos mais de 21 mil militares já designados para a cidade do Rio durante os Jogos Olímpicos.

“O atentado em Nice preocupa a nós também. Acompanhamos todos os fatos e tiramos algumas lições. Vamos ter que revisar procedimentos, ampliar barreiras, as revistas, vamos ter que ter uma segurança muito mais rígida. Infelizmente isso pode ser uma dificuldade a mais e um transtorno para as pessoas, mas é para o bem e para a segurança delas”, afirmou o ministro, em entrevista à rádio CBN.

4 comentários:

Mordaz disse...

Sem um serviço de inteligência de qualidade não adianta muito. Já estamos atrasado para tomar providências que teriam que ter sido tomado há tempos.

Anônimo disse...

Precisamos ouvir a dilma. Vamos ver o que ela tem a nos ensinar a respeito dessa atrocidade, se é caso de dialogar com o terrorista ou não. Tbém vamos ver o que ela pensa do golpe na Turquia, se é mesmo golpe ou se neste caso trata-se apenas de defesa da nação.

Anônimo disse...

E quem disse a esse traidor que algum lobo solitário tem de fazer obrigatoriamente terrorismo no Rio de Janeiro?

Anônimo disse...

É ingenuidade supor que os terroristas irão atacar o ponto mais protegido do país, a saber o RJ e o perímetro dos jogos olímpicos. Alvo provável serão algumas das diversas sinagogas existente em nosso país, longe do centro do RJ, ou também algum prédio dos EUA, como as embaixadas em BRasília ou SP.