Reinaldo Azevedo reclama ação dos humanistas contra Lista Burmann-Schloesser

José Fernando Schlosser, o autor do memorando absurdo

As informações que o editor passou em primeira mão na manhã desta quinta-feira sobre o caso da UFSM já repercute no exterior e no Brasil com grande força. O jornalista Reinaldo Azevedo, Veja, aborda hoje o assunto, num artigo intitulado: "Atenção, judeus e humanistas de todas as origens ! Um ato explícito de antissemitismo na Universidade Federal de Santa Maria. E aí ? Vai ficar por isso mesmo ?

Leia tudo. 

Quando a gente acha que eles já chegaram ao limite até do intolerável, estejam certos, dão mais um passo e mergulham na abjeção mais explícita, mais descarada, mais asquerosa. Algo de muito grave aconteceu na Universidade Federal de Santa Maria  (UFSM), no Rio Grande do Sul. Trata-se de um ato explícito, acho eu, de antissemitismo — e não adianta dourar a pílula —, que agride o Artigo 5º da Constituição e a Lei 7.716, atualizada pela 9.459, que pune o crime de racismo.

O que aconteceu? O inimaginável.

José Fernando Schlosser, pró-reitor de pós-graduação da UFSM, enviou um memorando a todos os chefes do programa cobrando uma relação de alunos e professores oriundos de Israel. Ele deixou claro de quem era a solicitação: Diretório Central de Estudantes (DCE), Seção Sindical dos Docentes da UFSM (Sedufsm), Associação dos Servidores da UFSM (Assufsm) e Comitê Santamariense de Solidariedade ao Povo Palestino. Vejam.

Para quê? Com que propósito? O memorando não explicita, mas todos sabem o que todos sabem: o objetivo era propor boicote a esses cursos e, na prática, hostilizar os alunos e professores israelenses porque… israelenses. Talvez o tal Comitê Santamariense de Solidariedade ao Povo Palestino tenha explicação melhor.

É claro que se trata de uma manifestação arreganhada de antissemitismo. Ah, não? Não tem nada a ver com o fato de serem judeus? Serve, então, uma acusação de “anti-israelismo” — como se fosse coisa muito distinta? Por que o tal Comitê Santamariense de Solidariedade ao Povo Palestino quer saber onde estão os israelenses? Por que o DCE quer a lista? E as entidades de caráter sindical?

Essa gente toda tem de ser processada. É claro que José Fernando Schlosser, com sua espantosa irresponsabilidade, tem de encabeçar a lista. O segundo pode ser o reitor da instituição, o senhor Paulo Burmann. Por quê? Explico. Vejam isto.

Burmann confirma que o pedido foi mesmo feito, mas nega que o documento tenha sido emitido com as palavras de ordem apostas ao texto “Freedom for Palestine” e “Boycott Israel”. Em nota, afirma o seguinte:

“Diante do fato, o reitor da UFSM, Paulo Afonso Burmann, reitera que o documento é ‘inverídico e fraudulento’ e que os responsáveis pela fraude e disseminação serão identificados. Complementa ainda que, encaminhando o documento original, a Instituição apenas cumpriu a Lei de Acesso à Informação.”

Uma ova, doutor! A Lei de Acesso à Informação não serve a esse propósito. Em que a lista de estudantes e professores judeus pode  ser útil às entidades que o solicitaram? Quer dizer que Burmann acha grave que alguém escreva num documento “liberdade para a Palestina” e “boicote a Israel”, mas acha normal que se encaminhe uma solicitação como aquela? O grave, meu senhor, não está contido naquela imagem, mas no texto em si e na iniciativa.

No jornal Zero Hora, leio a seguinte desculpa esfarrapada:
“A Sedufsm também nega qualquer tipo de discriminação e alega que havia pedido informações sobre um possível convênio entre UFSM e a empresa israelense Elbit, que fabrica armamentos e aeronaves. A justificativa para o pedido de informações é que a Sedufsm é contra a participação da UFSM em convênio que possa resultar em armas a serem usadas contra os palestinos, que estão em conflito com Israel.”

Ah, não me diga! E se for um convênio com Venezuela, Cuba, Angola, Bolívia ou Equador?

As universidades federais, com exceções raras, tornaram-se antros da militância ideológica mais obtusa, mais obscurantista, mais cretina e, parece-me, potencialmente violenta. Vejo na justificativa da Sedufsm uma espécie de confissão: ainda que o tal convênio existisse, por que alunos e professores israelenses deveriam responder por ele?

Leio no blog do jornalista Políbio Braga que “o professor da Ufrgs, também jornalista, Luís Milmann, protocolou uma notícia-crime contra Schlosser no Ministério Público Federal. Denunciou ainda a prática discriminatória à Polícia Federal, à reitoria da UFSM, ao Ministério da Educação, à Presidência da República, à embaixada de Israel no Brasil, ao presidente da Federação Israelita do Rio Grande do Sul e ao Movimento Justiça e Direitos Humanos.

É o certo. O que se deu é muito grave. Esse tipo de delinquência política, intelectual e moral não pode mais ter lugar nas universidades brasileiras, muito especialmente nas públicas, assaltadas por grupelhos de extrema esquerda que se querem os intendentes de uma ordem que afronta as instituições e a Constituição do Brasil.

Se o ato do tal professor é asqueroso, não é menos deletéria a reação do reitor, que se incomoda com o menos e tenta justificar o mais. A reitoria diz ainda que jamais forneceria os respectivos nomes de alunos e professores, mas apenas a existência ou não dessas pessoas. Ainda que fosse assim, com que propósito?


O que querem as entidades que pediram a informação? O que quer o professor? O que quer o reitor? Que os judeus passem a circular no campus com uniformes listrados e uma estrela amarela no peito?

25 comentários:

Anônimo disse...

A doença bolivariana está se alastrando nas universidades. Qual o propósito dessa lista? Vergonhoso!

Anônimo disse...

Cadeia para os doisracismo é crime inafiancavel.
E exoneracào por justa causa.

Anônimo disse...

O petismo lançando ovos da Serpente em mais uma cena de fascismo explícito, perderam totalmente a vergonha da mesma forma que os nazistas na década de 1930. Ou se corta o mal pela raiz ou seremos escravos em breve. Da mesma forma que é proibido o uso de suásticas, devemos banir a estrela, a foice e o martelo , pois o Brasil é verde e amarelo!

joseph almeida disse...

POLIBIO,

"Professor": José Fernando Schlosser!!! "Reitor": Paulo Burmann!!!! Huuuuummm!!! Com esses nomes germânicos, acho que a afirmativa final do texto se encaixa perfeitamente, ou seja, querem sim: "que os judeus andem pelos campus... (falei campus!!! e não campo...)com uniforme listrados e estrela amarela no peito...", TAL COMO NO CAMPO (FELEI CAMPO E NÃO CAMPUS) DE CONCENTRAÇÃO NAZISTA....

JÁ VIMOS ISSO ANTES, NA PÁTRIA QUE DEU ORIGEM A ESSES PUSILÂNIMES, "PROFESSORES": SHOLOOSSSER ("PROFESSOR") E BURMANN ("REITOR")!!!

A ESPECIALIDADE DESSES CAMARADAS NÃO É MÉDICA É??? TAMBÉM... SOMOS OTIMISTAS DEMAIS, E AINDA NOS SURPREENDEMOS COM ISSO, COM ESSAS BARBARIDADES, O QUE AFINAL ESPERAMOS DE ADEPTOS, ADORADORES, IDÓLATRAS DE ASSASSINOS DE CENTENAS DE MILHÕES DE PESSOAS DO SÉCULOS VINTE (CHINA, UNIÃO SOVIÉTICA, VIETNAN, CAMBOJA, ETC.), E, ADEPTOS DE ASSASSINOS DE DEZENAS DE MILHARES DE PESSOAS EM CUBA???

ESSES SÃO OS REPRESENTANTES DOS CAMARADAS... OS COMUNAS, OS IRMÃOS GÊMEOS DOS NAZISTAS... DELES NÃO SE PODE ESPERAR NADA A NÃO SER O OPRÓBIO, A IMORALIDADE, A BESTIALIDADE...


ABRAÇOS

Anônimo disse...

Como estes senhores ainda não foram presos em flagrante por incitação do ódio e racismo?

A RBS, cujos proprietários são hebreus, não deu a menor atenção a isto. A comunidade israelita está calada. A OAB calada. Os direitos humanos calados. A grande mídia calada. Em que país estamos?

Imaginem se fosse o contrário, perseguindo palestinos. A legião de petista já tinha preso os autores.

Cadeia a estes anti-semitas JÁ ! Racismo é crime inafiançável e vale para todas as raças .

Anônimo disse...

aonde esta a Maria do Rosario?ficou muda esta gazela

Anônimo disse...

Queremos os nomes de todos os muçulmanos na UFSM para que possam ser monitorados, pois e aí que mora o perigo.

Anônimo disse...

Que o Mossad entre em cena.

Anônimo disse...

Gradativamente o Brasil está descendo ao fundo do poço da imoralidade. É uma pena, um país que outrora era invejado por outros países pela convivência pacífica entre os povos.Em nome de quê tudo isso,será que tem algo por trás pretendendo avacalhar o Brasil?

Anônimo disse...

Triste cidade de Santa Maria. Não bastasse a tragédia da boate Kiss, agora passa pela vergonha promovida pelos nazistas da universidade local. Essa gente é paga com dinheiro público para incitar o ódio aos judeus. O ministro da Justiça com certeza não vai se manifestar. O ministro da Educação com certeza não vai se manifestar. Universidades públicas federais são conhecidas por incorporar a greve de professores no calendário escolar. Todo ano tem uma. E quando não estão em greve, caçam judeus em Santa Maria.

Anônimo disse...

Cana para esse pseudo-reitor e esse pseudo-professor da UFSM. Essa corja, que somente denigre nossas instituições (em particular, as do ensino superior) deve ser banida. Retraterem-se,desculparem-se e pedirem a exoneração deveria ser o mínimo para quem tem vergonha na cara! Mas como vergonha na cara não faz parte do cidionário desses esquerdopatas, não esperemos muito dessa máfia, a não ser mais lambança.

Anônimo disse...

São pilantras que vivem grudados em suas tetas estatais e acham que podem tudo dentro dos pântanos morais que se tornaram nossas universidades. Só que agora se meteram com gente aguerrida e quem sabe se defender e tem poder para isso. Não vai sair barato essa cagada, podem apostar.

Anônimo disse...

Políbio,

Estamos vendo o renascimento das "Forças SS" em plena Santa Maria da Boca do Monte??

O sobrenome "Schlosser" significa "palácios".

Após a 2a. Guerra, poucos sobreviveram as ondas de suicídios por medo de sofrerem o mesmo que fizeram com os judeus, ciganos, deficientes físicos, gays ....

Ocorre que imigrantes que fugiram ANTES das Grandes Guerras ainda nutrem um certo "gostinho" pelas idéias fascistas e nazistas.

JulioK

fred oliveira disse...

O Brasil perdeu-se desde que Lula assumiu o poder. Perdeu a marca de sua fraternidade pois o Nos contra eles passou a ser a linha do raciocinio dos que estao no poder. A divisao do pais realizada pelos disturbios da mente dos ideologos e' um mal que o Brasil levara' muito tempo para superar. Espero que eu esteja enganado. Que coisa horrivel e sem explicaçao essa da universidade em relaçao aops israelitas ou judeus. Isso precisa ser resolvido, com a justiça fazendo sua parte.

Anônimo disse...

OLHA, REALMENTE O CASO DOS ESTUDANTES É RIDÍCULO NUM PAÍS QUE SE DIZ DEMOCRÁTICO, POIS NA REALIDADE É UM PAÍS DE MERDA E INFILTRADO POR AGENTES BOLIVARIANOS QUE NEM SABEM QUE O BOLÍVAR ERA UM GRANDE VEADO.
AGORA APROPÓSITO DO CASO "KISS " EU LAMENTEI MUITO,MAS MUITO MESMO PELA PERDA DE TANTOS JOVENS.
ISSO É UMA COISA TRISTE E DEVEREMOS PUNIR TODOS OS RESPONSÁVEIS.
ENTRETANTO TODOS OS OCUPANTES DA BOATE ERAM FORMANDOS OU FORMADOS E TINHAM PLENA CONSCIÊNCIA DE QUE AQUILO ERA NAS CONDIÇÕES DO DIS , UM TREMENDO BURACO QUENTE. FICARAM PORQUE QUIZERAM, NINGUEM ERA CRIANÇA DE MATERNAL.
AGORA , ISTO É, SEMANAS APÓS O INCÊNDIO JÁ ESTAVAM SENDO CONTRATADOS ADVOGADOS PARA CONSEGUIR INDENIZAÇÕES MILIONÁRIAS E INCLUSIVE MENCIONARAM VALORES..
PORRA, NO MOMENTO QUE ACHAM UMA BRECHA CONDENANDO ALGUM SEVIDOR PÚBLICO JÁ ESTÁ SENDO ABERTO O CAMINHO PARA O ESTADO E PREFEITUNA PAGAR INDENIZAÇÕES COM O DINHEIRO DOS CONTRIBUITES , COMO EU ,QUE NÃO MORO, NUNCA PASSEI NEM PERTO DE SANTA MARIA .
VAI SER CRIADA A " BOLSA KISS "
DESCULPEM-ME OS FAMILIARES MAS ISTO NÃO ESTÁ CERTO.

Anônimo disse...

Todos os "juízes" do blog condenaram o reitor Burmann e o pró-reitor Schlosser com base na opinião dos jornalistas Milmann e Braga. Não seria interessante saber a versão dos "condenados"????

Nesta guerra irracional entre judeus e árabes não existe santo e no ocidente eles usam duas armas: mídia e finanças.... ou falam mal de ti ou te ferram com dinheiro. Cuidado pra não serem usados numa guerra que os brasileiros toda vez que meteram a colher se queimaram (independente do lado que defenderam...).

O que precisamos reforçar, na construção de um RS moderno, é que TODOS que vierem pra cá pra trabalhar, investir e produzir são bem vindos e serão tratados com justiça e igualdade independente da sua origem, religião, orientação politica.

Anônimo disse...

É no que dá ler tanto Paulo Freire. Ficaram de miolo mole, cuca fu(n)dida...

Anônimo disse...

POLIBIO:

O REINALDO AZEVEDO LÊ O SEU BLOG ?

ISSO É MUITO BOM. UMA REFERÊNCIA.

AFINAL ELE TB É PROFESSOR, E UM HOMEM CULTO. UMA MENTE BRILHANTE!

ENTÃO, POR FAVOR, AVISA PARA ELE QUE A FAMÍLIA DELE, OS AZEVEDO, SÃO CRISTÃOS NOVOS

SIM, ELE TB É JUDEU ! CRISTÃO NOVO !

POR TAL MOTIVO É A MENTE BRILHANTE QUE TODOS NÓS RECONHECEMOS.

SERIA BOM QUE ELE CONSULTASSE O LIVRO DO FLÁVIO MENDES DE CARVALHO QUE TEM AS SENTENÇAS DA INQUISIÇÃO.

MUITOS DOS ANCESTRAIS DELE, ASSIM COMO OS MEUS, ESTÃO LÁ.

CONDENADOS POR SEREM BEM SUCEDIDOS, E BRILHANTES.

É SÓ OBSERVAR AS PROFISSÕES QUE EXERCIAM.

CONDENADOS E PERSEGUIDOS POR PURA INVEJA.

AH. É BOM LEMBRAR QUE A MAIORIA DOS MINISTROS DO SUPREMO É CONSTITUÍDA POR JUDEUS - FUCS - E POR MELLOS, OU MELO.

FERNANDO HENRIQUE - FHC - E RUTE CARDOSO, TAMBÉM. MORAVAM EM HIGIENÓPOLIS, O BAIRRO JUDAICO CLASSE ALTA DE SÃO PAULO.

PERTINHO DA SINAGOGA MAIS INFLUENTE E ELITIZADA DO ESTADO .

OS CARDOSO ESTÃO NAS LISTAS DA ,INQUISIÇÃO COMO JUDEUS CONVICTOS.

E ALKIMIN, QUE É TAMBÉM RODRIGUES, PENTEADO, RAMALHO, HOMEM, E MELLO?

TODAS ELAS FAMÍLIAS JUDAICAS

O BRASIL NÃO É A ALEMANHA.

NÃO É CUBA.

NÃO É VENEZUELA.

NÃO É RUSSIA.

NEM É A CHINA.

O BRASIL TEM SUA ORIGEM NOS JUDEUS DEGREDADOS, PELA INQUISIÇÃO.

QUE SEMPRE FORAM DEMOCRÁTICOS E REPUBLICANOS .SEMPRE LUTARAM PELA LIBERDADE.

ESTARÁ O PT PRETENDENDO RECRIAR AQUI O SANTO OFÍCIO ?

Anônimo disse...

E depois reclamam que uns adolescentes imbecis do Psol queimem por aí a bandeira de Israel. Vem dos grandões incrustados na máquina pública toda a podridão do petismo. ACORDEM.

Anônimo disse...

Perguntem ao Paulo Pimenta o que ele acha do tal comitê pró-palestina, se sabe por quem e quando foi fundado e se ele participou ou não da fundação.

Anônimo disse...

Antes de pegar o pró-reitor como bode expiatório, duas perguntas dessa história precisam esclarecimento:

1) Por que as seguintes entidades: Associação dos Servidores da UFSM (Assufsm), Seção Sindical dos Docentes da UFSM (Sedufsm), Diretório Central dos Estudantes (DCE) e dos demais integrantes do Comitê Santa-mariense de Solidariedade ao Povo Palestino, precisam saber quem são os alunos e professores israelenses da UFSM? Pra que? Sindicato e DCE....

2) De que forma a "Lei de Acesso à Informação" pode obrigar as lideranças da universidade a atender solicitações sem justificativa nem razoável como essa....

Anônimo disse...

Esta história tem os politicos federais petralhas de Santa Maria por trás. O resto são estudantes vaquinhas-de-presépio, laranjas, paus mandados.
Mais todos com culpa no cartório.

Anônimo disse...

Isto só acontece porque os funcionários, incluindo os professores, tem a TERRÍVEL ESTABILIDADE, pois em caso contrário seria fácil manda o autor buscar novo emprego, talvez na Palestina!

Anônimo disse...

Pessoal, vale a pena ler os comentários dos leitores no blog do Reinaldo Azevedo. Aí a gente consegue ter uma ideia da repercussão nacional da estupidez do reitor da UFSM. Isto que fazem só 24 hrs que o Políbio denunciou e poucas horas que o Reinaldo comentou.

Anônimo disse...

Cade o pessoal dos direitos humanos...? direito humano é para pederasta e bandidos...