Aqui estão as provas cabais dos crimes de Lula (Brahma) e o Clube das Empreiteiras

Esta reportagem de capa da revista Veja, "O penúltimo degrau da Lava Jato", é até mais importante pelos fac similes que reproduz, do que propriamente pelas revelações que faz, ainda assim tão tenebrosas quanto eles. Para ver melhor a reprodução ao lado, vá no link para a notícia completa, logo abaixo, clique em cima e amplie. Se ainda assim tiver dúvidas, compre a revista e veja tudo na página da reportagem. 

O fato é que a Polícia Federal ao prender os donos e executivos de mais duas empreiteiras, atingiu o topo da cadeia de comando do esquema de corrupção da Petrobras e está a um passo do ex-presidente Lula

Leia a reportagem assinada por Rodrigo Rangel, Daniel Pereira e Robson Robin:

A partir das primeiras delações premiadas de Paulo Roberto Costa, ex-diretor da Petrobras, e do doleiro Alberto Yousseff, os responsáveis pela Operação Lava-Jato se deram conta de que estavam lidando com um caso que só ocorre uma vez na vida de um policial, de um promotor ou de um juiz. À medida que os depoimentos se sucediam e mais provas iam sendo encontradas, o esquema foi tomando a forma de uma gigantesca operação político-partidária e empresarial destinada a levantar fundos com contratos espúrios de empresas com a Petrobras. As raízes do esquema começaram a ficar cada vez mais profundas, enquanto sua copa passava a abranger políticos postados em galhos cada vez mais altos. Em abril, Carlos Fernandes de Lima, um dos procuradores da Lava-Jato, disse em uma entrevista ao jornal O Estado de S. Paulo que a investigação se tornara tão ampla que chegaria a "mares nunca dantes navegados". Na sexta-feira passada, a Lava-Jato aproou para praias que pareciam inatingíveis, prendendo os presidentes das duas maiores empreiteiras do Brasil - Marcelo Odebrecht, presidente e herdeiro da empresa que leva seu sobrenome, e Otávio Azevedo, o principal executivo da Andrade Gutierrez. O nome da operação da Polícia Federal que fez as prisões não podia ser mais ilustrativo das pretensões dos investigadores: "Erga Omnes", a expressão latina que significa "para todos" e nos tratados jurídicos é usada para proclamar um dos pilares do sistema democrático que diz que ninguém está acima da lei.
A Lava-Jato chegou ao topo? Não existe mais ninguém acima da lei em seu radar investigativo? A resposta é não. A operação chegou aos mais altos suspeitos do braço empresarial do esquema que desviou cerca de 6 bilhões de reais dos cofres da Petrobras. O braço político, acreditam os investigadores, pode subir mais um degrau além do ocupado, por exemplo, por João Vaccari, tesoureiro do PT, preso em Curitiba.Os presos da semana passada podem fornecer as informações que ainda faltam para que a lei identifique e alcance quem comandava o braço político do esquema criminoso. Quem permitia o funcionamento de uma engrenagem que abastecia PT, PMDB e PP com dinheiro sujo. Disse o delegado da Polícia Federal Igor Romário de Paula: "A ideia é dar um recado claro de que a lei vale para todos, não importa o tamanho da empresa, seu destaque na sociedade, sua capacidade de influência e seu poder econômico".
O juiz Sérgio Moro determinou a prisão de Marcelo Odebrecht e Otávio Azevedo, os presidentes da Odebrecht e da Andrade Gutierrez, por considerar que os dois capitaneavam o cartel de empresas que ganhava contratos da Petrobras em troca do pagamento de propina a funcionários da estatal e a políticos. Em seu despacho, Moro registrou que delatores do petrolão haviam dito que a Odebrecht pagara subornos no exterior por meio da construtora Del Sur, sediada no Panamá. A Odebrecht vinha negando ter relação com a Del Sur. Moro também anotou a existência de um depósito feito pela Odebrecht numa conta no exterior controlada por Pedro Barusco, o delator que servia ao PT e prometeu devolver aos cofres públicos 100 milhões de dólares. Moro determinou a prisão de outros cinco executivos, três da Odebrecht e dois da Andrade Gutierrez, e expediu 38 mandados de busca e apreensão.

Resta apenas pegar a estrela principal no firmamento governista. Os procuradores e os delegados estão convictos de que a estrela dava expediente no Palácio do Planalto.

14 comentários:

Anônimo disse...

EIS A PROVA CABAIS EM LETRAS GARRAFIAS - a do editor é ilegível.

De O Globo

Documento divulgado pela Justiça Federal do Paraná na última sexta-feira mostram que o ex-presidente da OAS, José Aldemário Pinheiro Filho, o Léo Pinheiro, e executivos da empresa tratavam o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva pelo apelido de Brahma.

E-mails trocados entre o ex-presidente da empresa e César Uzeda, então diretor-superintendente da OAS Internacional, tratavam de viagens e palestras de Lula no exterior. Segundo a Polícia Federal, Brahma era Lula.

“Nosso Amigo Brahma pode fazer uma palestra no dia 26/11. Quem poderíamos convidar? Não quer um público gde (20 a 30) pessoas, tipo mesa redonda. Tema: relação Brasil-Chile”, diz Pinheiro.

Lula esteve em Santiago por dois dias e fez palestras. Segundo a PF, ele viajou em avião oferecido pela empreiteira. Numa mensagem, Uzeda compara Lula à presidente Dilma Rousseff:

“A agenda nem de longe produz os efeitos anteriores do governo Brahma (...) a senhora não leva jeito, discurso fraco, confuso e desarticulado, falta carisma.”

Pronto!

Só faltava essa: até a AmBev tá metida no rolo...

Linha de defesa a ser adotada pelos kakays de Lula: Brahma seria o codinome do Zeca Pagodinho; Lula tá inocente na parada.

Xii, melhor ser chamado de brahma do que Dolly! Será que para o Dr Moro faz diferença?

Zarathustra disse...

O trabalho policial de investigação é lento, para poder coligir todas as provas necessárias ao fechamento dos inquéritos; só aí então, a denúncia à Justiça é feita com chances de serem obtidas prisões e o acolhimento da peça do Ministério Público. Pode ser mesmo que, nesse momento, "A CAMA DO LULA ESTEJA SENDO FEITA".

Anônimo disse...

PROXIMA E DERRADEIRA ETAPA DA LAVA JATO:
“NINE FINGERS“

Anônimo disse...

Até nos presídios todos dizem: "queremos Brahma na cadeia!, queremos Brahma na cadeia!"

Anônimo disse...

PRENDAM ESSE LADRÃO DE UMA VEZ ANTES QUE ELE FUJA PARA CUBA!

Anônimo disse...

Se o 51 pegar uns 13 anos de cadeia regime fechado já Ta bom.

Anônimo disse...

E A JBS ???

Unknown disse...

O Delegado Garisto da Polícia Federal denuncia que tem um grupo chamado Comando Delta, que são os donos do Brasil. Tem Banqueiros, Empreiteiros, Donos de Mídia, Jornais, Rádios, Montadoras, Industriais, militares e etc. Aposto que essa turma se reúne nas sedes das Federações da Indústrias de cada estado. Essa história de ideologia é só papo para enganar o povão.

O que tem são grupos e interesses.

Anônimo disse...

Os empresarios que financiam o PT tem que quebrar sim . Dessa forma acaba de vez o PT.

Anônimo disse...

CADEIA já para o "Brahma pinguço"
FORA PT !!!
FORA PeTralhas !!!
FOICE EM TODOS PETISTAS SAFADOS, que vão roubar em CUBA !!!

Anônimo disse...

Eu acredito!!! Também.

Anônimo disse...

Mas a casa ta ruindo ninguém sustentara ninguém.

Unknown disse...

Avalei este estudo. Alguém pode refutar?
https://www.youtube.com/watch?v=hF7UOsZMQn8

Anônimo disse...

Algum psicanalista de plantão pode por favor me ajudar.

Eu tive um sonho esta noite que, pelo nível de elaboração, me pareceu mais uma premonição do que um sonho. Estou sendo literal, sonhei mesmo, não tem sentido figurado.

O sonho:
"Estou vendo num telejornal a notícia de um escândalo resultado de uma investigação da Polícia Federal que "descobre" um avião da força aérea venezuelana mantido discretamente num hangar, pronto para decolar para a Bolívia em caso de uma nova etapa da operação lava-jato decretar a preventiva do Brahma..."

Agora me digam se lá isso é sonho prum cabra sonhar, ou terei tido uma premonição? Jornalistas investigativos quem sabe vocês não encontram por aí perdido um jatinho bolivariano esquecido...