Infraero volta atrás e diz não ter prazo sobre ampliação do Salgado Filho

A decisão da Infraero sobre a ampliação de pista do Aeroporto Salgado Filho foi novamente adiada. Em julho, o diretor de Desenvolvimento Operacional da Infraero, Geraldo Moreira Neves informou, em entrevista ao programa Gaúcha Atualidade, que uma posição seria tomada até o fim de 2014.

. Desapropriações já foram realizadas na região. Casas estão sendo demolidas. Mais de R$ 100 milhões foram investidos. Mesmo assim, o diretor havia dito que o investimento feito até aqui não traz garantias de que a ampliação será realizada.

. A Infraero informa agora que não há previsão de quando o estudo será concluído. O projeto indicou que o gasto para ampliação de pista será muito maior que o previsto.

6 comentários:

Anônimo disse...

SEMPRE AS PROPINAS!

Anônimo disse...

Políbio,

Tem aquela estorinha de Metro na capital dos gaúchos também.

É lá para o ano de São Nunca!!

JulioK

Anônimo disse...

Tá certo, primeiro temos que construir o superporto do Uruguai, se sobrar algum dinheiro, se ampliará a pista do Salgado Filho!

Anônimo disse...

Políbio, observe que interessante essa desculpa esfarrapada do governo sobre essa novela sem fim da ampliação da pista do Salgado Filho, sob o argumento da suposta "surpresa" de que o solo necessitaria de um reforço que elevaria os custos da obra.

Pergunto: considerando que o solo da parte da pista a ser ampliada é do mesmíssimo tipo de solo da parte já existente e em operação, como pode então ter havido uma "supresa", se o tipo de terreno é exatamente o mesmo e eles, assim o sendo, já tinham desde o início (sempre tiveram e ainda têm) todos os dados referentes ao solo da parte atual já existente da pista, que é do mesmo tipo?

Anônimo disse...

Outra coisa: além das desapropriações milionárias para a efetivação da obra da pista, como tu bem falastes, ainda tem que ser lembrado que há também a construção em andamento de um milionário novo terminal de cargas (que requer a ampliação da pista para receber os grandes aviões de carga para o seu funcionamento) e até mesmo o gasto da constrção do aeromóvel (que incrivelmente liga o trensurb a apenas um dos dois terminais), em que também despendeu muita grana. Porto Alegre não comporta dois aeroportos e com um novo o atual não teria mais voos comerciais, por isso é descabido o aeroporto novo.

Veja que Confins (BH-MG) só se tornou efetivo quando o aeroporto de Pampulha ficou restrito a jatos particulares e aviões regionais para o interior de MG. Os belo-horizontinos até hoje não se conformam em ter que gastar mais no táxi e no tempo de deslocamento até o aeroporto de Confins do que na passagem de avião e no tempo de voo de BH para SP e Rio.

O próprio Rio só tem o Santos Dumont devido à Ponte Aérea, senão também não comportaria dois aeroportos. A única cidade brasileira com demanda para dois aeroportos é SP.

Esse lobby para vetar a ampliação da pista, claramente em prol de um novo aeroporto (cuja escolha da área estranhamente antecedeu à devida fase de qualquer estudo sobre o local efetivamente mais adequado), fica parecendo lobby das construtoras de olho em eliminar as barreiras da construção civil em POA (as quais tb não entendo, já que até em Guarulhos há espigões na linha da aproximação do pouso, não sendo uma exclusividade de Congonhas), motivo pelo qual muito me estranha não poder ter prédios mais altos na 3ª perimetral, que nem fica na rota de aproximação do aeroporto.

Esse aeroporto novo fica parecendo obra pra ter padrinho político e não pra de fato atender aos interesses da população. A capital sofrerá com gastos e deslocamentos desnecessários até o fim do mundo, jogando ainda mais carros nas estradas da entrada/saída da capital. Falam que grandes metrópoles mundiais possuem aeroportos distantes, mas esquecem de dizer que há metrô e trem expresso ligando os centros dessas cidades aos seus respectivos aeroportos (e com preços módicos e em questão de poucos minutos).

O aeroporto de Gatwick, em Londres, por exemplo, possui duas pistas, mas só utiliza uma comercialmente e ainda assim consegue ter quase 40 milhões de passageiros por ano com apenas uma pista para este fim. POA nunca chegará a tanto e, portanto, não precisa de uma segunda pista, mas, sim, da ampliação da atual e do terminal de passageiros.

Não faz sentido ter esse novo aeroporto de portão e muito menos gastar milhões em um novo terminal de carga no atual e em remoções de vilas inteiras para depois não ampliar a pista.

Não vi ninguém questionar esses fatos que falei na grande imprensa.

E tem mais, esses aeroporto novo nem teria uma grande pista. Veja que as duas pistas nem sequer chegariam a 3.500m de extensão, enquanto que aeroportos de grandes cidades, inclusive o Galeão, chegam a ter mais de 4.000m de pista, podendo atender qualquer tipo de avião, por mais gigante que seja.

Ah, e no velho terminal 2 gastaram uma nota preta com pontes de embarque genéricas térreas, com preços superiores ao de uma ponte de embarque convencional (suspensa/aérea). Pra quê? Deveriam ter construído uma sala de embarque nova com pontes de embarque de verdade, acoplada e com acesso pelo terraço do atual velho terminal, como fizeram em Congonhas, que tb era um terminal térro e com enxuta sala de embarque.

Anônimo disse...

Nós, moradores de Portão, da área rural, onde o IMPOSSÍVEL aeroporto 20 de setembro quer se instalar, queremos esclarecer a população que:
- Que o impossível aeroporto que querem instalar em Portão, quer se instalar numa área de 2100 h de área rural.
- Que a mesma área rural é responsável por 80% da agricultura do município e produz para outras cidades da região também.
- Que os outros municípios vizinhos QUEREM o aeroporto, mas não o querem em suas localidades ou municípios , ficam postando notícias e mais notícias ilusórias e politiqueiras a população, fazendo o povo acreditar que um aeroporto de cargas é uma coisa boa, enquanto se sabe que não é, mas como diz o ditado, pimenta nos olhos dos outros sempre é bom.
- Que a área em questão é responsável por 70% da criação de gado do município.
- Que a área abriga uma das maiores criações de búfalos do Estado.
- Que a área possui um Arroio, chamado Arroio Boa Vista, que é um arroio de água limpa e cristalina e que não seca nunca, que tem as nascentes dentro da área do "impossível" aeroporto, e que desemboca dentro do Rio dos Sinos, que é hoje o Rio que abastece a água de toda região do Vale dos Sinos .
- Que a área em questão tem centenas de nascentes e vertentes de água limpa e cristalina, espalhadas por todas as propriedades e mapeadas por GPS em levantamento de estudo ambiental. Onde seria uma insanidade total colocar um aeroporto e terminar com uma riqueza de águas tão grande, num tempo onde a escassez de água predomina em muitos lugares.
- Que a área em questão abriga milhares de árvores em ameaça de extinção, sendo algumas delas inclusive catalogadas numa reserva ambiental pelo IBAMA.
- Que a área em questão abriga milhares de espécies de animais ameaçadas de extinção, em todas as espécies de vertebrados e invertebrados, que dependem da abundância da fauna existente na região.
- Que a área em questão, chamada Socorro, abriga uma comunidade centenária, onde se localizam escola, cemitérios , igreja e o local onde a cidade de Portão teve seu início, com moradores que ajudaram a construir nossa cidade e temem hoje ser desapropriados por conta do progresso.
Que a área em questão passa 8 meses por ano com neblina cerrada, por ser uma baixada, impossibilitando a visão de um simples carro e certamente também de aviões.
- Que a comunidade em questão NÃO QUER O AEROPORTO construído nesta localidade por conta dos prejuízos ambientais que causará a toda a cidade e região ,por conta da diminuição da agricultura e pecuária de toda a região, por conta dos prejuízos culturais e pela extinção da localidade e da comunidade mais antiga do município.
- Que por conta disso, os moradores já se manifestam contrários a localização a mais de um ano, também durante a AUDIÊNCIA PÚBLICA REALIZADA EM PORTÃO, também com protestos e manifestações , sendo inclusive a presidente Dilma e seus ministros envolvidos , notificados sobre a irregularidade do local e sobre as manifestações feitas em Portão, tendo inclusive recebido um dossiê sobre o mesmo, para que se readeque a área em questão. Pois existem outras áreas , em cidades vizinhas à Portão, onde existem terras improdutivas e que foram colocadas a disposição para a construção do mesmo.
- Com tudo isso, queremos que o Sr, novo Ministro da Aviação Civil, tome ciência do que se passa em Portão e que baseie seus passos futuros quanto ao Novo Aeroporto 20 de Setembro e sua correta localização.
- Queremos com isso alertar a população em geral e os governantes sobre a escolha inadequada do local em Portão e também estaremos à disposição para receber quem quiser conferir o que tem nessa área e em nossa comunidade e conhecer o que NÃO DEVE SER DESTRUÍDO.
Atenciosamente;