Ministro da Saúde recua e rompe convênio com ONG do próprio pai

No início da manhã, o ministro, candidato ao governo de SP, disse que seu pai não era mais diretor da ONG e que por isto não via nada de mal no negócio. À tarde, recuou, diante da repercussão. As relações de líderes do PT com ONGs e sindicatos tem sido motivo de frequentes denúncias de malfeitorias. Os casos são recorrentes e sempre beiram a grossas patifarias.

O ministro da Saúde, Alexandre Padilha, afirmou nesta quinta-feira que cancelará o convênio da pasta com a ONG Koinonia-Presença Ecumênica e Serviço, da qual seu pai, Anivaldo Padilha, é sócio e fundador. As informações foram publicadas pelo jornal Folha de S. Paulo. Candidato do PT ao governo paulista, Padilha entregará o cargo na próxima segunda-feira.

. "Para poupar a instituição de qualquer exploração política, eu tomei a decisão hoje de solicitar ao jurídico do ministério a tomar todas as medidas legais possíveis para cancelar esse convênio", afirmou Padilha.

. "Eu sei que, por eu estar saindo do Ministério da Saúde, eu vou entrar numa missão de... Cada ato vai querer ter exploração política", afirmou.
. Nesta quinta-feira, a oposição informou que pedirá à Comissão de Ética Pública da Presidência apuração se houve irregularidade no contrato firmado com a entidade.


5 comentários:

Anônimo disse...

Cara-de-pau!

Anônimo disse...

cERTAMENTE aí tem coisa. No mínimo falta de ética como é comum nos petralhas.

Anônimo disse...

Missão de petista é arrecadar dinheiro para caixa 2. Quando não cumpre direito vira mais um Celso Daniel.

Anônimo disse...

nem vergonha na cara de romper o contrato de forma eleitoreira eles tem...

ate agora a tal ONG vinha navegando nos mares da tranquilidade do dinheiro do convenio e os brasileiros nao sabiam de nada!!!!

Anônimo disse...

O que quer dizer ONG?Seria Organização Nacional da Gastança?