Simon denuncia casuísmo contra Marina: "Dilma é política vulgar e sem credibilidade"

- Simon falou para um Senado boquiaberto com a virulência dos ataques. O senador comparou o governo Dilma Rousseff ao governo dos marechais, mas considera que ele é ainda pior, porque produz casuísmos autoritários em plena democracia.

- A fala do senador gaúcho introduz um elemento altamente complicador na tentativa de líderes do PMDB do RS, que batalham para afivelar o apoio a Dilma Rousseff, inclusive para sua reeleição. A reunião-jantar convocada pelo vice Michel Temer para 130 prefeitos, deputados estaduais e federais, pode ter sido implodida com este discurso de Simon. 

O senador pelo PMDB gaúcho, Pedro Simon não poupou palavras nesta quarta-feira para criticar a ação coordenada pelo PT e operada pelo governo. No plenário do Senado Federal, Simon afirmou que Dilma começa a perder a credibilidade, algo que se um dia existiu foi apenas e tão somente por causa das esmolas sociais que garantem os resultados dúbios das pesquisas de opinião.

- Dilma começa a perder a credibilidade, aparecendo como política vulgar ao tentar impedir que Marina crie partido, enquanto o PT esquece sua história e se submete ao Palácio.

De acordo com o texto do projeto de lei em questão, parlamentares que ingressarem em novos partidos não carregarão o tempo de rádio e TV e os recursos proporcionais que detinham em suas siglas de origem. A nova norma é considerada casuísmo por Simon, porque atinge principalmente o partido que Marina Silva tenta criar, “Rede de Sustentabilidade”.

- Há pouco tempo foi permitida a criação do partido de Kassab, porque vinha apoiar o governo e agora mudam-se as regras para tirar Marina do jogo eleitoral. 

Fato é que a preocupação de Dilma Rousseff, que vem perdendo a confiança da população, está não apenas em Marina Silva, mas em todos os que acenam com candidaturas de oposição, como é o caso do governador Eduardo Campos (Pernambuco), presidente nacional do PSB.

. Considerando o fato de que Dilma Rousseff dificilmente vencerá a eleição de 2014 no primeiro turno, uma aliança dos adversários na segunda etapa da corrida presidencial colocaria a presidente em situação de extrema dificuldade.

* Clipping www.ucho.com.br

8 comentários:

Alberto/NH disse...

Mas bah tchê! Porque ele não fala do Renan Calheiros também?

Delmar Philippsen disse...

Este é o velho Simon de guerra do antigo PMDB de guerra, que não se vendeu nem se corrompeu em troca de cargos.
Ser aliado do PT hoje é suicídio pois está provado que os governos petistas foram os mais corruptos de toda a história do Brasil.
Salve Simon. Os gaúchos decentes te saúdam.

Anônimo disse...

Parece que foi só agora que o Simon percebeu que essa gente de esquerda é muito pior que os representantes do regime militar. Pelo menos os generais tinham honra e patriotismo, enquanto a esquerdalha bufa só quer saber mesmo é de grana e se manter no poder para sempre.

Anônimo disse...

Que bom, o Dep Federal Onix Lorenzoni do DEMOs, o vice-Pridente da República Michael Temer que estão com o governo também são "vulgar". Certo o Simão errado o resto do PMDB, porque ele não vai para o PPS?

Anônimo disse...

Patético, devia se recolher, já passou da hora...

Anônimo disse...

A volta do falastrão e mimiesco e ridiculo.

Anônimo disse...

Simon está com raiva, porque o PMDB do RS o descartou. Sartori Governador e Tarso Senador.

Olga disse...

Mas que é o Simon para chamar alguém de 'vulgar e sem credibilidade'? Se faz comparação com Marina Silva, não é parâmetro,pois as duas são farinha do mesmo saco. Se a comparação é com ele, Simon,aí piorou, pois a Dillma nunca negou o buraco de onde veio e todo mundo conhece, enquanto ele,Simon,que sempre pretende ser arauto da democracia, quando não está em uma mamata do poder e não passa, na verdade, de um grande demagogo e oportunista.Isto sim, é uma BAITA VULGARIDADE.