Metrô de Porto Alegre: realidade econômico-financeira e fantasia política

Otimista, o prefeito de Porto Alegre, José Fortunati, acha que mais candidatos surgirão na próxima abertura de propostas de manifestações de interesse pelo metrô de Porto Alegre.

. “Uma espanhola e uma chinesa procuraram a prefeitura”, avisou o prefeito, animado. Uma brasileira, a Invepar (OAS/Odebrecht/Fundos), que participou da abertura anterior, que foi anulada, fará nova investida.
. O metrô de Porto Alegre está sendo trabalhado como uma PPP, mas os empreendedores privados acham que a prefeitura é irrealista ao trabalhar com orçamento de R$ 2,5 bilhões para a linha 2.

. Alguém terá que cair na real em algum momento.

. O discurso do metrô, contudo, é politicamente mais interessante do que tratar o projeto com realismo.
 
. A gauchada ainda está na fase de que prefere promessas do que realidades.

2 comentários:

Anônimo disse...

Por quê o Governador do Estado do RS não assume o Metrô como em São Paulo,Pernambuco,Rio,Ceará e agora o Governador Petista da Bahia está assumindo o Metrô de Salvador?A Prefeitura sozinha não consegue tocar todas as linhas de Metrô, pode até ajudar com alguma verba ou assumir algumas estações.

Transparência disse...

Os 9 km de expansão até Novo Hamburgo custou à Trensurb, 900 milhões, ou seja, 100 milhões o km (somando as 5 estações e em via elevada). A Invepar queria fazer o metrô do Porto Alegre por 1 bilhão o km. Acho que as estações seriam revestidas com ouro. Imagina quanto custaria a passagem.
Que roubalheira.