Artigo, Rolf Kunz - Perdendo o bonde

* Clipping O Estado de S. Paulo

O fim da crise global poderá ser o marco de mais um fracasso brasileiro. Enquanto governos mais sérios tentam criar os alicerces de uma nova fase de prosperidade, Brasília continua discutindo a guerra cambial e brigando no Fundo Monetário Internacional (FMI) para adicionar alguns pontos de porcentagem a seu poder de voto. Nenhum país poderoso mudará sua política monetária ou fiscal para evitar reflexos no câmbio, nem a limitada redistribuição de votos afetará os rumos do FMI ou servirá ao desenvolvimento brasileiro. Economias emergentes e em desenvolvimento já têm votos mais que suficientes para exercer um respeitável poder de barganha. Mas só as autoridades brasileiras parecem acreditar num bloco dos Brics ou agem como se houvesse um alinhamento automático de países do Norte e do Sul. Pior para o Brasil. Quando o mundo entrou em recessão, em 2008, o País parecia um time promissor a caminho da primeira divisão. Poderá estar no rumo da terceira, quando o mundo rico voltar a crescer e a China tiver avançado em seus ajustes.

Nesse momento, os emergentes mais dinâmicos e governados com mais seriedade, incluídos alguns latino-americanos, já estarão ocupando seus lugares para a nova etapa de prosperidade. 

CLIQUE AQUI para ler mais.

4 comentários:

Anônimo disse...

O crescimento brasileiro nos ultimos anos se deveu especialmente á continuacao da politica economica do plano real e ajustes posteriores e ao cenario externo favoravel. O governo perdeu a oportunidade de fazer os ajustes necessários, mais por ter gente incompetente elaborando o planejamento estratégico. Efetivamente perdemos, desde 2009, a oportunidade de nos prepararmos criando maior e melhor infra-estrutura, estruturas tributária e trabalhista mais condizentes com a realidade mundial e investimento na educaçao de nível fundamental e médio de forma a que todos tenham oportunidade de entrar na universidade pela porta da frente e nao pela porta dos fundos, como cotistas. Aliás, é impressionante a reducao do nível intelectual das aulas nas universidades, especialmente a nossa flamejante UFRGS.

Anônimo disse...

PAÍS DOS "ANAUFABETOS" FUNCIONAIS QUE "NUNCA SABEM DE NADA",A NÃO SER SAQUEAR OS COFRES PÚBLICOS E MMENTIR:
-"NUNCADANTEZ.....

-"CONSTRUIREMOSS 800 AEROPORTOS...

-"PRÉ SAL...

Anônimo disse...

Nossos atuais governantes são marxistas, o que vocês acham que pode dar isso ?

CARLOS SGARBI disse...

Este CABIO e da turma do Mailson (80% de inflacao por mes)
e do Arminio (45% taxa SELIC), portanto, leitores um CABIO acima de qualquer suspeita ne? Mas pra comprovarem mesmo que este caboclo e CABIO, procurem alguma manifestacao dele no periodo anterior a crise mundial de 2008. Ate porque, leitores, este tipo de CABIO e igualzinho a Mae Dinah.