Artigo, Elio Gaspari - O comissariado não toma jeito. O caso Tarso Genro.

A charge navega nas redes sociais e demonstra com bom humor de que modo personalidades como Tarso Genro e seus discípulos exercem o contraditório no Brasil.

* Clipping de material publicado numa rede brasileira de jornais.

Tarso quer que o Congresso revide: você pagará as campanhas e os partidos dirão quem será eleito
O PT tem dois ex-presidentes e um ex-tesoureiro condenados a penas em regime fechado e quer mudar o sistema eleitoral brasileiro para pior. A saber: José Dirceu deve dez anos e dez meses, José Genoino, seis anos e onze meses e Delúbio Soares, oito anos e onze meses. Todos condenados por corrupção pelo Supremo Tribunal Federal. Todos continuam no partido e Genoino, protegido pelo manto das prerrogativas do Legislativo, ocupa uma cadeira de deputado federal. Quando o ex-governador Olívio Dutra teve a coragem de dizer que Genoino deveria renunciar, o deputado André Vargas (PT-PR) lembrou que quando ele "passou pelos problemas da CPI do Jogo do Bicho, teve a compreensão de todo mundo". Pela vontade de seu partido e a compreensão de seus pares, Vargas é o primeiro vice-presidente da Câmara.Os comissários blindaram-se na defesa de seus companheiros, todos condenados por práticas confessas. É direito deles. Quem esperava um sopro de interesse pela moralidade, perdeu seu tempo. Deu-se o contrário. Na melhor prática petista, decidiram "partir para cima". Em vez de discutir a conduta de seus dirigentes, querem mudar de assunto.A proposta vem do governador do Rio Grande do Sul, Tarso Genro, Ele sugere um "revide". Levanta de novo a bandeira de uma reforma política que crie o financiamento publico para as campanhas eleitorais e estabeleça o voto de lista para a escolha dos deputados e vereadores.Pelo voto de lista os eleitores perdem o direito de escolher o candidato em quem votam. Pelo sistema atual, um cidadão de São Paulo votou em Delfim Netto e elegeu Michel Temer. É um sistema meio girafa, mas o eleitor sempre poderá lembrar que votou em Delfim. Pelo voto de lista, os partidos organizam as listas, o cidadão vota na sigla e serão eleitos os primeiros nomes da preferência das caciquias. Se os companheiros do PMDB colocarem Temer em primeiro lugar e Delfim em 20º, não haverá força humana capaz de levá-lo à Câmara. A escolha deixa de ser do eleitor, que a vê transferida para partidos, por cujas direções passaram Genoino, Dirceu, Delúbio. Ou ainda Valdemar Costa Neto, então presidente do PL, condenado a sete anos e dez meses de prisão e Roberto Jefferson, do PTB, com sete anos e catorze dias.

O segundo pilar do "revide" é o financiamento público de campanha. Acaba-se com um sistema no qual os diretores de empresas usam dinheiro dos acionistas para investir em políticos e transfere-se a conta para a patuleia. Nesse sistema, por baixo, a Viúva gastaria R$ 1 bilhão para financiar candidatos. Todas as maracutaias interpartidárias do mensalão deram-se ludibriando-se leis vigentes. Ganha uma passagem de ida a Cuba quem acredita que esse tipo de financiamento acabará com o caixa dois. Se o PT quer falar sério, pode defender uma drástica limitação das doações de pessoas jurídicas, deixando a Viúva em paz.

A proposta do "revide" é a síntese ideológica e fisiológica da mensalagem. Você paga e eles decidem quem irá para a Câmara. Eles, quem? José Dirceu, José Genoino, Delúbio Soares, Valdemar Costa Neto e Roberto Jefferson, com um patrimônio de 41 anos e seis meses de cadeia, ou seus dignos sucessores.

3 comentários:

Anônimo disse...

Financiamento da campanha com dinheiro do orçamento da União? Mas nós já bancamos essa farra!!!! Quanto é a despesas anual do Senado, da Câmara federal, estadual e vereadores. Some-se a isso tudo o valor do Fundo Partidário que ninguém presta conta.....
Vamos dar mais grana para essa turma gastar e contratar pessoal....Chega....

Anônimo disse...

O financiamento público de campanha é defendido pelo inútil Henrique Fontana. Esse por sua vez em nenhum momento mencionou o quê se fará com o fundo partidário. Esse fundo também é dinheiro retirado dos tributos, ou seja, é grana que não acaba mais! Será extinto? Pelo esquecimento(?) pelo visto continuará existindo

Justiniano disse...

A presença da cubana Yoani, trazendo luz sobre a realidade do seu país, incomoda muita gente, porque o mito Cuba morreu quando caiu a URSS que comprava açúcar por um preço acima do mercado e enviava gêneros de primeira necessidade, como leite em pó, carne enlatada e tecidos, assim mostravam os cubanos saudáveis e bem vestidos, tinham muitos Lada rodando em Havana e era período de vender o comunismo da ilha da fantasia para a América Latina

Muitos automóveis e máquinas da URSS enferrujam em Cuba, porque a maioria não tem mais peças e as empresas quebraram na Rússia. A pior situação é nos hospitais onde raio-X de origem russa vivem quebrados. Um jovem que estudou em Cuba disse que torceu o pé e ao chegar ao hospital disseram que não havia chapas.Um funcionário disse que ou está quebrado o equipamento ou falta chapas. Esse jovem que fazia educação física até brincou dizendo que não entendia porque havia curso de Engenharia Civil senão havia prédios para construir em Cuba. Quando foi estudar em Cuba junto com o mesmo foram mais 5 estudantes e depois de 6 meses esses 5 tinham voltado para o Brasil porque as necessidades eram muito grandes. Como exemplo ele diz que no refeitório era dado um copo de leite e um pão com margarina no café da manhã, e imagina fazer exercício físicos todo manhã com essa alimentação. No almoço cozinhavam o feijão durante 20 minutos (racionamento de gás, isso que é fornecido por Chavez), fosse novo até dava, mas a maioria era feijão velho e haja dentes para mastigar, carne eram porções pequenas de frango, carne vermelha pouco comiam no refeitório, porque Cuba importa carne. Era dado um pasta de dente por mês, era da China, parecia pinho sol segundo ele. Sabonete tinha diz os antigos, quando do tempo da URSS, agora eram pedaços de sabão e não existe shampoo. Recebeu um abrigo verde oliva e viu na etiqueta que era produzido na Ucrânia (certamente material do exército russo).

Cuba hoje é um país pobre e o povo é pouco propenso ao trabalho, pois tudo é do governo. A produção agrícola dos pequenos produtores é de subsistência e mesmo assim tem que dar parte para o governo. Esse estudante junto com outro brasileiro certa feita procuraram um pequeno agricultor que vivia atrás da universidade, para ver se havia meio de obter mais leite (imagina um copo de leite por dia!!!), ele tinha uma vaca e produzia 6 litros, 2 ele ficava e 4 tinha de entregar para o governo, os estudantes propuseram pagar 4 vezes o que o governo pagava e o agricultor propôs vender um litro da sua cota, mas viu que havia 3 crianças pequenas na casa e mudaram de idéia.
Segundo este estudante muitos que adoram Cuba foram lá e não aguentam as privações. No grupo que foi estudar com ele estava uma jovem que após acabar o seu estoque de modess teve que usar paninho, voltou após 2 meses para o país.

E o Chico Buarque canta loas a essa ditadura, porque ele não vai morar com o povão, para ver as necessidades e privações das pessoas!!!