RS construirá duas novas plataformas marítimas. Elas sairão em São José do Norte.

O editor pode informar com segurança que nesta sexta-feira a Petrobrás escolheu o Estaleiro Brasil para a construção de suas duas mais novas plataformas marítimas, no caso a P74 e a P76. Plataformas deste tipo não custam menos de R$ 1,5 bilhão cada uma.

A Estaleiros do Brasil (EBR) ficou em primeiro lugar na disputa de preços pela licitação de duas novas FPSOs (Floating, Production, Storage and Offloading, navios petroleiros que são convertidos em plataformas) da Petrobrás. O valor da encomenda poderá atingir os R$ 3 bilhões (aproximadamente US$ 1,4 bilhão) e é a garantia para o início das operações da unidade que a empresa está montando em São José do Norte. Com o resultado, a companhia erguerá no município as plataformas P-74 e P-76. A abertura do envelope de preços foi feita hoje e a assinatura do contrato com a estatal de petróleo poderá ocorrer até o final de janeiro.
“Com este investimento, São José do Norte se integra à estratégia de desenvolvimento do Estado, que aposta no incremento de setores modernos na economia gaúcha, com a indústria oceânica”, diz Mauro Knijnik, secretário de Desenvolvimento e Promoção do Investimento (SDPI). A empresa deverá investir US$ 500 milhões na construção do estaleiro. O projeto foi negociado pela Sala do Investidor, mecanismo criado pelo Governo do Estado para atender as empresas dispostas a expandir-se no Rio Grande do Sul. A unidade da EBR vai garantir a expansão do Polo Naval que já havia se instalado na vizinha Rio Grande. A previsão da companhia é gerar 4 mil empregos diretos, um volume significativo diante da população da cidade, de 25 mil habitantes. As plataformas começariam a ser construídas em outubro, a partir de módulos, acoplados a cascos que virão do Rio do Janeiro. No mês de julho, foi concedida a licença de instalação, em um processo que foi estrategicamente agilizado por uma parceria entre SDPI, Agência de Desenvolvimento e Promoção do Investimento (AGDI) e Fundação Estadual de Proteção Ambiental Henrique Luiz Roessler (Fepam). “A ação integrada e ágil dos órgãos do governo foi fundamental para a garantia deste investimento”, afirma Marcus Coester, presidente da AGDI. Na terça-feira (18/12), a EBR assinou um contrato com a Superintendência do Porto de Rio Grande (Suprg) para uso temporário e depois regularização de uma área localizada na zona portuária de São José do Norte. Trata-se de uma área de 134.436 metros quadrados, que consiste no espaço de cais de que a EBR necessitará. Para implantar todo o projeto, serão exigidos 24 meses. Parte do empreendimento deverá estar pronta em outubro de 2013, quando a encomenda da Petrobras começará a ser atendida.

CLIQUE AQUI para saber tudo sobre o admirável mundo das plataformas de petróleo.

3 comentários:

CARLOS SGARBI disse...

E eu acreditava no FHC, no Ricardo Sergio, no Paulo Preto, no Malan, etc., quando eles diziam que os tapuias tropicais nao tinham capacidade pra construir PLATAFORMAS e CASCOS DE NAVIOS PETROLEIROS. Vc lembra jornaleiro? Eu imagino que a populacao de Rio Grande e arredores, assim como S Jose Norte, deveria votar em todos os candidatos da tucanalha. Por agrdecimento, ne?

Anônimo disse...

Agora eles votam em quem votam por estarem sendo roubados, ou não?
Só do Banco do Brasil foram 150 milhões. Sem falar no Rosegate.
Será que eles gostam?

Anônimo disse...

Carlos, deve s era por isso que o Pólo Naval importa trabalhadores das Filipinas ...