Apagões e máquina pública inchada evidenciam estrangulamento de Porto Alegre

Os sucessivos apagões de energia que ocorrem desde meados do mês de novembro no RS, apenas amplificaram as evidências de que Porto Alegre não cabe mais dentro de si mesma.

. Evidentemente nada funciona, como voltou a acontecer nestas quinta e sexta-feiras, não mais em função de temporais, mas de simples chuvas continuadas de verão. Até sexta-feira à tardinha, bairros como Moinhos de Vento prosseguiam sem energia, com sinaleiras desligadas, lojas sem eletricidade e casas imersas na escuridão. É o novo Apagão do Tarso em plena ação. A CEEE continua recomendando racionamento.

. A cidade continua dimensionada para abrigar a população  dos anos 60,não para 2010. Tudo é improvisado e provinciano, desde a recepção no Salgado Filho, como notou uma chinesa, depois confirmada por uma jornalista inglesa, que vieram cobrir a disputa entre Zidane e Ronaldo na nova Arena do Grêmio.

. Por que anos 60 ? Porque esta era a época em que empresários comerciais recebiam seus visitantes e Porto Alegre  ainda tinha turismo receptivo. Hoje é salve-se quem puder. Os órgãos oficiais parecem satisfeitos com o barbarismo local de 3º Mundo, onde o tráfego é emperrado de modo permanente, a única estação rodoviária sufoca toda a zona central, o aeroporto prossegue uma pista de pouso provinciana, a insegurança mantém os moradores aprisionados em suas casas e os serviços públicos e privados continuam sendo prestados sem atenção ao cliente.

- Nesta quinta-feira, o prefeito reeleito de Porto Alegre não transmitiu mensagem alguma de que a cidade sairá do seu acanhamento. Ele manteve 2/3 da equipe anterior, não enxugou um só posto da administração e ampliou a máquina pública para inacreditáveis 35 secretários, um número tão largo quanto o ministério da presidente Dilma Rousseff (examine a seguir a relação do secretariado). 


OFERTA PARA OS LEITORES
Cabo de Guerra + Herança Maldita – Os 16 anos do PT em Porto Alegre
Os dois livros, cujo conjunto é vendido nas livrarias por R$ 125,00, podem ser adquiridos exclusivamente pelos leitores por apenas R$ 70,00, com entrega grátis. Faça seu pedido pelo e-mail Polibio.braga@uol.com.br Caso a encomenda seja superior a um pacote, destinandos-se a presente de final de ano e leitura de verão, o preço cai para R$ 50,00 cada conjunto. Esta promoção vale apenas para leitores. No e-mail, faça referência a esta oferta. 

7 comentários:

Anônimo disse...

E O QUE É A TAL PERIMETRAL, CARROÇAS, CAMINHÕES, SINALEIRA DESLIGADA, NÃO PRECISA NEM TEMPORAL, BASTA UMA "Brisa"...tchê é um estado...uma capital...um Pais TABAJARA !!!

Roberto Lima disse...

Esse prefeito acho que nem conhece a cidade onde mora... Quando é que ele vem dar uma volta na Oswaldo Aranha, de terno e com sapatos novos, em dia de chuva ???

Aliás, nem precisa ser na Oswaldo, qualquer rua serve, os buracos e depressões do péssimo pavimento criam poças de água e os carros dão banho nos transeuntes...

Porto Alegre está um lixo !

Anônimo disse...

só a eptc funciona..

Anônimo disse...

Enquanto o apagão elétrico impede a economia de crescer, a prefeitura inchada suga a economia que existe... Me explica como haverá desenvolvimento assim?

Anônimo disse...

Viva o apagão do Tarso. Fiquei mais de dez horas sem luz e mais tempo ainda sem internet.
Em plena Zona Norte. Nunca antes neste estado.
Viva o homem que redigiu a Lei do Piso e não cumpre.
Nunca antes neste país um político fez uma lei e depois a rejeitou.

Luiz Vargas disse...

Este prefeito se preocupa mais com as "articulações políticas" (loteamento de cargos em troca de apoios políticos) do que com os sérios problemas que atingem a capital botocuda.
Ontem, pela manhã a cidade estava um caos. Chuva, engarrafamentos, falta de energia, semáforos apagados, e azuizinhos sumidos. Neste mesmo momento o seu prefeito estava comodamente na prefeitura dando entrevistas aos meios de comunicaão sobre a composição do loteamento dos cargos municipais.
É uma vergonha que na Av. Azenha, defronte o Instituto de Identificação, haja um trecho de uns 100 ou 200m, do corredor de ônibus que está há dois meses ou mais, do mesmo jeito. Cavaram o buraco, desviaram os ônibus do corredor e a "obrinha" não sai do lugar.
Este é um dos muitos exemplos de uma administração que só enxerga a cidade através das vidraças do gabinete.
Por que o seu Fortunati não sai para a rua para ver e fiscalizar com seus próprios olhos como andam as coisas na cidade?
Quando ele era presidente do sindicato dos bancários e PeTralha de carteirinha, vivia circulando pelas ruas, em uma kombi bege do sindicato/CUT, de megafone em punho achando os defeitos dos governos da época. Até em ação de despejo judicial,na casa do estudante da UFRGS, ele, sua kombi e sua trupe metiam a colher.
Agora, burguês e engravatado, ele só vê a cidade do alto do seu trono de prefeito, e como ocorre com tudo quanto é político, daqui quatro anos se lembrará que na cidade vivem cidadãos e que cidadãos votam.

Paulo Evangelista disse...

Após profundas análises do G8, NASA, ONU( o certo é NU, nações unidas, mas vá lá), CIA, KGB e HAMAS foi encontrada uma explicação para o mundo não ter terminado dia 21 de dezembro:
O PT domina só o Brasil, não o mundo..