Procon de Porto Alegre conseguiu seus três segundos de fama

A entrega dos avisos do Procon de Porto Alegre foi acompanhada por redes de TV, sendo que a cada Tele correspondeu uma emissora previamente selecionada pela prefeitura.

. A cada uma das quatro, pela sua ordem de importância no ranking, correspondeu a emissora melhor classificada no ranking.

- O Procon aprendeu a lição com outros servidores federais que adoram seus três segundos de fama na TV. 


Leandro & Stormer – a maior comunidade de Traders do Brasil!
Especialista em educação para o mercado financeiro, a Leandro&Stormer oferece diversos cursos, presenciais e via internet, para que você se prepare e comece a ter rendimentos superiores aos da renda fixa. Acesse http://www.leandrostormer.com.br/ e confira!

5 comentários:

Felipe Lima disse...

Agora me desapontei contigo, Políbio. Quer dizer que, além de não publicar meu comentário sobre o assunto em outro tópico tu ainda acha que o Procon queria é fama é ????
Lamento te informar, mas quem tem um mínimo de bom senso sabe que não dá mais pra aguentar o que elas estão fazendo com os clientes...

Anônimo disse...

Prezado Políbio
Lamentável teu comentário...a decisão foi tomada com base em represetação da OABRS...até parece que tu está defendendo as operadoras, que não prestam serviço eficiente...Acho que quem quer fama é tu...

Anônimo disse...

Políbio está sempre do lado errado. Votou no Collor. Elogiava o Demóstenes. É admirador do Roberto Jéferson. É radicalmente contra o PT e a favor do Dem. A melhor governadora do mundo é Yeda Cruzius. No governo dela não houve escândalos e nem roubo. Tudo que tem de ruim no Brasil é culpa do PT. Eu acho muita graça... Este blog me causa frouxos de risos....

Anônimo disse...

Como postei a respeito,volto a afirmar a decisão vai ser facilmente derrubada na Justiça.

A competencia dos Procons Municipais é limitada a orientação, utilizar de vias pesadas como multas ou intervenções é totalmente ilegal,não só as Teles que foram expostas a isso, mas as médias e pequenas empresas por todo o Brasil, devem questionar na Justiça tal procedimento.
Se a Constituição não delega poderes para se legislar na esfera municipal, muito menos traz o direito de utilizar a pseuda aplicação dessa a bel prazer.

É preciso fazer um RECALL das Instituições no Brasil, para não transformar a opinião pública na quinta forma de se interpretar o direito.
Primeira-Lei
Segunda-Doutrina
Terceira-Jurisprudencia.
Quarta- Costumes

Agora querer os holofotes e transformar aquilo que é mostrado ao povo pelas midias em fonte de aplicação do direito, aí...
com a opinião dos eleitores,notadamente de um Estado avançado juridicamente,que é o Rio Grande.

Carlos Cornwall,Foi Assessor Juridico do Procon emMinas Gerais, especialistas em Ações Coletivas de Relação de Consumo.

Luiz Vargas disse...

Sugestão para os consumidores quando se sentirem lesados: procurem a OAB. A OAB manda e faz o PROCON se mexer.