CPI do Cachoeira prepara convocação de Cavendish na próxima semana

A Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) do Cachoeira deve aprovar, na semana que vem, requerimento de convocação do empresário Fernando Cavendish, principal acionista da Delta Construções. Com a convocação, a cúpula da CPI espera responder às críticas de que a comissão não investiga as relações da empresa com o esquema do contraventor Carlos Augusto Ramos, o Carlinhos Cachoeira.

. Declarada inidônea pela Controladoria-Geral da União, a Delta é a principal empreiteira do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) do governo federal. A ideia é que o depoimento de Cavendish ocorra antes do início do recesso parlamentar, que começa no dia 18 de julho.

. Se aprovada a convocação na sessão administrativa da próxima quinta-feira, dia 5, a ida do empresário deverá ocorrer na semana seguinte, provavelmente entre os dias 10 e 12 de julho. “Estou tratando desse tema (convocação Cavendish) e vamos enfrentá-lo na próxima reunião administrativa”, afirmou o relator da CPI, deputado Odair Cunha (PT-MG).

3 comentários:

Anônimo disse...

É agora que a casa cai. Vai que o "dono" da Delta mostre a relação de Lulinha com a construtora...

Nélio disse...

Convocar Cavendish (nome e atitude de pirata) para ouvi-lo dizer que ficará calado é atestar a própria incompetência da CPI. Enquanto isso ocorre, assistimos a um relator justiceiro, provavelmente futuro candidato (pobre Minas...), declarar que Agnelo Queiroz, governador do DF e incapaz de justificar a origem do dinheiro que pagou sua casa, é um puro. A quem pensam que enganam?

Anônimo disse...

A convação do dono da Delta é para satisfazer a grande midia e o PSDB, DEM e PPS. Primeiro criminalizaram todos os contratos feitos pela empreiteira (exceto os de Goias), depois procuram "lincar" a empreiteira ao Governo Federal.

Mas não é o dono da Empreiteira que vai dizer porque ele pode ficar calado e sim a quebra do sigilo fiscal, telefonico e bancário para a CPI descobrir qual a relação da Delta e seu dono com os politicos.