Banco Sicredi enxuga e demite em massa

As demissões ocorridas no setor de TI do Banco Sicredi não são as únicas que o presidente Adelar Shardong resolveu promover logo depois que passou a acumular também a presidência da Confederação dos Sicredi (Acelor Pagnussat não é mais o presidente). A idéia de Shardong é obter sinergia com os Sicredi e tornar o banco mais enxuto e mais operacional.

. Na área de TI, já foram demitidos ou afastados (terceirizados e estagiários) pelo menos 160 profissionais. O contingente total era de 600 pessoas.

. É só o começo.

4 comentários:

Anônimo disse...

1) O SICREDI não é um banco. É um Sistema de Cooperativas de Crédito que tem um banco;
2) Os nomes dos presidentes estão grafados incorretamente. Os corretos são Alcenor Pagnussat e Ademar Schardong.

Anônimo disse...

Sicredi nao e BANCO? PIADA!!! na hora de cobrar juros, multas e taxas e muito pior que um banco!!!Anonimo voce so poder ser um daqueles funcionario puxa saco com lavagem cerebral do sr Marchetti.

Anônimo disse...

Sicredi é o pior banco que já tive na conta em todos os tempos! Fazem cobranças abusivas e indevidas nas taxas de juros, home banking não funcionam,os atendetes do 0800 deste banco são grossos e muita desorganização. Gente que Coopera Cresce! Piada! não é o caso no Sicredi, mas sim,é em outro lugar!

Anônimo disse...

Trabalhei no banco Sicredi por um ano,foi uma das piores empresas que já trabalhei, pois, o ambiente é cenário de terror, um puxa o tapete e o saco do outro, muito apadrinhamento e as pessoas que não possuem nenhuma experiência anteriores, os funcionários são poucos profissionais e nem sabem de quem serão o próximo a ser demitido,tem certa desorganização e vivem falando muito a cooperação, mas tem muitos funcionários que nem fazem a cooperação.Pois, nos outros bancos privados, a cooperação entre os funcionários é pré-requisito para ser promovido.