Ato "Todos com Bolsonaro" sairá domingo, 15h, Parcão, Porto Alegre


O ato “Todos Com Bolsonaro” será realizado neste domingo, 30 de setembro, às 15 horas, no Parcão, em Porto Alegre. 

Para os apoiadores, o candidato é entendido como o único disposto a combater o crime, liberalizar a economia, acabar com a política de favores que gera ineficiência e atraso do país, e manter viva a Lava Jato contra aqueles que desejam seu fim, como é o caso de muitos dos adversários neste pleito, conforme apontam.

A manifestação não será capitaneada por partidos políticos específicos, mas por indivíduos cansados de aceitar os desmandos e, agora, também os ataques caluniosos da esquerda totalitária e seus aliados do estamento burocrático contra o candidato Bolsonaro, indicam os organizadores do ato.
O que: Manifestação “Todos Com Bolsonaro”
Quando: 30/09 (domingo), às 15h
Onde: Parque Moinhos de Vento (Parcão)

16 comentários:

Mordaz disse...

O único que pensa nas vítimas.

Anônimo disse...

Reflexão para indeciso se vota ou não em Bolsonaro no 1 turno:
1) Haddad é eleito no 2 turno;
2) Haddad dá indulto a Lula e o nomeia Min Chefe da Casa Civil;
3) Haddad sofre impeachment;
4) Manuela D'Ávila (ái!) vira Presidente;
5) Lula governa, de novo, o Brasil por tabela.
Melhor resolver tudo no 1 turno:BOLSONARO 17.

Anônimo disse...

Antagonista: "Alckmin: “Estamos crescendo” De Geraldo Alckmin, no Twitter:
“Estamos crescendo e temos uma das menores rejeições. Nós somos o caminho para derrotar o PT. Quando o governo vai mal, quem paga a conta é o povo. Estão aí os 13 milhões de desempregados, a população sofrendo por causa dos erros deles. Não podemos deixar o PT voltar.”
Na pesquisa da Crusoé, porém, a rejeição de Alckmin (em amarelo, no gráfico) foi a mais alta: 59,3%."

O Geraldo Alckmin quer o PT no segundo turno. Por que será que o Geraldo Alckmin quer o PT no segundo turno? É por isso que o Geraldo Alckmin derreteu!
Como o PSDB sempre fez, o Geraldo Alckmin vai entregar o governo para o PT!

Anônimo disse...

Não esqueçam de vestir a camiseta do impeachment.
Essa recomendação é só para os desempregados desde 2016.
Somos todos Cunha!

Anônimo disse...

Em Passo Fundo tem a passeata das mulheres do Lula e do José Dirceu.
Tem que vestir como as petistas, com aquelas roupas.....sem banho, sem depilação e de boca bem suja....É do PT...entenderam...

Anônimo disse...

TOLEDO: GENERAL NÃO OBEDECE A CAPITÃO:

"Bolsonaro pode desautorizá-lo em público, pode tentar cancelar a agenda pública de Mourão, mas nada indica que vai conseguir domar seu vice. O general gosta de ter o chicote na mão, não no lombo", avalia o jornalista José Roberto de Toledo, ao comentar a crise entre os membros da chapa de extrema-direita; "Difícil imaginá-lo se submetendo ao freio de um subordinado que não quis ou não conseguiu chegar à sua patente como militar – mesmo que o subordinado venha a se eleger presidente e se torne seu superior hierárquico constitucional"

27 DE SETEMBRO DE 2018 ÀS 21:03 // INSCREVA-SE NA TV 247 Youtube

Anônimo disse...

Convida i Gen Mourão, entreguem o microfone para ele e deixem ele falar a vontade, o povo quer saber o que o General pensa, Capitão não apita nada.

Anônimo disse...

Fala, Mourão! Não se deixe calar pelo capitão! O povo brasileiro precisa conhecer suas ideias:

Kiko Nogueira - 27 set 2018 - DCM

​Hamilton Mourão, prócer da República, vice na chapa de Jair Bolsonaro para presidente, brilhou novamente.

Desta vez foi numa palestra magnífica na Câmara de Dirigentes Lojistas de Uruguaiana (CDL), no RS.

“Temos umas jabuticabas que a gente sabe que são uma mochila nas costas de todo empresário”, pontuou o sábio general, despertando a atenção da plateia até então dispersa.

“Jabuticabas brasileiras: 13º salário. Como a gente arrecada 12 (meses) e pagamos 13? O Brasil é o único lugar onde a pessoa entra em férias e ganha mais. São coisas nossas, a legislação que está aí. A visão dita social com o chapéu dos outros e não do governo.”

O velho soldado tem sido preciso e infalível como Bruce Lee, afiado como uma espada de samurai.

É uma verdadeira metralhadora de verdades indisputáveis que não pode, de maneira alguma, ser calada.

Após o atentado a seu chefe, cravou: “Os profissionais da violência somos nós”.

Chamou de “mulambada” o conjunto de países africanos da diplomacia Sul-Sul de Lula.

As famílias nas quais mães e avós criam os filhos, em áreas carentes, são “fábrica de elementos desajustados que tendem a ingressar em narco-quadrilhas”.

Depois lhe deram a oportunidade de fazer um adendo: isso não se aplica aos núcleos familiares ricos. Ufa!

Aventou a possibilidade de um “autogolpe” quando “você vê que o país está indo para uma anomia, uma anarquia generalizada, que não há mais respeito pela autoridade, grupos armados andando pela rua…”.

Criticou as crianças “de 10, 11 anos” que estudam filosofia e não “matérias mais importantes”.

Em Bagé, deu uma amostra de sua erudição médica. “Por que preciso gastar dinheiro com uma campanha de vacinação? Todo mundo tem celular, basta mandar uma mensagem”.

A Constituição de 1988 “foi um erro”, lembrou, porque a Carta “não precisa ser feita por eleitos pelo povo. Já tivemos vários tipos de Constituição que vigoraram sem ter passado pelo Congresso eleito”.

A solução? Ora: “Fazemos um conselho de notáveis e depois submetemos a plebiscito”.

É evidente que o douto Mourão está se incluindo nesse grupo. E faz sentido!

Uma república dos filósofos de Platão, elaborada pela fina flor da intelectualidade em diversas áreas, nosso militar à frente.

Quem melhor que ele para arregimentar as grandes cabeças da nação em torno de um projeto altivo, digno, patriótico e vencedor?

Do leito do hospital, Jair, debatendo-se, tenta dar um cala boca em seu segundo homem. Acha ele que perderá votos.

Injustiça com esse imenso brasileiro! Não se pode aceitar essa quebra de hierarquia!

Os loucos às vezes se curam, os imbecis nunca, escreveu Oscar Wilde.

O apelo que assoma no horizonte é claro e límpido como a água que escorre da montanha onde cabo Daciolo recebeu as tábuas da lei: deixem o Mourão falar! Deixem o Mourão falar!

A democracia agradece.

Anônimo disse...

MP Eleitoral pede veto a funk de bolsonaristas que compara mulheres a “cadelas”:

27 setembro, 2018 - DCM

Reportagem de Kleber Nunes no Estado de S.Paulo informa que o Ministério Público Eleitoral de Pernambuco entrou com uma representação, nesta quinta-feira, 27, na Justiça Eleitoral pedindo o impedimento da reprodução da música “Proibidão do Bolsonaro” na carreata organizada pelo deputado federal e candidato à reeleição Luciano Bivar (PSL) em apoio ao presidenciável Jair Bolsonaro. O ato está marcado para o próximo domingo, 30, na zona sul do Recife.

De acordo com a publicação, a letra, de autoria do chamado MC Reaça, compara mulheres a cadelas e faz críticas à CUT e a políticos como Ciro Gomes, que disputa a Presidência pelo PDT, Manuela D’Ávila (PCdoB), candidata a vice na chapa de Fernando Haddad (PT), e ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, condenado e preso pela Operação Lava Jato. A paródia da música “Baile de Favela”, de MC João, embalou a “Marcha da Família com Bolsonaro”, evento realizado no último domingo, 23, na orla da praia de Boa Viagem, zona sul do Recife. A canção que diz “Dou pra CUT pão com mortadela. E pras feministas, ração na tigela. As mina de direita, são as top mais bela. Enquanto as de esquerda tem mais pelo que cadela” gerou polêmica nas redes sociais e moções de repúdio de organizações da sociedade civil.

A Comissão da Mulher Advogada da Ordem dos Advogados do Brasil, Seção de Pernambuco (OAB/PE), classificou que a música “incita o ódio, a violência e o preconceito” contra o movimento feminista. “Reforçando a cultura machista e misógina que, infelizmente, ainda insiste em matar muitas mulheres todos os dias”, diz a nota. A Comissão de Defesa dos Direitos da Mulher da Assembleia Legislativa do Estado também emitiu nota criticando a letra, completa o Estadão.

Anônimo disse...

Agora todo oportunista é Bolsonaro....

Anônimo disse...

Folha confirma: Bolsonaro ameaçou matar a mulher:

Brasileiros na Noruega desmentem o "desmentido" de Ana Cristina Valle

27/09/2018 - Conversa Afiada

Fernando teria alugado um quarto para aquela que deveria morrer (Reprodução: Folha de S. Paulo)

Brasileiros que conviveram com ex-mulher de Bolsonaro na Noruega confirmam que ela relatava ameaça

Cinco brasileiros que vivem na Noruega e conviveram com Ana Cristina Valle, ex-mulher de Jair Bolsonaro (PSL), confirmaram à Folha o relato que consta em documento oficial do Itamaraty, redigido em 2011.

O registro diplomático informa que ela afirmou ao vice-cônsul naquele país que havia sido ameaçada de morte pelo ex-marido e que por isso havia fugido do Brasil.

O caso foi revelado pela Folha, nesta terça (25). Logo após a publicação da reportagem, Ana Cristina divulgou vídeo nas redes sociais no qual negava ter falado sobre o assunto com a embaixada brasileira, rechaçava ter sido alvo de qualquer ameaça e defendia Jair Bolsonaro, atacando a imprensa.

Dos cinco brasileiros que aceitaram falar com a reportagem, quatro disseram que só o fariam sob anonimato, com medo de represália. Uma decidiu se identificar.

Simone Afonso, ainda reside na Noruega e conta que conheceu Ana Cristina em 2009, quando ela deixou o Brasil. “Ela tentou asilo político aqui, o que foi negado pelo departamento de imigração local. Dizia que estava sendo ameaçada pelo ex-marido, o Jair Bolsonaro, que ele havia tirado a guarda do filho dela”, contou.

“Todo mundo aqui em Oslo sabe que o discurso dela era: estou aqui por medo do meu ex-marido”, continuou. “E se você quiser, a gente pode fazer uma lista de pessoas daqui que sabem dessa história.”

As outras quatro testemunhas relatam o caso da mesma forma. (...) Segundo os relatos dos brasileiros, ela costumava repetir que a “minha cabeça vale R$ 50 mil”.

Simone Afonso contou que Ana chegou a morar na casa de um brasileiro em Oslo. Fernando Xavier, disse ela, teria alugado um quarto para a ex-mulher de Bolsonaro até que ela pudesse se estabelecer no país.

Em suas redes sociais, Xavier compartilhou a reportagem da Folha desta terça (25). “Olha as verdades surgindo do teatro de vampiros!!!! (sic) Chegou ameaçada e ficou anos sem ver o filho!!!”, escreveu. “Eu sou testemunha e muitas outras pessoas da sociedade de Oslo!!!”

(...) Quando ainda morava no exterior, a ex-mulher de Bolsonaro contou aos brasileiros detalhes da disputa judicial que travou com o ex-marido pela guarda do filho do casal, Renan.

Uma das pessoas com as quais a Folha conversou disse ter enviado para Ana Cristina, no Brasil, a certidão de nascimento com a qual ela conseguiu tirar o filho do país sem a autorização de Bolsonaro —foi isso o que levou o deputado a mobilizar o Itamaraty.

A ex-mulher do presidenciável usou um documento antigo, anterior ao reconhecimento da paternidade. Nele, apenas seu nome constava como responsável pelo menino. Essa mesma pessoa diz que presenciou a ligação do vice-cônsul que consta no telegrama reservado arquivado no Itamaraty. (...)

Anônimo disse...

Folha confirma: Bolsonaro ameaçou matar a mulher:

Brasileiros na Noruega desmentem o "desmentido" de Ana Cristina Valle

27/09/2018 - Conversa Afiada

Fernando teria alugado um quarto para aquela que deveria morrer (Reprodução: Folha de S. Paulo)

Brasileiros que conviveram com ex-mulher de Bolsonaro na Noruega confirmam que ela relatava ameaça

Cinco brasileiros que vivem na Noruega e conviveram com Ana Cristina Valle, ex-mulher de Jair Bolsonaro (PSL), confirmaram à Folha o relato que consta em documento oficial do Itamaraty, redigido em 2011.

O registro diplomático informa que ela afirmou ao vice-cônsul naquele país que havia sido ameaçada de morte pelo ex-marido e que por isso havia fugido do Brasil.

O caso foi revelado pela Folha, nesta terça (25). Logo após a publicação da reportagem, Ana Cristina divulgou vídeo nas redes sociais no qual negava ter falado sobre o assunto com a embaixada brasileira, rechaçava ter sido alvo de qualquer ameaça e defendia Jair Bolsonaro, atacando a imprensa.

Dos cinco brasileiros que aceitaram falar com a reportagem, quatro disseram que só o fariam sob anonimato, com medo de represália. Uma decidiu se identificar.

Simone Afonso, ainda reside na Noruega e conta que conheceu Ana Cristina em 2009, quando ela deixou o Brasil. “Ela tentou asilo político aqui, o que foi negado pelo departamento de imigração local. Dizia que estava sendo ameaçada pelo ex-marido, o Jair Bolsonaro, que ele havia tirado a guarda do filho dela”, contou.

“Todo mundo aqui em Oslo sabe que o discurso dela era: estou aqui por medo do meu ex-marido”, continuou. “E se você quiser, a gente pode fazer uma lista de pessoas daqui que sabem dessa história.”

As outras quatro testemunhas relatam o caso da mesma forma. (...) Segundo os relatos dos brasileiros, ela costumava repetir que a “minha cabeça vale R$ 50 mil”.

Simone Afonso contou que Ana chegou a morar na casa de um brasileiro em Oslo. Fernando Xavier, disse ela, teria alugado um quarto para a ex-mulher de Bolsonaro até que ela pudesse se estabelecer no país.

Em suas redes sociais, Xavier compartilhou a reportagem da Folha desta terça (25). “Olha as verdades surgindo do teatro de vampiros!!!! (sic) Chegou ameaçada e ficou anos sem ver o filho!!!”, escreveu. “Eu sou testemunha e muitas outras pessoas da sociedade de Oslo!!!”

(...) Quando ainda morava no exterior, a ex-mulher de Bolsonaro contou aos brasileiros detalhes da disputa judicial que travou com o ex-marido pela guarda do filho do casal, Renan.

Uma das pessoas com as quais a Folha conversou disse ter enviado para Ana Cristina, no Brasil, a certidão de nascimento com a qual ela conseguiu tirar o filho do país sem a autorização de Bolsonaro —foi isso o que levou o deputado a mobilizar o Itamaraty.

A ex-mulher do presidenciável usou um documento antigo, anterior ao reconhecimento da paternidade. Nele, apenas seu nome constava como responsável pelo menino. Essa mesma pessoa diz que presenciou a ligação do vice-cônsul que consta no telegrama reservado arquivado no Itamaraty. (...)

Anônimo disse...

Pobre País que acredita que a solução para os seus problemas está nas mãos de um grosso, mal-educado, despreparado, que em 28 anos no Parlamento não fez nada do que agora diz que vai fazer. Isso é histeria coletiva.

Verdades X Mentiras disse...

Artigo ímpar da American Greatness em resposta ao The Economist.

Bolsonaro NÃO é ameaça à democracia, ´Bolsonaro é uma ameaça ao crime organizado, corrupção etc. por isso tentaram mata-lo


"Bolsonaro do Brasil ameaça ao Sistema Maligno"

"Há algumas semanas, The Economist publicou um artigo argumentando que Jair Bolsonaro, o candidato à presidência, é uma ameaça à democracia no Brasil.

Nenhuma outra prova é necessária para mostrar que The Economist, ao longo das décadas, passou de defensor destacado da liberdade política e econômica à fábrica de clichês globalistas.....um sinal claro de que a adesão da revista ao globalismo ...um fenômeno comum em todas as partes, o pensamento totalitário

O ex-capitão do Exército transformado em político é de fato uma grande ameaça, mas NÃO para a democracia. O atentado contra sua vida, perpetrado por um ativista de esquerda, na véspera do Dia da Independência do Brasil no mês passado, sinalizou que o sindicato do crime que administra o país está em pânico.

A candidatura popular de Bolsonaro baseia-se inteiramente em suas opiniões firmes na luta contra o crime. Sua postura é combater o crime em todo o seu espectro. Do crime “cotidiano”, como roubo e estupro nas ruas, crime organizado, que inclui o tráfico de drogas com suas ligações com as redes terroristas, o colarinho branco e a corrupção governamental. As muitas dimensões do crime que assolam o Brasil não constituem, neste ponto, esferas separadas, mas sim um sistema único e perverso de mal universal.

O crime, dentro e fora do governo, alimenta-se mutuamente, subsidia-se mutuamente, protege-se e propulsiona-se mutuamente, a ponto de, por fim, ser indistinguível. Há um continuum que vai de ladrões de rua a políticos de alto nível, passando por todos os tipos de atividades ilegais e suborno, assassinatos e violência, roubo de fundos públicos, tráfico de influências, manipulação de contratos públicos, compra e venda de atos legislativos e decretos governamentais. , orientação política de empréstimos bancários públicos e assim por diante.
Bolsonaro representa a ameaça mais séria já enfrentada por este sistema extremamente corrupto.
Esse mal está em toda parte. Perversão e emburrecimento de crianças por meio de doutrinação política e de gênero na escola é parte do sistema criminal. A criação artificial de questões raciais para dividir a sociedade como um meio de transformar as pessoas umas contra as outras e esquecer a catástrofe circundante faz parte do sistema criminal. Manter pequenas e grandes empresas dependentes do estado para empréstimos e contratos governamentais, forçando os donos de empresas a jogarem o jogo se quiserem para sobreviver, faz parte do sistema criminal.

A criminalidade do Brasil, sob todos os aspectos, está ameaçada pela primeira vez. A candidatura de Bolsonaro representa o único projeto político para dar esperança aos brasileiros, porque ele identifica e ataca corretamente o problema central. Nenhum outro candidato nesta eleição seria esfaqueado por seus pontos de vista.
Enquanto os outros contendores propõem aumentar o teto da despesa pública, ou prometer limpar o histórico de crédito do devedor, ou até mesmo repetir brometos inócuos sobre “desenvolvimento sustentável” ou “investimento em educação”, Bolsonaro abordou a questão do crime de frente. Assim, o único candidato que ameaça o crime está sob ameaça do sistema criminal. Somente o candidato que corajosamente vai às ruas entre as pessoas reais, dizendo sem medir suas palavras, sem medo de ser chamado de fascista, que enfrentará criminosos - só ele é esfaqueado com uma faca de 8 polegadas..."
Integra:
https://amgreatness.com/2018/09/22/brazils-bolsonaro-threatens-an-evil-system/

Tradução com ajuda do Google.

Anônimo disse...

A revista Veja que o editor adora. Essa também é lulopetista. kakaka

“Bolsonaro, de acordo com Ana Cristina, furtou seu cofre numa agência do Banco do Brasil, em outubro de 2007, e levou todo o conteúdo: joias avaliadas em 600 000 reais, 30 000 dólares em espécie e mais 200 000 reais em dinheiro vivo — totalizando, em valores de hoje, cerca de 1,6 milhão de reais. O cofre ficava na agência do Banco do Brasil da Rua Senador Dantas, no centro do Rio. Seu conteúdo é incompatível com as rendas conhecidas do então casal”, diz o texto da revista.

Anônimo disse...

Bom saber, assim fico distante desta zona, vai que o cidadão de bem toma "atraque" porque não apoia o coiso...