Salários de barnabés de Porto Alegre poderão atrasar em maio

Os salários dos servidores de Porto Alegre poderão atrasar em maio.

A informação é do secretário da Fazenda, Leonardo Busatto.

19 comentários:

Anônimo disse...

Por que a adjetivação?
Lembre-se que será um servidor público municipal que o socorrerá, ou a seu filho, ou a seu neto, caso busque socorro no HPS.
E será bem atendido, apesar desse ultraje.
Da mesma forma ocorrerá nos demais serviços municipais.

Eduardo PoA disse...

Tô cansado de andar por uma cidade suja e mal-cuidada. Tô mais cansado de pagar imposto para esses barnabés carregarem papel de uma mesa ora outra. Conheço um que trabalha na prefeitura, faz isso há 25 anos, ganha 15 mil por mês, e acha que merece mais! Primeiro, o mais importabte: ajeitar a cidade (embora desconfie que o mimado Jr. não tenha a mínima competência pra isso). Depois, pagar salário de classe média alta ora funcionários de um município falido.

Anônimo disse...

filhinho de papai de merda q vive mamando em teta publica

Anônimo disse...

É só pressao pra aumentar o IPTU. IPTU SE AUMENTAR NAO VAMOS PAGAR!!!

Anônimo disse...

Começaram novamente a novela de quinta categoria para tentar aprovar a nova planta de valores de IPTU...
Os servidores da Prefeitura ... Técnicos de Nível Superior ou não e suas famílias , utilizados como massa de manobra , pagarão mais uma vez pela incompetência da "catástrofe com nome e sobrenome" que está no poder...

Anônimo disse...

A expressão barnabé está sendo usada pelo Sr. para representar negativamente o servidor público?

Anônimo disse...

A expressão barnabé está sendo usada pelo Sr. para representar negativamente o servidor público?

Anônimo disse...

Solicito que reflita sobre alterar o texto.

Anônimo disse...

COMO´QUE É BERNABÉS, E O RESPEITO IDIOTA,IDIOTA,IDIOTA,IDIOTA,IDIOTA,IDIOTA

Anônimo disse...


Barnabé, o funcionário



Quadro extranumerário
Ganha só o necessário
Pro cigarro e pro café
Quando acaba seu dinheiro
Sempre apela pro bicheiro
Pega o grupo do carneiro
Já desfaz do jacaré
O dinheiro adiantado
Todo mês é descontado
Vive sempre pendurado
Não sai desse tereré
Todo mundo fala fala
Do salário do operário
Ninguém lembra o solitário
Funcionário Barnabé
Ai Ai Barnabé
Ai Ai funcionário letra É
Ai Ai Barnabé
Todo mundo anda de bonde

Só você é que anda a pé…

Anônimo disse...


ertas questões e temas rondam a sociedade brasileira de maneira recorrente, sobretudo aqueles relativos à sua modernização. Provavelmente porque resistem em se instalar de maneira definitiva, estão sempre na ordem do dia. Os debates atuais em torno da reforma trabalhista e da previdência despertaram alguns deles, como o da dualidade de regime de trabalho existente no País.
Criada durante o governo de Getúlio Vargas, ela estabeleceu diferenças entre o sistema regrado pela CLT e o do estatuto do funcionário público (1939). A força da diferenciação criou duas maneiras de encarar e exercer o mundo do trabalho, de tal maneira que, já na década de 1940, o “servidor” ganhou uma distinção oblíqua por meio de um apelido, aliás outra prática rotineira de nossa sociedade fundada nas relações afetivas e de pessoalidade.

Chamado de Barnabé, rapidamente o título tornou-se sinônimo de funcionário público, principalmente daquele servidor mais humilde, de vida apertada, “que ganha só o necessário pro cigarro e pro café”. Curiosa foi a maneira para a criação e consagração do apelido: uma marchinha carnavalesca composta em 1948 por Haroldo Barbosa (1915-1979) e Antonio de Almeida (1911-1985).

Na verdade, a canção foi criada um ano antes para um número musical para ser cantada por Grande Otelo em uma revista no Cassino da Urca. Tradicionalmente o Teatro de Revista, como sugere o nome, tratava das questões do dia a dia que ganhavam algum destaque. A motivação circunstancial neste caso foi a campanha dos servidores para a melhoria de seus salários, aparentemente já em declínio. O grande nó para os criativos compositores era como fazer verso com rima fácil combinando com a letra É, classificada como o último estágio da escala da carreira funcional daspeana (da sigla DASP – Departamento Administrativo do Serviço Público)! Daí veio o inesperado nome Barnabé, que se transformou no alegre refrão:

Ai Ai Barnabé

Ai Ai funcionário letra É

Ai Ai Barnabé

Com o sucesso na casa de espetáculos carioca, os compositores resolveram adaptar os versos para uma gravação feita por Emilinha Borba destinada ao carnaval de 1948. A repercussão foi imediata e ganhou a simpatia das ruas do Rio de Janeiro, capital do país tradicionalmente repleta de funcionários, que viviam tanto as regalias como as agruras do funcionalismo. Aliás, ganhar o sufixo ismo significava alcançar a lógica de um sistema fechado, com princípios, conceitos e, finalmente, um modo de vida próprio. A vida peculiar do Barnabé se estabeleceu e se tornou marca identitária e simbólica, permanecendo em nosso imaginário até hoje.

No caso específico da marchinha, a letra tratava com bom humor as dificuldades e embaraços do pequeno funcionário público em contraste também com o operário. O Barnabé é aquele que mal começa o mês e já está endividado, tendo que recorrer à sorte no jogo do bicho ou aos empréstimos, descontados do salário. Para penetrar de fato no sentido da canção, a letra – logo a seguir – deve ser acompanhada pela escuta integral da canção (https://www.youtube.com/watch?v=HhswV1Ks9gE). Deste modo se compreende melhor o humor e os deslocamentos presentes na composição. Este era um recurso criativo usual dos compositores de marchinhas: o disparate cômico de tratar com alegria temas ásperos e adversos.

Anônimo disse...

Gostaria de ver a evolução dos últimos 30 anos de inflação x aumentos na prefeitura, para poder fazer uma análise melhor.

Anônimo disse...

Polibio foi CC da prefeitura e ja mamou nessa teta.

Luiz Vargas disse...

O Napoleão Júnior precisa arrumar justificativas para AUMENTAR O IPTU.
Está na hora de botar para fora da prefeitura este enganador. A praia dele é correr quengas em Brasília e não administrar Porto Alegre.

Anônimo disse...

KKKKKKKKKKKK
Verdade!!
Acho melhor trocar a palavra ¨Barnabé¨ para ¨camarada que estudou só para passar no concurso público e depois curtir a vida ¨cum instabilidádi i mamáta¨¨!
É claro que vários desses Barnabés, ops, funcionários públicos que estudaram para passar no concurso público vão aparecer aos montes aqui para reclamar indignadinhos, cheios de lenga-lenga/conversa-fiada e tentar tapar o sol com a peneira!!

Anônimo disse...

Quanto mimimi! Não gostaram? Peçam demissão e vão pra a iniciativa privada, seus parasitas! Chamar de Barnabé e até elegio!

Anônimo disse...

Só em ter chamado os caras de barnabés, dá prá ver o nível desse blog.
Respeito, Deus vai char o teu lugar. Ah... eu sei que tu acredita em Deus.

Anônimo disse...

Vai tomar no olho do ...., não é somente passar no concurso, é estar sempre a disposição, engolir sapo visto governos ruins, é saber lidar com gente mesquinha. Enfim, são tantos atributos que não vale à pena discutir com pessoas incapazes intelectualmente.

Anônimo disse...

Adivinhem só o perfil dos mimizentos cheios de não-me-toque que não gostaram dos Post??
São todos Barnabés!!!!